Um novo movimento formado por pessoas que querem aliar trabalho e prazer vem ganhando cada vez mais força, principalmente pela internet. Seus lemas são “faça o que você ama” e “transforme sua paixão em trabalho”. Estas ideias não são novas, mas ultimamente os conceitos vêm se espalhando e influenciando mais pessoas a pensarem em como encontrar ou criar uma ocupação que tenha um significado além do “ganha-pão”. Elas querem sentir felicidade também durante o trabalho, não apenas quando estão fora dele, nas férias e aos fins de semana.

aliar trabalho e prazer

Quando você tem uma paixão e quer transformá-la em uma empresa, projeto, produto ou serviço para monetizá-la e viver dela, existe um longo caminho a trilhar, que requer muita paciência, dedicação e foco. Mas e se você não sabe ainda qual é a sua paixão, aquilo que tem certeza que gostaria de fazer pelo resto da vida? É preciso passar antes por uma etapa de experimentação, descobertas e, principalmente, autoconhecimento, para descobrir o que poderia ser a carreira dos seus sonhos e finalmente começar a correr atrás dela. Nem eu, nem ninguém poderá pensar por você e dizer qual o caminho certo, mas algumas dicas e exercícios podem te ajudar a entender-se melhor e descobrir a sua verdadeira paixão:

Esteja disposto a mudar a sua história

Pode ser que o que você está fazendo atualmente não tenha absolutamente nada a ver com a sua paixão e não chegue nem perto de te fazer verdadeiramente feliz. Por isso, antes de descobrir o que quer fazer, é preciso que você esteja disposto a enfrentar uma grande mudança, caso seja preciso. Se estiver fechado a isso, estará impondo limites para encontrar o seu caminho e poderá nunca descobri-lo. Em alguns casos, a paixão de uma pessoa é apenas uma adaptação daquilo que ela já faz, mas se você está infeliz no seu trabalho atual, é provável que tenha que mudar muita coisa para ser feliz fazendo o que ama. Confiança, entrega, fé e determinação são essenciais neste processo. Você está aberto a descobrir e viver a sua paixão?

O que você se imagina fazendo até o fim da sua vida?

Você consegue se imaginar feliz quando pensa que tem muitos e muitos anos pela frente fazendo o que faz agora? Ou sente bater um desespero quando reflete sobre isso? Se prefere nem pensar no assunto, então pergunte-se: o que você consegue se ver fazendo até o último dia de sua vida? E o que não gosta nem de imaginar? Se não quer considerar a hipótese de passar os próximos dez anos trabalhando oito horas por dia dentro de um escritório, comece a vetar das suas paixões tudo o que te leva a isso. Se não curte lidar com pessoas, procure uma atividade mais introspectiva. Se gosta de ajudar pessoas, ouvir o que elas têm a dizer e dar conselhos, abra o leque de possibilidades relacionadas a isso. Se é apaixonado por animais, não precisa necessariamente se tornar veterinário, há outros tipos de trabalho que lida com eles. Faça esta seleção do que quer e o que não quer e então vá atrás das possibilidades que se encaixam nas suas escolhas.

O que voce se imagina fazendo ate o fim da sua vida

Tente muitas coisas diferentes

Destaque para as palavras “muitas” e “diferentes” porque se você ainda não tem mesmo ideia do que pode ser a sua paixão, vai precisar experimentar MUITO. E as coisas que experimentar precisam ser realmente diferentes do que você já fez, senão continuará na mesma. Se com as coisas que fez até agora você ainda não conseguiu descobrir uma paixão, talvez tenha explorado pouco ou apenas nunca esteve no lugar certo na hora certa. Ao contrário do que pode pensar, estar no lugar certo na hora certa está muito mais relacionado a criar este momento do que com a “sorte”. Procure entender sobre os tipos de arte pelos quais nunca se interessou, ler livros e ver filmes que você diz que não gosta sem nunca ter lido ou visto, praticar um esporte sobre o qual sabe muito pouco, participar de uma peça de teatro, ajudar pessoas com um determinado problema e aceitar qualquer outra oportunidade de fazer algo que nunca fez ou pensou em fazer.

Conheça tudo o que puder

Conheça lugares, religiões, estilos e filosofias de vida, culturas, empregos incomuns, idiomas, histórias, tipos de arte, ideias. Como fazer isso? Converse com o máximo de pessoas que puder, viaje para lugares onde ninguém vai, leia biografias, vá a igrejas ou templos, participe ou assista a diferentes rituais, pratique yoga e meditação, tente tratamentos e terapias alternativas, assista a documentários sobre a cultura de outros povos e países, aprenda outro idioma, vá a museus, exposições e apresentações, acompanhe o que acontece no mundo e seja curioso sobre tudo o que surgir à sua frente. Fazer coisas como estas abre sua mente, e como explica a frase atribuída a Albert Einstein: “A mente que se abre a uma nova ideia jamais volta ao seu tamanho original”.

Analise seus costumes, interesses e hábitos

Procure padrões nos livros que você lê, filmes e seriados que assiste, blogs que acompanha, lugares que vai, fotos que tira, o que costuma fazer no fim de semana para se divertir ou relaxar e até as páginas que curte no Facebook. Existe algo que se repete? Analise bem. Quando fiz esse exercício, percebi alguns interesses que apareciam bastante em vários dos meus costumes e hábitos analisados: animais, livros, saúde, alimentação saudável, humor e cultura. Pensando sobre isso, cheguei à conclusão de que algum dia ainda pretendo trabalhar ou participar de um projeto relacionado a animais, quero muito de escrever um livro, gosto de aprender e escrever sobre saúde e nutrição e seria possível eu gostar de trabalhar em alguma área de entretenimento. Consegui informações suficientes para me ajudar a descobrir uma nova paixão.

analise seus costumes e habitos

O que você sempre volta a fazer?

Leve em conta todas as fases da sua vida e tente encontrar algo que você sempre fez. Não precisa ser uma atividade ininterrupta, pode ser algo que você tenha parado de praticar por algum tempo em algumas fases da vida mas sempre acaba voltando a fazer. No meu caso, esse “algo” é escrever. E incluiria dançar também na minha análise, apesar de eu não fazer nenhuma dança há algum tempo, mas lembro de ter parado e voltado várias vezes a fazer aulas. Consegue identificar algo assim na sua vida? Pode ser tocar um instrumento, cozinhar, costurar, consertar coisas, desenhar, fotografar, atuar. O que você sempre volta a fazer?

As coisas que você faz pouco

Aquelas coisas que você faz pouco, mas quando faz, adora. Viajar, ter contato com a natureza, decorar ou reformar um ambiente da casa, maquiar uma amiga, estar com crianças, pintar…São alguns exemplos de coisas que algumas pessoas gostam de fazer mas não fazem com muita frequência, e que poderiam ser adaptados de forma produtiva para tornarem-se uma profissão.

O que você sente falta quando não faz?

Quem gosta muito, muito mesmo de fazer alguma coisa, quando passa bastante tempo sem realizá-la, em algum momento sente falta. Consegue se lembrar de algo que já te deu essa sensação? Já ouvi pessoas que amam viajar dizendo que, quando ficam muito tempo sem ir a um lugar diferente, acreditam que estão desperdiçando suas vidas. Outras, quando não praticam aquilo que gostam de fazer por falta de tempo ou dinheiro, sentem que estão reprimindo seus próprios talentos. O que faz você se sentir assim?

sente falta de fazer quando nao faz

Volte no tempo e recomece

Se você já iniciou ou construiu uma carreira, pense no que faria diferente se voltasse no tempo e pudesse recomeçá-la. Teria feito um curso diferente do que fez? Ou escolheria melhor os estágios e empregos pelos quais passou? Deixaria um pouco a segurança de lado no início e faria algo que realmente tivesse a ver com o que gostaria de fazer? Teria começado algum projeto, feito trabalho voluntário ou passado por outras experiências quando tinha mais tempo livre para isso? Estas respostas podem te oferecer bons indícios sobre o que pode ser a sua paixão. Há chances de você ter começado certo mas se perdido no caminho por escolhas erradas ou medo, então pode dar alguns passos para trás e recomeçar de onde errou.

Não tenha medo de errar

É possível que você não descubra sua paixão na primeira tentativa. Talvez pense que a encontrou, tente colocá-la em prática e descubra que não era bem isso. Não é motivo para você achar que perdeu seu tempo, que nunca vai se apaixonar por nada e que é melhor desistir. Pelo contrário, você adquiriu experiência para as próximas tentativas. Tudo na vida funciona assim, se você não aceitar isso, nunca sairá do lugar. O que você acha que é mais desperdício de tempo: trabalhar o resto da vida com algo que não gosta ou se aventurar em diferentes experiências atrás da sua paixão? Se por algum período você fez algo que estava gostando, se divertiu, se sentiu bem, aprendeu e conheceu coisas novas, como pode dizer que não valeu a pena?

O emprego dos seus sonhos talvez não exista

Calma! Você não leu tudo isso para chegar no final e levar um balde de água fria. É verdade que o emprego dos seus sonhos talvez ainda não exista, mas a boa notícia é que você pode criá-lo! Quantas profissões novas estão surgindo? Até pouco tempo ninguém ganhava dinheiro sendo blogueiro, mas alguém foi lá e fez, criou conteúdo e atraiu oportunidades colocando sua paixão em prática. Recentemente li uma matéria sobre um fotógrafo que se especializou em criar álbuns de casamento com tatuagens em evidência. Uma profissão que não existia e que ele criou para unir duas paixões: fotografia e tatuagem. Coloque na sua cabeça: não existe ideia ruim, o que existe é preguiça, pouca dedicação e comodismo. Sem estes três fatores autodestruidores você pode tudo.



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Stephanie Gomes

Comente usando seu Facebook





7 Comentaram para “Eu não sei qual é a minha paixão. E agora?”


G
1. Maicon Cruz
25/03/2014 às 23:06

Palavras- Palavras, é oque eu não tenho para descrever o texto que fez parte da mudanças da minhas vida, sem palavras kkkk

Nossa, Excelente.
Eu quero Simplesmente agradecer por você ter postado esse texto maravilhoso, é um conteúdo de grande motivação para mim e para todos que lerem é claro.
claramente estou adorando visitar o seu blog vou continuar e ainda vou recomendar, excelente trabalho continue desse jeito. ; )


G
2. Stephanie
26/03/2014 às 06:59

Oi Maicon!

Eu que agradeço por você deixar um comentário por aqui! Não sabe como é gratificante pra mim saber que algo que escrevi ajudou de verdade alguém. Obrigada mesmo!

Espero te ver mais vezes por aqui 🙂

Abraços!


G
3. Paty
29/03/2014 às 16:14

Olá Stephanie!! achei o seu blog por acaso… estava procurando no google alguma citação que falasse sobre o livro: Você pode curar sua vida e seu blog entrou na lista das pesquisas!! Entrei e Adorei! estou pasando por um momento complicado na vida afetiva e através de suas matérias fui adquirando conhecimentos que posso coloca-los em prática agora e tentar amenizar meu sofrimento! Achei mto legal você ler os livros e depois indica-los dando uma ideía de seu conteúdo! Alías mesmo constando na pesquisa não achei nehuma matéria sobre este livro que vou comprar… rs Vou continuar acompanhando seu blog sempre! òtimas leituras que nos colocam pra cima e nos incentivam na busca da felicidade e de uma vida melhor!!! Obrigado!!!

Paty


G
4. Stephanie
29/03/2014 às 17:48

Oi Paty! Sempre fico curiosa para saber como as pessoas chegam ao meu blog, que legal que você encontrou procurando por um livro! O “Você pode curar sua vida” está na minha lista de próximas leituras, já ouvi falar muito bem dele, com certeza quando eu ler escreverei sobre ele aqui também.

É muito bom saber que o que escrevo te ajudou de alguma forma, espero continuar conseguindo trazer coisas boas sempre! Eu que agradeço por você deixar um comentário por aqui 🙂

Beijos!


G
5. Luísa
14/04/2014 às 06:55

Olha, eu caí nesse blog por um excelente acaso, e posso dizer que os teus dizeres me ajudaram muito. Não lembro como cheguei aqui (amnésia alcoólica), mas acho que vim pulando de blog em blog.

Ps: Estou naquela fase infernal dos 20 e poucos: o que o coração pede x aquilo que o meio exige.

Continua escrevendo! Abraço.


G
6. Stephanie
14/04/2014 às 07:12

Luísa, que bom saber que te ajudei.

A fase dos 20 anos é assim pra quase todo mundo, é difícil encontrar quem tenha essa idade ou já tenha passado por ela e não tenha sentido esse descontentamento e essa vontade de mudar. Eu sinto isso também! Com paciência e esforço nós chegamos lá.

Pode deixar que continuarei escrevendo sim!

Beijos


G
7. Simone Geralda dos Santos
24/05/2017 às 14:14

Oi!Cheguei a esse blog seguindo o link de um vídeo e acabei lendo um monte de coisas interessantes. Me identifiquei totalmente! Hoje li sobre motivação, coaching, mudanças, e esse post. Vou voltar pra ler mais!
Parabéns! E se possível, faça uma visitinha no meu blog Imagens e Mensagens.



Comentar

Nome:

Email:

Site/Blog: