27.07.15 • Em Felicidade, Livros

Ser feliz.

capa a arte da felicidade

É esse o propósito da vida de todo ser humano. Simples assim.

É assim que Dalai Lama começa a explicar o que é a felicidade no livro A Arte da Felicidade. E foi justamente por ser escrito de forma tão simples e acessível que gostei tanto da leitura.

O livro fala sobre felicidade de uma forma bem sincera, sem deixar de lado outros tópicos importantes quando se trata do assunto: o sofrimento, os problemas, os obstáculos… e também a motivação, o pensamento positivo e os relacionamentos. Admito que algumas vezes pensei em abandonar a leitura por ser um pouco repetitiva, mas insistia mais um pouco e logo surgia uma nova abordagem que me despertava interesse. Que bom que não abandonei, porque tirei conselhos e entendimentos muito valiosos desse livro.

Acho que todo mundo já se questionou pelo menos uma vez sobre qual seria seu propósito de vida. Eu mesma sempre fico confusa quando tento responder essa pergunta. Até que li a seguinte frase no livro:

“O propósito da nossa existência é buscar a felicidade.”

Senti uma espécie de alívio após ler isso, porque finalmente entendi que não tem por que complicar, buscar uma resposta complexa ou passar a vida inteira tentando entender o sentido da vida. O meu objetivo de vida é ser feliz. Simplificar esse entendimento sobre o propósito da vida foi como abrir um clarão à minha frente. E me fez questionar: será que estou no caminho certo?

Estamos todos buscando algo melhor na vida. Estamos todos nos movimentando pelo mesmo objetivo: queremos ser felizes.

E qual a melhor forma de fazer isso? Não há fórmula, mas Dalai diz que felicidade nada mais é do que uma forma de encarar a vida. É identificar o que lhe traz sofrimento e o que lhe traz alegria, e procurar cultivar e dar mais valor ao que faz parte do segundo grupo.

A arte da felicidade - Ensinamentos simples e preciosos sobre a vida

No livro, ele exemplifica de forma bem interessante a diferença entre a felicidade que vem de dentro e a que vem de fora. “A felicidade é determinada mais pelo estado mental da pessoa do que por acontecimentos externos”. Isso porque podemos sentir uma alegria muito grande quando algo bom acontece, mas, depois de algum tempo, retornamos ao nosso nível de felicidade habitual. Esse nível é diferente para cada pessoa, mas o “retorno” acontece com todo mundo. Por isso é mais importante trabalharmos o nosso nível de felicidade habitual (que é como nos sentimos mais constantemente) do que investir em fontes materiais de alegria ou prazeres momentâneos.

Como então trabalhar o nível de felicidade natural que nos acompanha na maior parte do tempo? Pela forma como encaramos a vida. Pela satisfação que sentimos pelo que temos e somos. Pela percepção do nosso crescimento pessoal. Pela nossa disposição mental. E, principalmente, pela escolha da atitude mental correta.

“Quanto maior o nível de serenidade da mente, maior será nossa paz de espírito e maior nossa capacidade para levar uma vida feliz e prazerosa. Se faltar a disciplina interior que traz a serenidade mental, não importa quais sejam as condições ou meios externos que normalmente se considerariam necessários para a felicidade, eles nunca nos darão a sensação de alegria e felicidade que buscamos.”

Uma reflexão que tirei do livro e quero usar daqui em diante na tomada de qualquer decisão é a pergunta: isso me trará prazer ou felicidade? O prazer é momentâneo, é a situação que causa uma alegria que depois se esvai. Escolher a felicidade é escolher elevar o nosso nível habitual e sermos serenos e felizes de forma muito mais estável.

Dalai Lama explica que existem alguns passos importantes nessa busca pela felicidade. O primeiro passo é o aprendizado. É realmente entender que pensamentos e comportamentos negativos nos prejudicam e comportamentos e pensamentos positivos nos são benéficos. Em seguida, vem a percepção de quais são (para você) esses aspectos benéficos e quais comportamentos te fazem bem. Uma vez que isso é compreendido, uma disposição espontânea surge dentro de você e te dá a determinação necessária para agir em busca do que te faz feliz.

A explicação é realmente bem simples, mas as mudanças necessárias podem exigir um grande esforço e trabalho. O que, pode não parecer, mas é muito positivo, porque traz crescimento.

“Alcançar a verdadeira felicidade pode exigir que efetuemos uma transformação na nossa perspectiva, nosso modo de pensar, e isso não é nada simples.”

A arte da felicidade - Ensinamentos simples e preciosos sobre a vida

Não se muda uma forma de encarar a vida da noite para o dia, com a mudança de um único pensamento ou com a prática de um exercício uma vez ou outra. Transformar a mente leva tempo, pois é necessário lidar com cada traço negativo e retreiná-lo. É um longo processo de aprendizado.

Um pensamento positivo ao começar o dia e outro ao terminar é um bom início, mas não se você fizer isso apenas uma vez. Praticar a gratidão, cultivar a bondade, pensar positivo e se aproximar daquilo que te faz bem são estímulos poderosos, mas é aos poucos que eles fortalecerão a positividade da sua mente.

“No início, a implementação das práticas positivas é muito fraca e as influências negativas ainda detêm grande poder. Porém, com o tempo, à medida que vamos gradativamente implantando as práticas positivas, os comportamentos negativos se reduzem automaticamente.”

Vai ser impossível colocar aqui todos os ensinamentos que tirei do livro. Tudo isso que escrevi é apenas um resumo do primeiro capítulo. Nos outros capítulos é falado também sobre relacionamentos, sofrimento, dor, superação de obstáculos e espiritualidade. Se você tem interesse nesses assuntos, recomendo a leitura. A Arte da Felicidade é realmente um livro enriquecedor.

O que quero registrar aqui como o principal aprendizado que adquiri com esse livro é o que já disse no início: o propósito da vida é a felicidade. Ter isso em mente pode mudar muito a forma como você age, pensa e toma decisões. Sempre que se sentir perdido, estagnado ou confuso, dê-se um tempo para refletir sobre o que você está fazendo e se isso condiz com o seu propósito.

“Reflitamos sobre o que realmente tem valor na vida, o que confere significado à nossa vida, e fixemos nossas prioridades com base nisso. O propósito da nossa vida precisa ser positivo.”

Fotos: 123



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Stephanie Gomes

Comente usando seu Facebook





5 Comentaram para “A arte da felicidade – Ensinamentos simples e preciosos sobre a vida”


G
1. Bruna
27/07/2015 às 12:00

Gosto demais dos ensinamentos do Dalai Lama. Li ha algum tempo um livro sobre ele chamado “Felicidade em um mundo material” com ensinamentos fantásticos!

beijos!


G
2. Stephanie
28/07/2015 às 22:30

Vou procurar esse outro livro dele, Bruna! Obrigada pela indicação!


G
3. Camila
31/07/2015 às 16:36

Estou amando seu blog. Me identifico muito com muitos textos, sou uma pessoa extremamente ansiosa, preocupada com o amanha, e sim tenho muitos e muitos medos… e tenho certeza que muitos destes textos vão me ajudar e muito. Continue assim. Adorei!


G
4. Stephanie
31/07/2015 às 18:10

Oi Camila! Que bom que está gostando, fico muito feliz!

Acredite, eu compreendo sua ansiedade, sou assim também! Mas tenho uma coisa ótima para te falar: dá pra aprender a lidar bem com ela!

Beijos


G
5. Vitor
11/10/2016 às 02:15

Depois desse seu texto..decidi comprar o livro.
Obrigado!



Comentar

Nome:

Email:

Site/Blog: