04.07.16 • Em Livros, Relacionamentos

Livro Amar e ser livreTenho quase certeza de que nunca li um livro que tocasse tão fundo dentro de mim como Amar e Ser Livre, do Sri Prem Baba, tocou.

Um livro delicado e, ao mesmo tempo, intenso. Sensível, mas provocativo. Escrito de forma simples, mas com reflexões bem difíceis de serem feitas. Amar e Ser Livre é, na minha opinião, um livro indispensável para todo ser humano que quer evoluir e ser melhor para si mesmo – e, consequentemente, para os outros. Apesar de a abordagem ser bastante voltada para relacionamentos, as reflexões se estendem a todas as áreas da vida.

Seria impossível colocar em um post tudo o que absorvi do livro, por isso escolhi uma das questões abordadas para apresentar um pouco do conteúdo. O ponto que escolhi para resumir aqui é sobre uma dúvida que acho que muita gente tem: Por que situações indesejadas acontecem repetidamente na minha vida? Prem Baba sugere algumas explicações bem interessantes sobre essa questão:

As crises

Independentemente se estamos falando da crise econômica do país, de crises no nosso relacionamento, de uma crise na família ou em qualquer outra área, crises são situações negativas que se repetem dia após dia e vão se transformando em algo cada vez maior, sem melhora. Apesar de as crises não serem algo agradável, elas têm um propósito positivo: a evolução. A crise acontece quando algo que já deveria ter sido compreendido ainda não ficou claro. Para que ultrapassemos essa crise, esse “algo” precisa ser integrado pela nossa consciência. Quando uma situação indesejada se repete e cresce a cada dia, significa que alguma coisa precisa ser compreendida e transformada.

A atração

Se uma situação desagradável se repete na sua vida, é possível que o seu psicológico tenha ficado “fixado” no ponto em que essa situação aconteceu pela primeira vez. Por estar “preso” a esse ponto, a Lei da Atração vai colocar na sua vida mais dessa energia que você está vibrando.

A reencenação da infância

É muito mais comum do que imaginamos que o ser humano busque formas de reencenar as cenas traumáticas da sua infância, na tentativa de fazer com que dessa vez seja diferente. Buscamos relacionamentos com pessoas que contêm o melhor e o pior de nossos pais ou de quem fez parte do nosso passado porque, no fundo, temos a esperança de que podemos reparar e apagar aquilo que nos causou os bloqueios e repressões que carregamos dentro de nós até hoje. Nós colocamos na nossa vida pessoas que podem nos dar essa chance de reparação.

Como todo relacionamento envolve projeções, o que vamos ver na outra pessoa é justamente aquilo que cutuca a nossa ferida mais aberta. Se não estivermos conscientes de que essa é uma oportunidade de enxergar a origem dos nossos bloqueios para compreendê-los e aceitá-los, vamos nos ferir e sofrer dentro de todo relacionamento, inúmeras vezes.

O “não”

O Prem Baba explica que existe uma coisa chamada “prazer no desprazer”, que é o “não” que você inconscientemente diz para aquilo que conscientemente acredita querer dizer “sim”. Pode estar perfeitamente claro que você deseja muito uma coisa, mas algo lá no fundo de você diz “não”. E isso pode ser observado olhando para as escolhas que você faz.

Por exemplo: você quer um relacionamento saudável, mas toda vez que uma pessoa legal aparece, você a rejeita. Você só se interessa por pessoas que fazem o contrário: te rejeitam e te maltratam. Ou então quando você acredita que quer um corpo mais bonito e saudável mas, por algum motivo, faz tudo aquilo que estraga sua saúde: fuma, maltrata seu corpo, come errado etc.

O processo de desejar o negativo também pode se apresentar de forma mais sutil, como por exemplo quando você evita o que é bom, impedindo que a alegria, o sucesso e a prosperidade se manifestem na sua vida.

É possível que o “não” esteja presente em várias áreas da sua vida, e você ainda não percebeu. Você precisa encontrá-lo, aceitá-lo e compreendê-lo, para que ele possa ser libertado. Você precisa descobrir por que seu inconsciente diz “sim” para o desprazer, o que é que ele vê nisso que o atrai. É possível que seja também uma insistente sucessão de situações que você cria para reencenar uma cena do passado, na tentativa de fazer diferente dessa vez.

“Perceba que uma parte em você busca a iluminação, mas outra parte resiste à luz. Porque existe uma parte em você que sente prazer na escuridão.”

A culpa

Enquanto você continuar colocando a culpa da sua insatisfação e infelicidade no outro, situações negativas vão continuar se repetindo na sua vida. As coisas só vão mudar e parar de se repetir quando você sair do papel de vítima em que se colocou e se responsabilizar pela sua felicidade.

Quando coloca a culpa no outro você está fugindo da responsabilidade e negando sentimentos que estão dentro de você e precisam ser encarados. Se existe uma situação negativa se repetindo na sua vida, é você quem escolhe estar nessa situação, por mais que tudo indique que a culpa é do outro. Você é o único responsável pela sua felicidade.

Muitas vezes acontece também de você querer se identificar com a vítima (o que também se enquadra em sentir “prazer no desprazer”) porque quer estar nesse jogo de acusações. A vítima que te habita repete a sentença: “se eu for suficientemente infeliz, vou provar para o mundo que tal pessoa não deu para mim o que eu queria ter recebido”.

(Importante: nesse tópico estou falando sobre questões emocionais e sentimentais, e não sobre crimes como agressão ou abuso – nesses casos, a culpa NUNCA é da vítima)

Em todos os casos, a primeira coisa que você precisa fazer é identificar essas contradições dentro de você e ampliar a sua percepção a respeito do que isso está causando na sua vida.

Encontre o “eu” que existe dentro de você que está comprometido com essa guerra e tome consciência do estrago que ele está causando. Perceba que esse “eu” é apenas uma parte de você, mas há outras partes que desejam o bem, o amor, o positivo. Quando conseguir fazer isso, estará pronto para interromper esse círculo vicioso.

“A interrupção só ocorre quando você consegue dizer a si mesmo: sou eu que estou escolhendo seguir na mão contrária. Estou escolhendo dizer ‘não’. E, se estou dizendo ‘não’, também posso escolher dizer ‘sim’.”

Tudo isso é apenas uma pequena parte do conteúdo de Amar e Ser livre. O livro estimula várias outras reflexões importantes e sugere caminhos para o autoconhecimento e a compreensão. Sem dúvida esse foi o melhor livro que li esse ano até agora, e também um dos melhores livros que li na vida. Recomendo muito e sugiro que a leitura seja feita com calma, aproveitando para refletir de coração aberto sobre cada ponto abordado.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Stephanie Gomes

Comente usando seu Facebook





2 Comentaram para “Amar e ser livre”


G
1. Ina
05/07/2016 às 16:36

Muito bacana sua reflexão sobre o livro, fiquei curiosa, será minha próxima aquisição. Agradeço a indicação, também vou presentear uma amiga.
beijo


G
2. Meliza
07/07/2016 às 03:01

Parabens pelo post…
com certeza vou ler este livro…



Comentar

Nome:

Email:

Site/Blog: