O que é ser sensível?

Pessoas sensíveis geralmente apresentam algumas emoções e reações como:

  • se emocionar e chorar facilmente
  • perceber o que o outro está sentindo sem ele precisar dizer nada
  • sentir intensamente uma emoção diante de algo que outras pessoas não parecem dar tanta importância
  • absorver as energias alheias, sejam elas boas ou ruins
  • se sentir fortemente afetado por aquilo que vê, ouve ou assiste
  • se sentir profundamente afetado pelo humor das pessoas à sua volta
  • perceber facilmente coisas que pessoas mais distraídas não conseguem notar
  • sentir e ser afetado pela energia do ambiente em que está
  • ter reações sentimentais intensas em situações incômodas ou indesejadas (nem sempre demonstradas)
  • sentir desconfortos quase insuportáveis em certas situações

Você se considera uma pessoa muito sensível? Se identifica com alguns dos “sintomas” acima? Acha que a sensibilidade muitas vezes é um problema e gostaria de não ser assim? Então vamos falar sobre esse assunto.

Ser sensível ≠ ser fraco

Desde que li o livro O lado sombrio dos buscadores da luz eu aprendi a sempre procurar enxergar tudo de forma dual, ou seja, vendo tanto o lado bom como o lado ruim das coisas. E isso me lembrou que por muito tempo eu acreditei que ser uma pessoa muito sensível era totalmente ruim, e que o ideal era eu ser mais fria, menos “chorona”, mais “dura”. Muitas vezes ouvi dizer que pra gente “se dar bem na vida” tem que aprender a controlar a sensibilidade e procurar agir mais com a razão do que com a emoção.

Até tentei ser assim algumas vezes, mas isso não era eu, então não consegui sustentar por muito tempo. Comecei então a procurar o lado positivo de ser altamente sensível. E encontrei.

Eu detesto quando tenho vontade de falar algo que está entalado na minha garganta e as lágrimas saem mais rápido que a minha voz. Mas eu talvez não conseguiria dar voz a tudo o que escrevo e falo aqui no blog se não tivesse esse grau elevado de sensibilidade.

Sei que não é legal quando queremos fingir que estamos bem e o nosso corpo nos entrega, mas a sensibilidade que te causa isso é também o motivo de você ser capaz de ajudar um amigo a passar por um momento difícil.

Sei que muitas vezes é incômodo sentir uma saudade tão forte que chega a doer, mas você trocaria essa sua capacidade de amar e viver tão intensamente por um coração gelado que não se envolve com nada?

Para nós, é pelo menos vinte vezes mais difícil conviver com pessoas grosseiras, mal humoradas e negativas, mas nossa sensibilidade é o que nos permite perceber que não queremos ser assim, porque isso não é bom. Nosso lado sensível sofre, mas é a força da nossa sensibilidade nos impede de nos transformarmos em pessoas frias e egoístas, apesar de quase sempre sermos incentivados a isso.

Ser sensível ≠ ser fraco

Pare e pense: quantas coisas boas a sua sensibilidade já te levou a fazer? Como você pode continuar usando essa sua capacidade de sentir para fazer o bem, tanto para os outros como para si?

É bem provável que responder a essas perguntas não vá te impedir de viver os desprazeres da sensibilidade, mas você vai perceber que o lado positivo de ser sensível é muito maior do que podia imaginar. E que pode usar essa característica para coisas incríveis e muito positivas.

Use sua sensibilidade para defender aquilo que você acredita. Use-a para olhar para as suas emoções e compreendê-las. Desenvolva a habilidade de criar coisas boas com sentimento. Ajude quando sentir que deve ajudar. Preste atenção em seu coração quando ele falar mais alto que a razão. Olhe para os seus erros e aprenda com eles. Transforme aquilo que te incomoda em força para mudar.

Sensibilidade não é fraqueza. Ser sensível é ter nas mãos um superpoder!

Tenho certeza de que não teria escrito quase 300 textos com reflexões sobre autoconhecimento e desenvolvimento pessoal nos últimos três anos se eu não fosse a pessoa extremamente sensível que sou. E tenho certeza que muitas das coisas boas que você já fez também estão relacionadas à sua capacidade de sentir intensamente.

Ser sensível ≠ ser fraco

Se você também é uma pessoa sensível, nunca se esqueça:

1) Sensibilidade NÃO é fraqueza. Muito pelo contrário: é uma força. Toda essa intensidade que existe dentro de você é um terreno fértil para desenvolver coisas lindas como a criatividade, a empatia, a compaixão, a observação, a reflexão e a capacidade de gerar mudanças positivas.

2) Assim como qualquer outra característica que uma pessoa pode ter, a sensibilidade tem seus lados bons e ruins. Enxergue o lado positivo de ser sensível e use isso de alguma forma que seja boa para você. Não ignore o lado negativo, porém não o exalte tanto a ponto de se esquecer que você tem um superpoder nas mãos.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Stephanie Gomes

Comente usando seu Facebook





18 Comentaram para “Ser sensível ≠ ser fraco”


G
1. Jorge Grey
26/09/2016 às 10:05

Oi Stephanie, bom dia.

Muito bom, como sempre.

Você disse que já escreveu quase 300 textos, né ?

Não seria interessante organizá-los em um livro ?

Material tem de sobra, não é mesmo ?

Você já tem um best seller semi pronto, bem aí no seu computador.

Já parou para pensar nisto ?

Tenha uma ótima semana.

Abraço,

Jorge Grey


G
2. Stephanie
04/10/2016 às 21:00

Oi Jorge! Eu tenho vontade de escrever um livro sim, mas gostaria de fazer algo novo, não usar os textos que já estão aqui no blog. Seguindo a mesma linha, claro 🙂 infelizmente por enquanto não tenho tempo de me dedicar a esse projeto, mas está nos meus planos!


G
3. Ticiana Paixão
26/09/2016 às 11:38

Olá !!! Faz um tempinho que não passo por aqui, mas sinto muita falta de ler seus textos. O lado bom que essa semana tenho muita matéria boa pra ver !!! =) Beijinhos


G
4. Stephanie
28/09/2016 às 06:39

Oi Ticiana! Que bom que voltou 🙂

Espero que goste dos posts novos!

Beijos


G
5. Yasmim Ramos
26/09/2016 às 12:43

Eu me senti extremamento tocada por suas palavras, FLOR! Tbm escrevo no meu blog sobre ESSES SENTIMENTOS QUE VIVEM EM MIM, que são tao difíceis de falar, mas Graças a Deus por poder escrever!! Por poder compartilhar algo que sei que alguém ai no mundo passa e sente o mesmo.. Essa sensibilidade.. Esse sentimentalismo que, vez ou outra nos passa a perna e transparece pro mundo ver (chorar em público sem conseguir se controlar.. E voce saber que todo mundo tá te olhando é um lado ruím) Mas se tem uma coisa que todos esses anos dessa INTENSA SENSIBILIDADE têm me ensinado, é que eu tenho sorte por poder colocar pra fora tudo aquilo que sinto, que as lágrimas são uma forma de expressão da alma da gente.. Que, se não conseguíssemos chorar quando algo nos incomodasse e aquilo se transformasse em rancor ou dureza de coração.. (Como voce disse “nos transformaria em uma pessoa amarga, insensível e egoísta” e isso sem sombra de dúvidas não gostariamos de ser)

OBRIGADA PELO TEXTO LINDO, PELAS PALAVRAS QUE ME CONFORTARAM <3

(www.yasmimramos.com.br)


G
6. Stephanie
04/10/2016 às 21:03

Oi Yasmim!

Que bom que as palavras te tocaram! Escrever é minha terapia e minha forma favorita de expressão também 🙂

Me identifico totalmente com o que você escreveu, é assim que sinto minha sensibilidade, com suas vantagens e desvantagens.

Beijos!


G
7. Jordana
26/09/2016 às 19:58

Tbm sou uma pessoa altamente sensível, e sofro por isso algumas vezes, principalmente pelas pessoas enxergarem essa nossa característica como ser “temperamental”, e esse termo ter uma conotação meio pejorativa. Mas é isso que vc disse, tudo tem seus prós e contras. A questão é saber equilibrar e enxergar a beleza de ser quem somos em toda nossa plenitude 🙂


G
8. Stephanie
04/10/2016 às 21:04

Siiim, Jordana, já fui muito chamada de temperamental também! Além de geniosa, “mole”, fria etc, etc, etc…

É isso mesmo, aceitação e equilíbrio!

Beijos!


G
9. Aryana
27/09/2016 às 13:53

Eu estava pensando sobre isso exatamente hoje rs..aí venho aqui e vejo esse texto!! Eu estava pensando: “preciso ser mais forte, não posso ser sensível assim…” o problema é q eu, muitas vezes, me deixo abater por coisas tão insignificantes..


G
10. Stephanie
28/09/2016 às 06:38

Que coincidência, Aryana! Espero que o texto tenha te ajudado de alguma forma 🙂

Beijos!


G
11. Thiago
28/09/2016 às 06:58

Vivo muito isso que você falou. Quando acontece algo que mexe comigo, imediatamente vem a auto repreensão pelo fato de eu ser “muito sensível”, como se apenas um momento de incomodo fosse capaz de “desbancar” o meu jeito de ser, e reforçar a frieza do mundo. Também tentei ser igual aos outros, mas a dor de não ser eu mesmo é muito maior do que os momentos de sensibilidade aflorada. Muito obrigado pelo seu texto! A questão é saber canalizar esse sentimento… Sou pisciano, será mesmo que sou mais sensível em razão do meu signo? heheheheh


G
12. Stephanie
04/10/2016 às 22:06

Thiago, perfeita sua colocação: “a dor de não ser eu mesmo é muito maior do que os momentos de sensibilidade aflorada”. É isso! Acho que essa é a pior dificuldade que podemos encontrar em nosso caminho, não nos sentirmos no direito de ser quem somos.

Piscianos são sensíveis mesmo haha, acho que tem a ver! Eu sou escorpiana, meu signo também sofre com essa intensidade nos sentimentos. Mas amo ser assim 🙂


G
13. André
28/09/2016 às 08:54

Complicado né Steph, essa sensibilidade toda. Para nós homens então, com essa sociedade machista e sexista, nem se fala! Quando eu era garoto meu pai não queria que eu chorasse, vê se pode uma coisa dessa?! Hehe Ainda bem que as coisas de um tempo pra cá vêm mudando, e que bom que elas mudam.

Mas ser sensível é muito mais que chorar, sabemos disso. São todas aquelas características que você elencou acima e se duvidar mais um pouco rs. Destaco duas: absorver energia, seja ela boa ou ruim, das outras pessoas; e não me sentir muito bem no mesmo ambiente onde estejam pessoas mal humoradas ou grosseiras.

Essas duas ‘qualidades’ são um verdadeiro sufoco pra mim, pois parece que me sugam sabe?! Entretanto, concordo que ser sensível tem seu lado bom sim, como tudo na vida. Afinal, se não fôssemos assim, talvez nem estivéssemos por aqui.


G
14. Stephanie
04/10/2016 às 22:10

Verdade, André, homens ainda têm que encarar mais essa questão quando o assunto é sensibilidade. Mas as coisas estão mudando sim, graças a Deus!

Das características que listei, essas duas que você destacou também são as que eu mais me identifico. E nossa, é difícil mesmo! Às vezes parece que consigo sentir até fisicamente a minha energia indo embora. Mas ainda acho que o lado positivo (e, principalmente, o uso que aprendi a fazer dele) supera essas dificuldades.

Obrigada por comentar 🙂


G
15. Marcela Coelho
04/10/2016 às 13:08

Você não sabe como esse texto falou comigo. Como ele me descreveu bem e como foi importante lê-lo no momento que estou passando. Muito obrigada por isso, Stephanie. <3


G
16. Stephanie
04/10/2016 às 22:03

Fico feliz demais em saber disso, Marcela! Que bom que meu texto se encaixou de alguma forma no seu momento <3

Espero ter te ajudado de alguma forma!

Beijos!


G
17. Anna Júlia
22/11/2016 às 01:15

Oi, Stephanie! Este é o meu primeiro comentário no seu site e gostaria de iniciá-lo agradecendo a você pela generosidade de escrever textos tão maravilhosos e profundos. Aprendi e aprendo muito a me conhecer através deles e hoje cheguei aqui justamente porque estava nutrindo um padrão de pensamento negativo que tenho, que é o de ficar imaginando o sofrimento das outras pessoas nas mais diversas situações, o que me faz sentir muito mal. Depois de ficar praticamente o dia inteiro angustiada pensando o que outras pessoas sentiram durante um momento de violência (porque essas notícias ocupam quase que todos os jornais), vim aqui ver se poderia ler algo que me ajudasse a lidar com isso e não deu outra! Haha Me identifiquei demais com este texto, pois sou extremamente sensível e já fui muito julgada por isso. Hoje já aceito bem essa característica e até me sinto privilegiada por tê-la, pois imagine como o mundo seria diferente se fosse algo intrínseco ao ser humano?
Agora já estou mais leve, pois me lembrei que o sofrimento alheio é algo que definitivamente não posso controlar e devo isso a você, porque essas são questões que passei a identificar e trabalhar depois de ler o seu site. Muito obrigada! Desejo tudo de melhor pra você sempre! <3


G
18. Stephanie
22/11/2016 às 21:46

Oi Anna Júlia!

Que bom que você identificou esse padrão de pensamento, esse é o primeiro passo para tomar consciência e transformá-lo.

Eu me sinto privilegiada também por ter esse “superpoder” que é a sensibilidade! Fico muito feliz em saber que meus textos te ajudaram a despertar <3

Muito obrigada pelo comentário tão carinhoso! Apareça mais vezes por aqui!

Beijos



Comentar

Nome:

Email:

Site/Blog: