24.10.16 • Em Autoconhecimento, Reflexão

Não, esse não é um texto sobre como cuidar da saúde do seu sistema digestório. É uma reflexão sobre como você vem digerindo tudo o que acontece na sua vida. As alegrias e os problemas. As pessoas que te agradam e as que te desagradam. As notícias boas e as ruins. As surpresas e os desafios. As ofensas e os elogios. Os alimentos que consome. As leituras que faz. A sensação de fazer algo que você gosta. A sensação de fazer algo que não gosta.

Além de observar a interpretação que você faz e a perspectiva com que olha para tudo isso, é importante se perguntar: como estou digerindo cada uma destas coisas?

Como anda a sua digestão?

Cheguei nessa reflexão depois de assistir a um vídeo da Laura Pires em que ela explica que o Ayurveda (a medicina milenar da Índia) entende que mais importante do que o que você ingere (alimentos, informações, situações, palavras, experiências…) é a forma como você digere tudo isso. Mesmo o alimento mais nutritivo, se não for bem digerido pelo seu corpo, não te fará bem. A informação mais positiva, se não for bem recebida, não será boa para você. Assim como uma situação pode parecer valiosa em um contexto geral, mas individualmente depende da forma como cada um de nós a recebe internamente.

Dentro de você, como cada coisa que acontece na sua vida é digerida? Quando recebe um elogio, como é que o seu corpo, a sua mente e as suas emoções reagem? E quando recebe uma ofensa?

Como você digere a sensação de praticar um de seus hobbies? Dentro de você, essa sensação pode ser digerida de forma leve, com prazer, alegria, presença, paz, fluidez. Mas também pode ser que você esteja digerindo esse momento de forma pesada, com culpa (porque deveria estar fazendo outra coisa), com pressa, com ausência.

Como você digere um desafio inesperado que precisa enfrentar? Com ansiedade, desespero, pessimismo e respiração acelerada? Ou você respira fundo algumas vezes, compreende que existe um motivo para aquilo estar acontecendo e adota uma atitude equilibrada para que possa fazer o que está ao seu alcance?

Como você digere as coisas desagradáveis que aquela pessoa do seu convívio diz? Pega o que ela disse e fica remoendo dentro de si por horas (ou dias, semanas…), fica com raiva e vontade de se vingar, sente seu estômago embrulhar? Ou se conecta com a sua verdade, lembra-se de quem você é e consegue não se identificar com as coisas negativas que ela diz?

E como você digere as coisas agradáveis que as pessoas te dizem? Se sente feliz e grato quando recebe um elogio? Abre seu coração e sua mente para palavras positivas? Ou ignora, esquece rápido e não vê valor nisso?

Como anda a sua digestão?

Entender como estamos digerindo aquilo que se passa em nossas vidas é um importante exercício de autoconhecimento porque com essa compreensão conseguimos perceber o que é que precisamos trabalhar em nós, seja para mudar totalmente ou para encontrarmos uma forma de aceitar as coisas e as pessoas como elas são.

Quando você entende que a forma como você digere é mais importante do que o que você ingere, fica mais fácil chegar à aceitação e ao melhor comportamento que você pode ter diante daquilo que te incomoda. Ao mesmo tempo, a sua capacidade de aproveitar e viver as coisas boas também passa a fluir. Quando você consegue ver com clareza o que acontece dentro de você, finalmente para de negar o presente e passa a entender melhor o por quê de cada coisa que acontece externamente. E essa clareza te aproxima da possibilidade de lidar da melhor maneira com cada situação.

Comece então a perceber como é que você está digerindo situações, conversas, experiências, novidades, atividades, informações… tanto as boas como as ruins. Para ficar mais fácil e para que consiga fazer esse exercício com mais frequência, ao invés de começar fazendo uma reflexão longa e complexa, você pode pensar em palavras-chave que definam como está digerindo cada coisa. Por exemplo, quando receber um conselho de alguém, escolha algumas palavras que te mostrem como está digerindo esse conselho: incômodo, desconfortável, ofensivo, leve, pesado, possível, impossível, negação, abertura, válido, inválido, fácil, difícil… Depois pergunte-se: é assim que quero digerir isso? Eu poderia digerir de outra forma? Por que estou digerindo isto assim? E outras perguntas que achar válidas para te ajudar a entender como você lida e de que outras formas poderia lidar com aquela situação.

Que tal começar agora mesmo a praticar esse exercício de autoconhecimento? Observe como você se sente em relação a esse texto. Como você está digerindo essas informações que acabou de ler? Elas fizeram sentido para você? Como está se sentindo agora? Essa leitura te incomodou, fez você despertar para algo ou não te causou efeito nenhum?

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Stephanie Gomes

Comente usando seu Facebook





10 Comentaram para “Como anda a sua digestão?”


G
1. Anônimo
24/10/2016 às 17:25

Olá Stephanie, infelizmente minha digestão vai de mal a pior. Não sei como receber elogios (fico sem reação) e não consigo reagir a “ofensas” de pessoas ignorantes que infelizmente somos “obrigados” a conviver na sociedade (principalmente em ambiente de trabalho). Não respondo por não querer ser rotulada como “sem educação” mas depois passo dias remoendo e refazendo a cena na cabeça, pensando como eu deveria ter reagido e respondido. Isso já vem me fazendo mal a algum tempo, e sozinha já não consigo mais achar as respostas. Marquei uma consulta essa semana com um psicólogo, na esperança de conseguir resolver essa questão interna e então conseguir externizar minhas insatisfações e então encontrar a paz interior, essa sempre tão almejada por mim e acho que por todos. Beijos, seu blog é fabuloso.


G
2. Ana Caroline
24/10/2016 às 20:46

Novamente, na hora certa! Obrigada pelo texto <3


G
3. Stephanie
24/10/2016 às 21:22

Coisa boa, Ana Caroline! <3


G
4. Jéssica
25/10/2016 às 06:29

Que boa reflexão! Às vezes me pego vivendo no automático e percebo que deixo de lado exercícios como esse. Obrigada por mais um texto de luz! 🙂


G
5. Stephanie
26/10/2016 às 06:35

Que bom que gostou, Jéssica! Espero que o exercício te faça bem <3

Beijos!


G
6. Bruna
25/10/2016 às 16:23

Muito bom!!!!!!!!


G
7. Alessandra Zechin Nascimento
26/10/2016 às 13:39

Olá Stephanie! Mais uma vez, obrigada pela postagem que cabe certinho…rs. Tenho enfrentado essa situação e exercitando o aprendizado… Beijim


G
8. Stephanie
28/10/2016 às 06:34

Que bom que o post te serviu, Alessandra! Seguimos exercitando e aprendendo 🙂

Beijos


[…] Como anda sua digestão? (Não a de comida) […]


G
10. Jordana
31/10/2016 às 20:51

Veio em boa hora essa reflexão. Excelente convite feito por você! Gratidão! 😉



Comentar

Nome:

Email:

Site/Blog: