Insatisfação profissional é uma das questões mais recorrentes atualmente. Ao contrário do que algumas pessoas pensam, isso não é exclusividade dos mais jovens, rotulados como geração y, z ou Millennials. Eu vi acontecer comigo, vejo acontecer com pessoas que conheço e com leitores do blog de todas as idades, e também tem sido um tema muito discutido lá no Clube dos Desassossegados, com pessoas de 20 a mais de 50 anos dizendo que estão insatisfeitas na carreira e querem mudar.

Apesar de estarmos falando de insatisfação, eu vejo algo bastante positivo nisso. As pessoas não estão mais acreditando que estão presas a uma carreira para sempre. Estão questionando e se dispondo a mudar aquilo que não lhes faz bem. Querem amor, significado, valor, motivação e resultados positivos para o mundo e para as pessoas, e não mais apenas o dinheiro.

Por outro lado, é claro que essa questão, enquanto não solucionada, traz dúvidas, angústia, medo e ansiedade, principalmente para quem ainda não conseguiu descobrir o que quer fazer como profissão. Para ajudar quem está passando por isso, selecionei algumas perguntas que podem ajudar a encontrar um direcionamento:

O que você sempre volta a fazer?

Sabe aquela atividade que você faz por um tempo (sozinho, com amigos, em um curso) e por algum motivo para, mas depois de um tempo acaba encontrando uma forma de voltar a fazer? Tem um sinal bem claro aí de que você ama fazer isso! Será que isso indica alguma direção? Reflita!

O que você faz no seu dia a dia que não são obrigações?

Tira fotos bonitas, edita e monta álbuns? Inventa ou testa receitas novas na cozinha? Cuida de plantas? Se maquia e cuida do cabelo? Escreve? Desenha? Brinca com crianças? Dança? Faz trabalho voluntário? Pratica esportes?

Olhe para os seus hobbies e as atividades que faz sem esforço e aprofunde seu olhar sobre elas. É possível que essas atividades contenham informações preciosas (mas não necessariamente óbvias) sobre você. Analise.

O que você amava fazer quando era criança?

Não acredito que seja regra que algo que você amava fazer na infância vai amar fazer também quando adulto, mas pensar sobre o assunto pode te ajudar a ter as ideias. Lembre-se do que você adorava brincar quando era criança, sem julgamentos. É possível que você encontre um direcionamento fazendo esse exercício, ou pelo menos algo para refletir sobre – eu ainda gosto de fazer isso? O que mudou? O que não mudou? O que isso mostra sobre a minha personalidade?

O que você gosta ou gostaria de fazer para outras pessoas?

Trabalhar é servir. Tenha em mente que sim, é importante que seu trabalho te faça feliz, mas o objetivo do trabalho é fazer algo de bom e útil para as outras pessoas. Com isso claro, pense: o que você sente satisfação em fazer pelos outros? Adora cozinhar e ver as pessoas apreciando a sua comida? Gosta de ajudar e estar na companhia de idosos ou crianças? Sente prazer em ensinar? Gosta muito de fazer as pessoas rirem? Adora ajudar a criar estratégias para resolver problemas? Ama fazer com que as pessoas se sintam bonitas? O que você gosta de fazer pelos outros?

Em quais ferramentas de transformação você acredita? 

Quais são as “armas” que você acredita que são mais poderosas para mudar o mundo para melhor? A justiça? A comunicação? O amor? A autoestima? A alegria? A organização? A tecnologia? A saúde?

Eu acredito muito no poder das palavras. Durante toda a minha vida aprendi muito através de livros e leituras, e penso que por isso me encaminhei para a faculdade de Jornalismo, criei esse blog (e tive vários outros antes dele) e gosto tanto de escrever. Eu acredito que a comunicação e o acesso à informação podem mudar o mundo.

O que você acredita que é importante melhorar na vida das pessoas para tornar o mundo um lugar melhor? Responda e depois pense em possibilidades que te permitiriam realizar com isso.

O que você gosta que as pessoas te peçam para fazer?

Essa é uma pergunta que pode te trazer insights bem interessantes! Sabe quando alguém te pede algo e você faz com todo o prazer? Eu, por exemplo, adoro quando alguém me pede para revisar textos!

É legal também pensar nas coisas que você não gosta que te peçam: eu detesto quando em pedem pra consertar alguma máquina, por exemplo, mas conheço quem adora fazer isso.

Você adora quando alguém te pede para ensinar matemática/português/inglês/história? Ama quando te pedem para você cuidar de uma criança ou de um animal de estimação? Fica feliz quando te pedem para organizar um espaço? O que você faz com prazer e boa vontade quando te pedem para fazer?



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Stephanie Gomes

Comente usando seu Facebook





2 Comentaram para “6 reflexões que vão te ajudar a descobrir o seu caminho profissional”


G
1. Rosana
01/06/2017 às 07:39

Muito legal o seu post, gostei dos passos que você citou.
A insatisfação profissional acaba com a produtividade e com a motivação….

Abraços,


[…] 6 reflexões que vão te ajudar a descobrir o seu caminho profissional ~ Desassossegada […]



Comentar

Nome:

Email:

Site/Blog: