09.01.17 • Em Yoga

Como já contei aqui algumas vezes, estou fazendo um curso de formação em Yoga, e nesse curso nós aprendemos o Yoga que vai muito além das posturas (ásanas). Minha visão sobre o Yoga já mudou completamente, e eu estou só no 6º mês de curso (são 22).

Yoga é um estilo de vida baseado em alguns princípios que têm como objetivo a libertação (moksha) e a expansão da consciência (samadhi). Muita gente conhece o Yoga apenas como a prática de posturas, mas na verdade as posturas são apenas uma das formas de cuidar da saúde do corpo e treinar a auto-observação que é necessária para a prática dos princípios.

Os princípios são divididos em yamas (princípios morais, aquilo que você tem que restringir, controlar) e nyamas (princípios de autopurificação, aquilo que é bom e você precisa fazer um esforço para desenvolver).

Infelizmente, a maioria das escolas de Yoga ensina apenas as posturas, as técnicas respiratórias (pranayamas), o relaxamento (yoga nidra) e a meditação (dhyana), e deixam o aprofundamento na filosofia de lado. Como sei que muitos leitores do blog praticam ou se interessam pelo Yoga, resolvi explicar de forma resumida os princípios desse estilo de vida.

Os 10 princípios do Yoga e como aplicá-los na sua vida

Yamas

Ahimsa – não-violência

Não gerar violência no mundo, não ser violento com o outro e não ser violento com você mesmo. É por isso que quem segue os princípios do Yoga geralmente não consome carne, mas o ahimsa não se trata apenas disso. É não ser violento no falar, no agir, no pensar, e também na prática das posturas tomar cuidado para não machucar o seu corpo. A não-violência começa em você, em não se maltratar e em não se causar sofrimento e dor, e então se estende para os outros seres e a natureza.

Não fazer comentários destrutivos, não alimentar pensamentos pessimistas e críticos, não exceder os limites do seu corpo de forma que te causem dor e pensar nas consequências das suas ações antes de agir é uma boa forma de começar a inserir o princípio do ahimsa no seu dia a dia.

Satya – verdade

Não mentir para si mesmo e não mentir para os outros. Tudo no Yoga requer auto-observação, e o princípio da verdade pede MUITA observação de si mesmo porque nós estamos super acostumados a mentir, tanto mentiras “pequenas” como mentiras “grandes”. É algo que consideramos tão normal que nem percebemos que fazemos com tanta frequência, mas quanto mais mentimos para os outros e para nós mesmos, mais nos afastamos da consciência da verdade sobre todas as coisas.

Comece a observar as suas conversas, o que você escreve na internet, como você se mostra para os outros e como vê a si mesmo. Está sendo verdadeiro? Está sendo honesto? Traga para a consciência tudo aquilo que é mentira nas suas ações, na sua fala e na sua mente e se proponha o desafio de pensar e agir de uma nova forma, baseado na verdade.

Asteya – não roubar

Não se aproprie do que não é seu. Coisas, ideias, tempo, direitos do outro… Não pegue aquilo que é do outro e não foi lhe dado. Cuide dos seus impulsos de se apoderar do que não é seu e seja justo. Quando você rouba, além de estar sendo injusto com o outro, não supre a sua carência, pois no fundo você sabe que aquilo não te pertence.

Aparigraha – desapego

Entender que nada nesse mundo é seu, tudo é emprestado. Não significa que para ser feliz você precisa banir totalmente os desejos materiais, mas não viver apenas para conquistar e acumular (o que causa uma insatisfação infinita) e também não carregar esse sentimento de posse e apego em relação a coisas e pessoas.

Observe o quanto você é apegado e também se não está “viciado” em apenas querer, querer e querer ter mais, mas nunca se sentindo satisfeito. E cuidado com o quanto alimenta pensamentos e sentimentos de posse e ganância.

Brahmacharya – controle dos impulsos sexuais

Não significa que você deve se abster de relações sexuais, mas sim entender que a energia sexual é um bem sagrado, por isso você deve ter cuidado com quem divide essa energia. Seu corpo é um templo, então preze por ele e tenha cuidado com você mesmo ao escolher com quem se envolve. A busca incessante por esse tipo de prazer externo sem discernimento pode ser um sinal de que você está afastado de si mesmo, preste atenção a isso também.

Os 10 princípios do Yoga e como aplicá-los na sua vida

Nyamas

Saucham – pureza

Esse princípio fala sobre manter-se o mais limpo possível. Ter precaução em relação aos alimentos que consumimos, às informações que recebemos, às energias que absorvemos, ao tipo de entretenimento que procuramos no nosso dia a dia, à nossa higiene, ao tipo de emoção que carregamos… É tomar cuidado com as “sujeiras” que deixamos entrar na nossa vida e na nossa mente e buscar mais daquilo que é puro, bom e positivo.

Sempre que notar que algo que não te faz bem está à sua volta ou dentro de você, procure pelo seu oposto. Se notar um pensamento negativo, busque pensar o seu oposto. Se estiver assistindo a algo na TV que não faz você se sentir bem, procure um canal que esteja passando algo que te transmita coisas boas. Use sua vontade e poder de escolha para buscar aquilo que é bom.

Tapah – disciplina

O Yoga acredita que ter disciplina é sinônimo de ter liberdade. Porque essa disciplina não é sobre seguir exigências rígidas, mas sobre ter o controle de si mesmo para sempre tomar a atitude mais adequada. É ter determinação para persistir naquilo que é bom, em relação a tudo na vida.

A disciplina, a força de vontade e a persistência são as virtudes que te levam à realização.

Santosha – contentamento

É o desenvolvimento da capacidade de aceitar o momento presente e sentir-se satisfeito com a sua situação atual. Não significa se acomodar, mas sim saber dar valor ao que você já tem ao invés de ficar pensando no que te falta.

Swadhyaya – auto-estudo

Observar a si mesmo, estudar o seu funcionamento. É constantemente se perguntar: como eu funciono? Como eu me relaciono com as pessoas? Quais são as minhas tendências? É buscar a sabedoria maior, que é conhecer a si próprio, através da observação de si mesmo e da reflexão.

Ishvara pranidhana – entrega

É exercitar a entrega, entregar-se à vida. É ter a capacidade de confiar e acreditar que tudo está em ordem, que tudo o que existe e acontece tem um propósito. É fazer o melhor que você pode e confiar no fluxo da vida, sabendo que nem você nem ninguém tem o controle de tudo o que virá, mas conseguir confiar mesmo assim. É ter fé e saber que tudo está exatamente onde deve estar.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes


Alguma vez você já se pegou “brigando” com a sua personalidade? Já quis ser diferente de quem você é para se encaixar e tentou forçar uma atitude que não combina com você?

Se sim, você já percebeu como isso não te faz bem e como é difícil sustentar uma atitude que não condiz com quem você é?

Eu já passei por isso e descobri como é frustrante tentar se encaixar em um padrão ou ideal.

Nesse vídeo, contei como consegui sair desse ciclo destrutivo de não me permitir ser eu mesma e por que é tão bom a gente ser quem realmente é.

 

Inscreva-se no canal!

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

02.01.17 • Em Atividades

Feliz Ano Novo, desassossegados!!!!

Que delícia começar mais um ano escrevendo aqui no blog e compartilhando coisas boas com vocês! Eu tô com muitos planos e ideias para esse ano, então aguardem muitas surpresas e novidades!

Aproveitando que estamos todos animados, renovados e cheios de disposição, resolvi compartilhar uma lista de ideias de desafios legais para a gente escolher um (ou mais) para fazer esse ano. São desafios com o objetivo de nos lembrar de valorizar as coisas simples da vida, agradecer, experimentar coisas novas, praticar a positividade, desenvolver habilidades e nos divertir!

11 desafios legais para 2017

Uma experiência nova por mês

Uma vez por mês, faça algo que você nunca fez antes. Eu fiz esse desafio em 2014 e foi muito legal! Lembro que fiz stand up paddle pela primeira vez, comecei a praticar yoga, viajei para Monte Verde (MG), fui ao cinema sozinha, visitei pontos turísticos de SP que nunca tinha ido… Não precisa ser algo grandioso ou que te dê muito trabalho, apenas faça uma atividade que nunca fez ou vá a um lugar que nunca foi. Pense naquelas coisas que você tem vontade de fazer e ainda não fez e planeje-se para fazê-las no decorrer do ano. Colocando a meta de fazer uma por mês, fica mais fácil definir seu objetivo e realizá-lo.

Um hábito novo por mês

Escolha um hábito positivo para colocar em prática todos os dias durante um mês. Pode ser meditar dez minutos por dia, fazer 30 minutos de exercícios físicos todos os dias, um mês sem consumir algo que é prejudicial à sua saúde… você escolhe! Quem sabe daí não surge um novo hobby ou hábito que você vai levar para sempre?

Enfrentar um medo por mês

Acho essa ideia incrível! Faça uma lista dos seus medos e escolha todo mês um deles para ser enfrentado. Medos grandes, medos pequenos, qualquer medo que você tenha e que gostaria de não ter. De pular de pára-quedas, de dirigir, de andar de avião, de ir ao médico, de usar panela de pressão, de puxar assunto com alguém, de altura, de falar em público, de fazer alguma mudança…

Uma foto por dia

Nós estamos sempre com nossos celulares que tiram foto à mão, então não vai ser difícil nem dar muito trabalho. Apenas fotografe uma coisa boa que aconteceu no seu dia. Pode ser o céu bonito que você viu no fim da tarde, o livro legal que está lendo, algo que você comprou, uma comida gostosa que comeu, uma cena inspiradora que viu… você vai começar a perceber que, por mais que alguns dias sejam difíceis, todo dia tem algo bom. E quando chegar no fim do dia e você não tiver tirado nenhuma foto, é um bom motivo para se lembrar de fazer algo que te deixe feliz (e fotografar isso!). Ao final de cada mês, você pode pegar as fotos que tirou, montar um álbum e rever as fotos, para relembrar e agradecer pelas coisas boas que a vida te proporcionou.

Desafio: Uma foto por dia

Escrever uma agenda/diário

Todo ano eu compro uma agenda e todos os dias escrevo nela as coisas boas que aconteceram no meu dia. Tem dias que não tenho nada de muito interessante para escrever, mas escrevo algo mesmo assim. Acho que é uma lembrança muito legal de ter e também uma forma de me expressar, desabafar e entrar em contato com as minhas emoções. Também gosto de, todo final de mês, reler o que escrevi nos últimos 30 dias e fazer uma lista das coisas boas que aconteceram. E todo final de ano eu pego a agenda e leio o que escrevi durante todo o ano, para me lembrar das coisas boas que vivi e agradecer por elas.

O potinho das coisas boas

Esse eu também faço todo ano. Toda vez que algo bom acontece, eu escrevo em um papelzinho, anoto a data e coloco em um potinho. Quando bate o desânimo, eu pego o potinho e leio os papeizinhos pra me lembrar de quantas coisas boas já aconteceram. É ótimo para exercitar a gratidão!

Fazer uma coisa diferente por semana

Tire uma ou duas horas da sua semana para fazer algo simples que nunca tenha feito. Pode ser cozinhar uma receita nova, puxar conversa com uma pessoa com quem nunca conversou ou ver um filme de um gênero que nunca assistiu, por exemplo. Conhecer coisas novas é a melhor forma de expandir seu campo de possibilidades e descobrir coisas interessantes sobre você mesmo e sobre o mundo.

Aprender x coisas novas no ano

Fica a seu critério quantas coisas serão, mas é muito legal colocar na sua lista de resoluções o objetivo de aprender uma, duas, três ou mais coisas novas durante o ano. Pode ser cozinhar, costurar, tocar um instrumento, fotografar, usar o photoshop, dançar… e você pode se organizar para aprender fazendo um curso, vendo vídeos na internet ou com algum amigo que saiba e possa te ensinar. O que você tem vontade de aprender?

Aprender x coisas novas no ano

Criar um blog ou canal sobre um assunto que você adora

Você tem vontade de contar para as pessoas o que sabe sobre um assunto? Ensinar outras pessoas a fazerem algo que você sabe? Compartilhar coisas legais que você adora? Encontrar pessoas que se interessem por algo que te interessa para trocar informações e experiências? Sou suspeita pra falar, mas é maravilhoso ter um blog ou canal (ou os dois) na internet para falar sobre as coisas que a gente ama. Se você tem vontade, crie! Você não precisa fazer isso de forma profissional se não quiser, apenas compartilhe suas ideias, divulgue para pessoas que podem se interessar, abra espaço para elas opinarem e divirta-se!

Oferecer uma ajuda por mês

Você quer um mundo melhor para viver em 2017? Eu também! Então vamos fazer algo para que isso aconteça? Uma vez por mês, ofereça alguma ajuda a alguém que necessite. Você pode fazer uma doação a uma instituição, oferecer um pouco do seu tempo, ensinar algo que você sabe a alguém, doar sangue…

Caderninho da gratidão

Anote todos os dias em um caderninho os motivos pelos quais você é grato hoje. Faça isso todos os dias por um período, que pode ser uma semana, 15 dias, um mês, o ano todo… você quem sabe. Defina qual será o desafio e experimente praticar a gratidão dessa forma. Qualquer exercício de reflexão fica melhor e mais intenso quando você escreve. Experimente fazer isso e veja os efeitos na sua vida.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

26.12.16 • Em Reflexão

Todo fim de ano é a mesma coisa: todo mundo dizendo que o ano que passou foi terrível, que querem que ele acabe logo, que esperam que o ano seguinte seja melhor porque este foi ruim demais…

Apesar de algumas coisas bem indesejadas terem acontecido na minha vida em 2016 e de eu estar ciente de que realmente foi um ano cheio de notícias ruins sobre o nosso país e o mundo, procuro não cair nessa armadilha de dizer que o ano foi horrível e que quero esquecê-lo.

Eu não quero esquecer nada. Não quero esquecer que fiz duas viagens incríveis e que realizei um grande sonho. Não quero esquecer que em 2016 tive a oportunidade de começar dois cursos maravilhosos que há tempos eu sonhava em fazer (Naturopatia e Yoga). Não quero esquecer os lugares legais que fui. Não quero esquecer as conquistas que obtive. Não quero esquecer os sorrisos e as risadas que dei. Não quero esquecer os livros ótimos que li, as coisas positivas que aprendi, as pessoas legais que conheci.

E também não quero esquecer os problemas financeiros que chegaram em 2016 aqui em casa. Não quero esquecer que nesses últimos meses do ano aconteceram vários problemas, um atrás do outro. Não quero esquecer as brigas que tive com pessoas que amo. Não quero esquecer as minhas crises de ansiedade. Não quero esquecer as metas que não cumpri. Não quero esquecer as dificuldades que enfrentei nem os motivos que me fizeram sofrer.

Essa é a minha vida! Não quero esquecer de nada, nem fingir que algo não aconteceu, nem ignorar os meus problemas, nem deixar que as coisas boas sejam encobertas pelas coisas ruins.

O que esperar de 2017?

Um ano tem 365 dias. São muitos dias! Não dá para esperar que todos os dias de um ano inteiro sejam perfeitos, afinal, nós não somos perfeitos. O que podemos fazer é nos dispor a dar o nosso melhor a cada dia e nos relacionarmos da melhor forma possível com o nosso momento presente.

Eu não entendo nada de previsões do futuro, mas tenho algumas certezas: em 2017 eu vou ter muito o que aprender, vou ter que trabalhar a minha aceitação e me esforçar para manter o pensamento positivo, vou encarar novas dificuldades e problemas, vou chorar, vou sentir emoções indesejadas. Assim como também tenho certeza de que vou ter muitos momentos de alegria, vou ser presentada com novas oportunidades, vou alcançar novos objetivos e vou sentir e viver coisas muito boas.

Porque todo ano é assim: imperfeito. Porque nós somos assim: imperfeitos. Essa é a vida: imperfeita! Mas bela, interessante, divertida e maravilhosa na sua imperfeição.

O que esperar de 2017?

Então, o que esperar de 2017?

Eu não sei o que vai acontecer na política.
Eu não sei o que vai acontecer na economia.
Eu não sei o que vai acontecer na minha cidade, no meu país.
Eu não sei o que vai acontecer na minha casa, nos meus relacionamentos, no meu trabalho.

Eu não tenho como saber o que esperar das coisas externas.

A única coisa que eu sei é o que eu espero de mim.

Eu espero me alinhar mais com os meus objetivos. Espero me dedicar àquilo que é importante para mim. Espero me abrir mais para as pessoas. Espero continuar dedicando um tempo só para mim todos os dias. Espero fornecer menos energia ao que não me faz bem e mais energia ao que me faz feliz. Espero me autoconhecer mais. Espero ter disposição para recomeçar quantas vezes for necessário. Espero permitir e libertar as minhas emoções. Espero ser e viver a minha verdade. Espero expandir minha consciência. Espero enxergar e diluir os meus bloqueios. Espero aprender com meus erros. Espero encarar os meus medos. Espero transcender meus limites.

O que eu espero de 2017 é o que eu espero de mim. O que vai acontecer no meu 2017 está nas minhas mãos. Eu aceito a responsabilidade de criar o meu ano. Eu sei que sou responsável pelo que vai acontecer na minha vida ano que vem. 2017 é o MEU ano! Assim como todos os anos que eu vivo são MEUS anos, porque sou eu quem os crio.

E você, o que você espera do seu 2017?

Ou melhor…o que você espera de você em 2017?

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

22.12.16 • Em Felicidade, Reflexão, Vídeos

Já ouviu alguém dizer que não devemos buscar a felicidade, e sim esperar que ela nos encontre? Eu discordo totalmente disso, porque acredito que a felicidade é um estado ativo, não passivo. Mas existem duas formas de entender essa questão.

Assista ao vídeo para conhecer duas perspectivas diferentes sobre a pergunta: devemos buscar felicidade? E depois me conta o que você pensa sobre esse assunto!

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes