18.04.17 • Em Autoestima, Relacionamentos

O ser humano é um ser social. Em todas as áreas da vida (no trabalho, na família, no lazer, na saúde, nos estudos…) de alguma forma estamos envolvidos com outras pessoas, e estes relacionamentos afetam a nossa felicidade.

Escolher bem os amigos e pessoas com quem você convive é uma forma de autocuidado.

Mas existe um outro relacionamento que também é muito importante para a felicidade, e que influencia todas as áreas da sua vida: o seu com você mesmo. E uma boa maneira de melhorar esse relacionamento é agir com você da mesma forma que você gostaria que um amigo agisse.

O que um bom amigo faz por você? Te escuta, te consola, te motiva, te oferece palavras positivas, te mostra a verdade?

Então que tal você começar a fazer isso por si mesmo também e tornar-se o melhor amigo de si mesmo?

Diga a si mesmo o que você gostaria que alguém te dissesse

Você gostaria que alguém te dissesse que essa situação difícil vai passar, que você é capaz e que tudo vai dar certo? Já tentou você mesmo se dizer isso?

Queria que alguém olhasse para você e te mostrasse onde estão suas forças, as suas habilidades e a sua luz? Olhe para si e veja!

Gostaria de ter alguém ao seu lado te dizendo a verdade ou te incentivando a continuar? Sua própria voz interna pode fazer isso!

É ótimo ter alguém que nos diga coisas positivas, mas você também pode fazer isso por você.

Abra-se com você mesmo

Ter alguém com quem desabafar é muito bom, mas sabemos que nem sempre as pessoas estão disponíveis.

Quando você se torna amigo de si mesmo, descobre que pode você mesmo ser o seu ombro amigo.

Do mesmo jeito que você pergunta a um amigo querido como ele está e escuta sua resposta com atenção, faça isso por você. Pergunte-se como você está se sentindo, adquira consciência das suas emoções e se permita dizer, pensar ou escrever como se sente com toda a sinceridade. Coloque para fora e expresse suas emoções com você mesmo, da forma que achar melhor.

Aprecie a sua companhia

Amigos apreciam a companhia uns dos outros, certo? Por que você não poderia então apreciar a própria companhia?

Seja uma boa companhia para você! Invente programas legais para fazer, ria das suas próprias bobagens, seja espontâneo, divirta-se!

Ofereça amor a si mesmo

Queira o seu bem, torça por você, preocupe-se com você, cuide-se, admire-se, motive-se. Bons amigos enchem uns aos outros de carinho e energias positivas. É bom receber todo esse amor de outras pessoas, mas também é incrível dar todas essas coisas boas a si mesmo.

Como você pode ser mais amoroso com você? O que pode fazer por você mesmo para manter o seu astral lá em cima? Faça!

Pratique seus próprios conselhos

Que bom conselho você daria para um amigo muito querido que estivesse na situação que você está agora?

Dê o mesmo conselho a si mesmo e nada de “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”. Coloque em prática as coisas boas que você estimula os outros a fazerem.



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

17.04.17 • Em Atividades, Bem-estar

Eu sou uma grande fã de rituaizinhos rápidos de bem-estar. Eles são uma “carta na manga” para prevenir o stress, nos reequilibrar e evitar reações indesejadas em momentos de tensão.

Sempre que preciso, recorro aos meus já conhecidos truques para me sentir melhor, mas gosto também de ter alguns rituais que se misturam diariamente à minha rotina, e os faço mesmo quando não estou em um estado negativo. Acho que é até mais poderoso colocá-los em prática quando estou me sentindo bem, porque potencializa ainda mais o meu bem-estar e a positividade.

Você pode recorrer a rituais de bem-estar a qualquer hora, mas logo após acordar é um ótimo momento para fazer algo de bom para você. Começar o dia com um agrado para si pode transformar completamente a forma como você vai encarar as atividades do seu dia.

Que tal escolher pelo menos uma das opções para implementar nas suas manhãs?

1) Sente-se em silêncio por dois minutos

Se você sai correndo cada vez que ouve alguém recomendar que você medite, saiba que não precisa necessariamente entrar em um estado de iluminação espiritual para obter bem-estar. Apenas sente-se na sua cama, relaxe e respire pelo nariz bem devagar. Dois minutos, é tudo o que você precisa.

2) Defina sua intenção para o dia

Como você quer se sentir hoje? Tranquilo? Animado? Realizado? Determinado? Defina qual é a sua intenção para o dia de hoje. Imagine-se vivendo essa intenção. Lembre-se de dias em que se sentiu assim. Deixe essa intenção bem clara para você e então comece seu dia alinhando seus pensamentos, suas atitudes, sua postura, seu ritmo, sua atenção e suas palavras de acordo com essa intenção.

3) Abra a janela e ative os sentidos

Abra uma janela e olhe para fora. Veja como é grande o mundo, como é bonito e misterioso o céu. Sinta o toque do vento e o calor do sol no seu rosto. Apure os ouvidos e escute os sons. Sinta os cheiros. Aprecie. Esses poucos segundos ou minutos de presença são suficientes para você começar o dia bem melhor. Se quiser prolongar a sensação, continue prestando atenção no que está fazendo ao escovar os dentes, trocar de roupa, arrumar a cama, comer…

4) Faça uma lista do que precisa fazer

Pegue papel e caneta e anote em uma lista as tarefas que quer cumprir no dia. Escolha a ordem em que as fará e decida que começará e terminará cada uma delas, uma por vez. Determine prioridades e só então comece. Começar seu dia de forma organizada vai te proporcionar foco e te poupar de muito stress.

5) Leia algo que te motive

Você pode deixar um livro inspirador ou um caderno com frases que gosta ao lado da cama, ou procurar textos inspiradores na internet para ler pela manhã. Comece seu dia com palavras positivas que te dão força e inspiração para seguir em frente.

6) Coma ou beba algo leve

Comer alimentos pesados logo pela manhã é garantia de mal-estar durante boa parte do seu dia. Escolha algo leve, gostoso e saudável. Aprecie o ato de comer e a sensação gratificante de estar nutrindo seu corpo e fazendo bem para a sua saúde.

7) Faça afirmações

Escreva algumas afirmações que fazem sentido para você em um papel e deixe-o em algum lugar para onde irá olhar todas as manhãs (no espelho, na porta do armário, na geladeira…). Leia as frases e repita para si mesmo várias vezes aquela que faz mais sentido para você naquele dia, aquela que diz o que você mais precisa.

8) Cuide com carinho do seu exterior

O que faz você se sentir bonito(a)? Usar um perfume que adora, a sua peça de roupa favorita, um pouco de maquiagem? Não economize, use! Por que não? Todo dia é um dia especial, todo dia é dia de agradar a si mesmo e todo dia é dia de se sentir incrível. Sinta-se lindo(a)!

9) Faça um exercício de respiração antes de levantar

Ao acordar, continue deitado. Coloque as mãos sobre a barriga e faça uma respiração abdominal: inspire inflando o abdômen e expire murchando-o. Você sentirá suas mãos subindo e descendo. Faça essa respiração lentamente algumas vezes e veja a sensação ruim se dissolver.

10) Acorde seu corpo

Faça pequenos movimentos lentos e delicados que vão ajudar seu corpo a acordar de forma agradável. Espreguice os braços e as pernas, mova o pescoço para os lados. Aperte gentilmente alguns pontos nos pés, nas mãos, nos ombros e nas pernas. Movimente as articulações dos pulsos, tornozelos e mãos. Você vai despertar de forma muito mais tranquila e agradável.



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

12.04.17 • Em Relacionamentos, Séries

13 Reasons Why, a série mais comentada das últimas semanas, merece o destaque que está recebendo. Os assuntos que ela aborda são delicados – adolescência, bullying, suicídio -, mas precisam ser expostos e discutidos.

O seriado conta a história de Hannah Baker, uma adolescente em idade escolar que se suicidou após uma série de episódios de bullying, humilhação e solidão. Hannah deixou uma caixa com 13 gravações em fitas explicando o que a levou a cometer suicídio. Cada fita conta como 13 pessoas tiveram participação no processo que a levou à morte.

Os primeiros episódios parecem um filme adolescente qualquer, mas ao finalizar a temporada você percebe que todo o desenvolvimento da história foi muito bem pensado. O assunto é complicado, triste e, infelizmente, real. O último episódio é muito chocante, difícil de assistir, mas necessário. Se eu tivesse que descrever a série em uma palavra, seria essa: necessária. Precisamos sim falar e refletir sobre relacionamentos, depressão, bullying e suicídio.

Eu fiquei realmente abalada com o último episódio da série. Fiquei inquieta, assustada, triste e não consegui dormir bem no dia. Acredito que seja esse mesmo o objetivo da série: nos desassossegar para que façamos reflexões importantes, como:

Como estou tratando as pessoas?

Como você trata seus pais? Como você trata seus avós? Como você trata seus irmãos? Como você trata seus colegas de classe? Como você trata seus colegas de trabalho? Como você trata as pessoas com quem convive mas não são tão próximas a você? Como você trata as pessoas que dividem o transporte público com você? Como você trata o atendente de telemarketing? Como você trata o garçom? Como você trata seus professores?

Assim como você, todas as pessoas têm feridas, dores, fraquezas e dificuldades. Todas as pessoas têm dias ótimos e péssimos. Algumas pessoas estão sofrendo profundamente todos os dias, e você nem sabe. Uma atitude de grosseria, menosprezo ou ofensa podem abrir ainda mais uma ferida já muito profunda e desencadear uma reação drástica. Pense nisso antes de maltratar alguém.

O que estou considerando normal no tratamento de outras pessoas – e não deveria?

Precisamos parar de achar que é normal causar dor uns nos outros. Precisamos parar de tratar ofensas como “brincadeiras”. Precisamos parar de nos calar diante de injustiças. Bullying não é normal. Assédio não é normal. Humilhação não é normal. Tratar alguém mal não é normal. Precisamos urgentemente parar de tratar atitudes absurdas como se fossem normais. Se cada um começar revendo as suas, será um ótimo começo.

Estou precisando de ajuda?

Você tem conseguido lidar com seus problemas e dores de uma forma equilibrada? Ou sente que suas emoções e ações estão fora de controle? O peso da sua dor está maior do que você aguenta carregar?

PEÇA AJUDA.

Não há nada de errado em pedir ajuda! Procure um profissional, seus pais ou alguém em quem possa confiar e peça! Sempre existe alguém que pode te ajudar, SEMPRE! E sempre existe um caminho para a solução. Se você não está conseguindo encontrar, outra pessoa pode te dar uma direção.

*O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e atende voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email, chat e Skype 24 horas todos os dias. Ligue 141 ou acesse o site.*

Alguém à minha volta pode estar precisando de ajuda?

As pessoas dão sinais. Uma mudança de comportamento, um comentário negativo, um post nas redes sociais, alterações significativas de humor, afastamento dos amigos…

Nem todo comentário negativo ou comportamento novo é sinal de algo grave acontecendo, mas nunca é demais mostrar que o outro pode contar com você. Nós precisamos começar a cuidar mais uns dos outros. Fique atento e ofereça ajuda.

Estou me calando quando deveria falar?

“O que me preocupa não é o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter e dos sem ética… O que me preocupa é o silêncio dos bons.” (Martin Luther King)

Clay, o personagem que recebe e escuta as fitas de Hannah durante todos os episódios, muitas vezes fica calado diante de injustiças. Apesar de não ser atribuída a ele uma grande culpa pelo suicídio de Hannah, fica claro que sua voz diante das injustiças que presenciou poderia ter mudado o desfecho da história.

A sua voz pode mudar o desfecho de grandes injustiças também. Por mais difícil que possa ser denunciar algo errado, não escolha se calar.

Não seja um porquê

Não seja um dos motivos que faz uma pessoa infeliz. Não seja um dos motivos que deixa uma pessoa pra baixo. Não seja um dos motivos para uma pessoa achar que o mundo é um lugar ruim. Não seja um dos motivos que faz uma pessoa se sentir inferior. Não seja um dos motivos para uma pessoa entrar em depressão.

Não seja um porquê.



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

10.04.17 • Em Dinheiro, Livros

Apesar do nome sugestivo, Os segredos da mente milionária não é um livro sobre “como ficar rico”. É um conteúdo valioso sobre como ter uma mente bem direcionada para obter satisfação e equilíbrio na vida financeira. É sobre vencer crenças limitantes que te impedem de ter paz e tranquilidade nessa área da vida.

Dinheiro é um assunto sobre o qual muitas pessoas têm muitas crenças e ideias negativas, e esse livro pode ser aquilo que falta para muita gente acabar com os bloqueios que tem sobre o tema. Recomendo a leitura para todos, não só para quem tem problemas financeiros, mas para qualquer pessoa que quer que seu dinheiro trabalhe junto com a sua felicidade.

Os segredos da mente milionária fala sobre como mudar os seus hábitos mentais sobre dinheiro para permitir que suas ações fluam e seus objetivos sejam alcançados. Primeiro, ele vai te ajudar a entender quais são os bloqueios que você tem em relação a dinheiro, e depois vai mostrar como você pode mudar sua forma de pensar para que tenha a vida financeira que deseja.

Esse livro mexeu bastante com as minhas crenças, eu senti que realmente mudei a minha forma de pensar após a leitura e coisas boas começaram a acontecer. Alguns dos aprendizados que mais me marcaram foram:

A felicidade que o dinheiro vai te trazer depende da sua motivação para tê-lo

Se a sua motivação para ganhar dinheiro for um sentimento negativo (raiva, medo, necessidade de provar algo a alguém, carência), o dinheiro não vai te trazer felicidade. Simplesmente porque dinheiro não é a solução para esses sentimentos!

Já se você almeja ter mais dinheiro para melhorar sua qualidade de vida, realizar sonhos e ter acesso a coisas boas, o dinheiro te trará alegrias. Porque essas coisas ele pode te fornecer.

A intenção que você deve colocar para o dinheiro tem que estar ligada àquilo que ele pode te fornecer. Coisas que o dinheiro não compra (amor, carinho, paz interior, autoconfiança), você deve parar de culpar o dinheiro por não tê-las e começar a procurar no lugar certo: dentro de você.

Todo o conhecimento e qualificação do mundo não salvam uma mente mal direcionada

Por que há pessoas com inúmeros diplomas e conhecimentos valiosíssimos que não prosperam? E por que há pessoas sem nenhum comprovante de qualificação que alcançam um enorme sucesso?

Porque existem dois tipos de programação mental: a que acredita no sucesso e a que acredita no fracasso. A sua programação mental é o que direciona todas as suas ações e comportamentos. E são as suas ações e comportamentos que constroem o seu caminho.

É importante sim estudar e obter qualificação, pois isso vai te dar confiança e habilidades. Mas tão importante quanto isso é manter a sua mente direcionada para aquilo que você quer.

O dinheiro que você tem hoje equivale ao que sempre esperou ter

Se no passado tudo o que você acreditava era que poderia “ter um pouco de conforto e dinheiro para pagar as contas” ou “ter um carrinho básico e um teto”, posso apostar que é exatamente isso que você tem hoje, nem um centavo a mais.

É claro que todo mundo já desejou uma vez ou outra ter muito dinheiro, mas veja se o que tem hoje não é exatamente o que alguns anos atrás você dizia e acreditava que poderia ter.

Tem uma frase do Jober Chaves que diz: “Se você olhar com atenção para sua vida hoje, perceberá que ela está do jeito que você sempre falou por aí que ela seria”.

Faz sentido pra você? Pra mim faz, totalmente. E se é assim que funciona, podemos começar a mudar hoje o que acreditamos para obtermos um novo resultado. Comece a pensar grande.

É importante saber o que você aprendeu sobre dinheiro na sua infância

O livro explica que, muito provavelmente, a forma como você vê o dinheiro é igual à forma como seu pai ou sua mãe o viam (ou uma mistura da visão dos dois). E que os episódios que vivenciou na infância que envolviam dinheiro de alguma forma moldaram a forma como você enxerga o dinheiro até hoje.

Pare um pouco e pense sobre isso. Fez tanto sentido pra mim, que talvez tenha sido o maior aprendizado que eu absorvi desse livro.

Quando você conseguir ligar a forma como lida hoje com dinheiro à maneira como ele lhe foi apresentado na sua infância, vai finalmente entender que pode se libertar de vários condicionamentos e se permitir enxergar e agir de novas formas.

Não gostar de autopromoção é um dos maiores obstáculos para o sucesso

Essa me pegou. Uma vez um ex-chefe falou para mim que eu deveria mostrar mais as coisas boas que faço, exaltar mais as minhas conquistas. Mas e a vergonha que eu sentia só de pensar em falar em voz alta algo bom sobre mim? Por que alguém ia querer ouvir isso? O que os outros iam pensar?

Mas a questão é: se você não “vender o seu peixe”, ninguém fará isso no seu lugar. E o mundo não vai te procurar se não souber que você existe.

Se você acredita no seu valor e quer oferecer o seu melhor para o mundo, fale! Mostre! Ofereça! Já parou para pensar que você pode estar escondendo algo muito bom de alguém que precisa exatamente do que você tem a dar?

Essas são só algumas das dicas incríveis que Os segredos da mente milionária dá sobre sucesso financeiro.

Além de muitos insights e informações para quebrar crenças limitantes, em todos os capítulos o autor ensina exercícios e afirmações para potencializar o autoconhecimento e a mudança de mentalidade. Vale a leitura.



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

03.04.17 • Em Experiências

Apesar de estar estudando autoconhecimento há quase quatro anos, já ter feito muitas coisas nessa área e tido alguns grandes insights que me transformaram de forma definitiva, eu nunca tinha vivido um processo de autoconhecimento tão profundo como o que vivi no último fim de semana, quando participei do Transformação e Liderança, o Leader Training do Instituto Ideah.

INTENSO, sem dúvida, é a palavra que define o que vivi e senti nos três dias de treinamento. Fui para um hotel em Guararema (SP) na sexta-feira à noite e das 21h da sexta até as 17h do domingo eu participei de uma série de dinâmicas e vivências que me fizeram entrar em contato com as minhas emoções básicas (medo, tristeza, raiva, alegria e amor) de forma extremamente profunda.

A ideia do TL é que você entre em contato com as suas emoções, sinta-as intensamente e conheça-as de verdade para que possa, finalmente, direcioná-las de uma forma positiva ou curá-las. É forte, é desafiador, é difícil. Mas vale a pena porque é impossível sair de lá sem ter sido transformado.

Eu não senti medo, eu senti MEDO. Eu não senti raiva, eu senti MUITA RAIVA. E também senti um amor e uma alegria tão puros, tão leves, tão verdadeiros… Eu senti as emoções tão fortes dentro de mim, que finalmente pude entender cada uma delas e colocá-las em seus devidos lugares. É impossível explicar em palavras o quanto essa experiência é forte e transformadora, só vivendo para entender. É o tipo de experiência que todas as pessoas merecem viver uma vez na vida.

O TL é um treinamento de alto impacto que usa técnicas de coaching, PNL e neurociência para trabalhar a nossa inteligência emocional. Todo o processo é feito de forma muito responsável e bem estruturada. No início, algumas coisas parecem não fazer sentido nenhum, mas depois tudo se encaixa e é surpreendente o que vamos aprendendo quando as coisas começam a se encaixar.

Eu não vou contar quais foram as dinâmicas que fizemos lá, porque isso estragaria a experiência de quem um dia for fazer. Mas posso dar inúmeros motivos para qualquer pessoa fazer o treinamento:

  • É uma experiência de autoconhecimento diferente de qualquer outra. O que você vai aprender sobre si mesmo não dá para aprender nos livros, blogs ou em cursos e palestras
  • Você vai elevar cada uma das suas emoções básicas (medo, raiva, tristeza, amor e alegria) a uma potência altíssima, e esse contato vai te fornecer um nível de clareza que você nunca teve antes
  • Você vai descobrir coisas sobre si mesmo que nunca cogitou fazerem parte de você
  • Você vai entender, conhecer e trabalhar o seu lado luz e sombra
  • Você vai sentir uma energia de amor gigantesca, vinda de dentro e de fora de você
  • Você vai enfrentar grandes desafios de forma segura e com o suporte de pessoas preparadas para lidar com as suas reações
  • Você vai descobrir quais são a razões mais profundas que estão te impedindo de se relacionar bem com as pessoas, prosperar, alcançar seus objetivos e ser feliz
  • Você vai redespertar a criança livre e alegre que existe dentro de você
  • Você vai ter a chance de curar traumas e feridas profundas, ressignificando experiências passadas para que possa começar um novo ciclo na sua vida

Algumas das coisas mais importantes que aconteceram comigo:

Eu descobri um lado meu que me fere muito e que eu nunca imaginei que tinha. Na verdade, eu me fazia acreditar que era exatamente o oposto, porque nunca quis admitir para mim mesma que eu tinha esse lado sombra dentro de mim. Quando enxerguei esse aspecto que eles chamam de “ferida”, pude encontrar o antídoto para ele, e tenho praticado esse antídoto desde então.

No momento do treinamento que foi o mais intenso de todos pra mim, quando estávamos fazendo uma dinâmica de trabalho da raiva, eu tive um momento de clareza muito grande que me fez entender que a raiva que eu sentia de algumas pessoas não era realmente delas. Ela era fruto de uma frustração muito grande que eu tinha comigo mesma, que transformei em raiva e projetei nos outros para não sentir isso em relação a mim. Com essa consciência, eu finalmente pude me curar.

Eu me vi extremamente resistente e cética em certos momentos. Logo eu, que me considerava super aberta a tudo. Tem sido interessante observar melhor esse meu lado no dia a dia, porque descobri que sou muito mais “difícil” do que eu imaginava, e quero mudar isso porque no treinamento percebi que perdi algumas oportunidades de vivenciar coisas mais intensas por causa dessa minha resistência.

Eu sofri por antecipação inúmeras vezes, imaginando coisas horríveis, e adivinha? Estava enganada em todas as vezes. Algo bem parecido com o que faço na vida…

Eu percebi que sou muito mais forte do que imaginava e que consigo fazer coisas que eu achava que nunca conseguiria. Várias vezes nas explicações das dinâmicas eu pensava: eu jamais vou conseguir fazer isso. E não teve nada que eu não consegui fazer.

Eu descobri que existe uma criança muito feliz vivendo dentro de mim, e que tudo o que essa criança quer é a liberdade de ser quem é. Essa criança é a minha alegria, e para existir ela precisa apenas da minha permissão. Está nas minhas mãos libertá-la ou escondê-la.

E me lembrei de que o mundo não é aquela coisa horrorosa que vemos todos os dias nos jornais (e, às vezes, nos lugares onde estamos). Existem muitas coisas boas, muita energia positiva, muitas pessoas amorosas e dispostas a ajudar. Basta que a gente escolha estar onde o bem está.

É difícil conseguir transmitir em palavras o que esse treinamento é. É algo que só quem viveu consegue entender a profundidade. Eu nunca imaginei que viveria algo assim, nunca tinha ido tão fundo dentro de mim.

Se eu tiver que fazer um Top 3 de melhores experiências da minha vida, o Transformação e Liderança com certeza estará na lista.

E eu faço questão de recomendar o Instituto Ideah e elogiar a equipe maravilhosa que eles têm. Pessoas que se preocupam verdadeiramente em oferecer para cada um dos participantes uma experiência completa, pessoas que transmitem amor com o olhar, pessoas com energia boa, que acreditam em suas missões. É nítido que fazem tudo com muito amor e dedicação e por isso conseguem fazer um trabalho tão lindo.

Eu realmente gostaria que todas as pessoas tivessem a oportunidade de viver essa experiência uma vez na vida. Se você puder, não deixe passar.

O próximo Transformação e Liderança acontecerá de 5 a 7 de Maio, e eu estarei lá para receber os novos participantes. Se você quiser participar e me ter como madrinha (todos os participantes têm um padrinho ou madrinha, que é alguém que já participou e vai com você na abertura do treinamento), eu vou ficar muito feliz em te acompanhar, é só me avisar! Eu irei de qualquer forma, mas vou adorar ainda mais se puder acompanhar um leitor do blog no início desse processo que foi tão especial para mim ♥

Update: O pessoal do Instituto Ideah entrou em contato comigo e disse que podem oferecer condições especiais para os leitores do blog que quiserem participar do treinamento. É só entrar em contato com o Helder e falar que você viu sobre o TL aqui no Desassossegada: helder@institutoideah.com.br



Postado por Stephanie Gomes