25.07.16 • Em Dinheiro, Reflexão

Se você procurar a palavra “prosperidade” no Google Imagens vai encontrar uma grande quantidade de fotos de moedas, notas, ouro e outros símbolos de riqueza financeira. Quando pensamos ou pedimos prosperidade, geralmente estamos nos referindo a dinheiro. E sim, dinheiro é importante, é bom, é necessário. Mas nossa relação com ele poderia ser muito melhor se entendêssemos que dinheiro é apenas uma das partes que compõem o significado da palavra prosperidade.

Ser próspero também é ter uma boa vida financeira. Além de ser uma ferramenta básica de sobrevivência, o dinheiro pode nos proporcionar muitas coisas boas: conforto, diversão, experiências, facilidades… mas prosperidade é muito mais do que isso. Se você tem muito dinheiro, mas vive seus dias infeliz e insatisfeito com a vida, você não é próspero. Você só tem muito dinheiro.

Prosperidade é uma combinação de felicidade e dinheiro como um recurso que tem a função de nos proporcionar possibilidades. Na prosperidade, o dinheiro incrementa a felicidade, não a diminui. O dinheiro vem pelo amor, pela dedicação, pela positividade, e não pela dominação e pelo sofrimento. O dinheiro é usado para construir, não para destruir.

O que é prosperidade?

Quando eu peço ao universo que abra caminhos para a prosperidade entrar na minha vida, estou pedindo por uma boa condição financeira sim, mas combinada a um trabalho que me faça feliz e tenha significado para mim, a saúde, a harmonia, a paz interior, a relacionamentos felizes. Quando penso e ajo com o objetivo de obter mais prosperidade, eu quero que o dinheiro venha de mãos dadas a todas estas outras coisas. Afinal, o que vou fazer com um monte de dinheiro se troquei minha saúde por ele? Que ânimo vou ter para aproveitar as coisas que o dinheiro pode proporcionar se eu estiver infeliz, cheia de conflitos internos e em guerra com as pessoas e o mundo?

Eu quero abundância de recursos para poder ter acesso a viagens, cursos, livros, serviços de qualidade, uma casa que eu ame e me sinta bem, contas pagas sem dificuldade… quero a facilidade e a tranquilidade que uma boa condição financeira traz, para que eu possa me dedicar àquilo que faz sentido para mim, sem sofrer as limitações de uma condição financeira precária.

Conheço pessoas que têm muito dinheiro mas passam o dia inteiro reclamando de seus trabalhos e de suas vidas. Também conheço pessoas que abriram mão de quase todo o seu tempo para poder acumular mais e mais riquezas materiais. Outro tipo de pessoa que conheço é aquela que obtém dinheiro às custas de sofrimento, agressividade, tristeza, disputas e relacionamentos ruins. Isso é só dinheiro, não é prosperidade. Prosperidade sem paz, sem amor, sem propósito, sem alegria e sem prazer, não é prosperidade. É só dinheiro.

Podemos sim desejar e buscar abundância financeira, mas é importante refletir sobre de que forma estamos trabalhando para alcançar esse estado de abundância, para não passarmos por cima de outras coisas que também são muito valiosas e fundamentais para a nossa felicidade.

O que é prosperidade?

Precisamos parar de achar que dinheiro é algo ruim, “do mal”, coisa de gente que não é “espiritualmente evoluída” (oi?) ou que não devemos desejar abundância financeira. Dinheiro é apenas um recurso. O que você faz com ele e a forma como o enxerga é que determina se ele vai ser gerador de coisas positivas ou negativas. Se você usa o seu dinheiro para dominar ou humilhar outras pessoas, não é porque dinheiro faz mal, é porque você faz. O mesmo vale para quando você usa seu dinheiro para criar, evoluir, gerar alegria. Não é o dinheiro que faz o bem, é você. O dinheiro é apenas um recurso.

Postado por Stephanie Gomes

21.07.16 • Em Livros, Vídeos

Essa semana coloquei no blog uma pesquisa para conhecer melhor vocês (se ainda não respondeu, vai lá: Pesquisa Desassossegada) e adorei ver a quantidade de pessoas dizendo que a coisa que mais gostam no blog são as indicações de livros, que compraram livros que eu indiquei e que querem mais indicações! Fiquei super feliz porque eu amo falar sobre livros!

Eu tinha pensado em fazer só no final do ano um vídeo contando quais foram meus livros favoritos do ano, mas como já li vários livros maravilhosos e vocês gostam tanto de indicações, resolvi fazer um vídeo contando quais foram as minhas leituras favoritas do primeiro semestre!

Tem livros sobre autoconhecimento, criatividade, relacionamentos, terapias holísticas, espiritualidade, romance… Vai lá assistir!

Postado por Stephanie Gomes

18.07.16 • Em Positividade

A Lei da Atração é praticamente a minha religião, acho que quem me acompanha sabe disso. Eu acredito em muitas coisas, estou sempre em busca de conhecer mais, mas a Lei da Atração é sempre a minha base, porque já tive muitas provas de que ela é real e age o tempo todo na minha vida e na vida de outras pessoas. Em todas as minhas buscas, meu conhecimento sobre a Lei da Atração é sempre meu guia, e além de colocar sentido em muitas coisas, a fé que tenho na Lei e a prática dela me beneficia e sempre me direciona para um caminho positivo e voltado para o bem.

7 formas de colocar a Lei da Atração em prática

O post mais lido de todos os tempos aqui no blog fala sobre Lei da Atração (Peça e será atendido: segredos e métodos da Lei da Atração) e um dos vídeos mais assistidos do canal também (Lei da Atração não é mágica). Sei que muita gente se interessa pelo assunto, por isso estou sempre tentando aprender mais e encontrar novas formas de falar sobre isso por aqui. Mas, por incrível que pareça, ainda não tinha feito um post contando como eu costumo aplicar a Lei na minha vida.

Existem muitas formas de direcionar a Lei da Atração. Eu já li bastante sobre o assunto e apliquei muitas práticas no meu dia a dia que funcionaram e me fizeram bem. Como sempre recebo mensagens de leitores pedindo que eu explique como pratico a Lei, resolvi escrever sobre as práticas que eu acho mais poderosas e positivas:

1) Gratidão pela realização

Na minha opinião, essa é a forma mais poderosa de praticar a Lei da Atração, porque o sentimento de gratidão é realmente algo muito forte e capaz de potencializar qualquer ação positiva. Tudo o que você precisa fazer é imaginar seu desejo realizado e sentir e expressar gratidão por isso. Mesmo que aquilo que você deseja ainda não tenha se materializado, você tem total certeza de que está a caminho e já pode agradecer pela realização. Essa prática te coloca em perfeita sintonia com a vibração do seu desejo, por isso é tão poderosa.

2) Atenção e intenção

Quando eu percebo que estou me distanciando da positividade e daquilo que desejo, me faço duas perguntas: Onde estou colocando meus pensamentos (atenção)? Para que sentido minhas ações estão direcionadas (intenção)? Essas duas perguntas me trazem clareza sobre por que não estou caminhando na direção certa e me ajudam a redirecionar a intenção das minhas ações e os meus pensamentos, que provavelmente estão dispersos. Muitas vezes estamos com a atenção bem direcionada, mas nossas intenções estão voltadas para outra direção, ou vice-versa.

3) Visualização

Sabe quando você sonha acordado? Quando imagina o que faria se determinada coisa acontecesse e se diverte com a sua imaginação? Toda vez que faz isso, você está falando a língua da Lei da Atração! Essa sensação boa que dá quando você se vê vivendo algo bom emite uma vibração positiva que se manifesta de alguma forma na sua vida, seja em forma de um sinal, uma oportunidade, uma pessoa, uma mudança… e quanto mais você praticar essas visualizações positivas, mais atrairá para sua vida coisas que te aproximam daquilo que você deseja.

Visualização - Lei da Atração

4) Afirmações

Eu gosto muito de praticar afirmações, sejam as frases de purificação do Ho’oponopono, frases que me lembram de ter fé ou palavras de motivação. As palavras têm força, sejam elas verbalizadas ou apenas pensadas. Se você também gosta dessa prática, use-a em seu dia a dia. Você pode escolher qualquer frase que te faça bem e que se relacione com seus desejos, e repeti-la a qualquer momento para se sentir bem e se sintonizar com a Lei da Atração.

5) Técnica do parabéns

Sinceramente, eu não sei se li sobre essa técnica em algum lugar ou se eu mesma a inventei, só sei que a uso muito e acho muito eficaz para me colocar em sintonia com a vibração das coisas que desejo. É simples: imagine que você está contando para seus amigos e familiares que seu desejo se realizou e eles estão comemorando e te parabenizando por isso. Imagine-se compartilhando sua realização com as pessoas que você ama e confia, festejando junto com elas, agradecendo a quem te ajudou e se sentindo realizado. Imagine-se fazendo aquilo que você fará quando seu desejo se realizar. Eu gosto desse exercício porque acho mais fácil visualizar situações em que outras pessoas estão presentes do que me visualizar sozinha fazendo algo.

6) Agir como se já tivesse recebido

Tendo a certeza de que seu desejo já está a caminho, traga-o para o momento presente começando a se comportar, pensar, falar e sentir-se dentro da realização. Como você vai se vestir no dia a dia quando realizar seu desejo? Qual será sua postura? Quais serão suas atividades? Como vai se sentir em relação a si mesmo? Com que sentimento irá acordar e dormir? Não espere o desejo se materializar, comece a fazer tudo isso já! Aja como se o seu desejo fosse real, porque a verdade é que ele já é! A partir do momento em que você deseja algo, aquilo passa a existir e precisa apenas da sua ajuda para que se materialize na sua vida. Comece a deixar tudo pronto desde já para que seu sonho entre na sua vida.

Agir como se já tivesse recebido

7) Inserir o que você deseja no seu dia a dia

Pensamentos, leituras, filmes, conversas, fotos, escritos, atividades, planos, lugares, pessoas que buscam o mesmo que você… coloque na sua vida mais daquilo que tem relação com o que você deseja, para que esteja sempre, de alguma forma, estimulando a presença daquilo na sua vida. Essas coisas darão energia, poder e força ao seu desejo e são uma forma de comunicar ao universo que você quer mais daquilo na sua vida.

*RECADO*

Mês que vem o Desassossegada completa três anos de vida e acho que já tava na hora de eu fazer uma pesquisa para conhecer melhor vocês, suas preferências, críticas e sugestões sobre meu trabalho, né? Ficarei muito grata se puderem responder essa pesquisa, vai me ajudar muito! Para responder acesse: Pesquisa – Desassossegada. Obrigada!

Postado por Stephanie Gomes

04.07.16 • Em Livros, Relacionamentos

Livro Amar e ser livreTenho quase certeza de que nunca li um livro que tocasse tão fundo dentro de mim como Amar e Ser Livre, do Sri Prem Baba, tocou.

Um livro delicado e, ao mesmo tempo, intenso. Sensível, mas provocativo. Escrito de forma simples, mas com reflexões bem difíceis de serem feitas. Amar e Ser Livre é, na minha opinião, um livro indispensável para todo ser humano que quer evoluir e ser melhor para si mesmo – e, consequentemente, para os outros. Apesar de a abordagem ser bastante voltada para relacionamentos, as reflexões se estendem a todas as áreas da vida.

Seria impossível colocar em um post tudo o que absorvi do livro, por isso escolhi uma das questões abordadas para apresentar um pouco do conteúdo. O ponto que escolhi para resumir aqui é sobre uma dúvida que acho que muita gente tem: Por que situações indesejadas acontecem repetidamente na minha vida? Prem Baba sugere algumas explicações bem interessantes sobre essa questão:

As crises

Independentemente se estamos falando da crise econômica do país, de crises no nosso relacionamento, de uma crise na família ou em qualquer outra área, crises são situações negativas que se repetem dia após dia e vão se transformando em algo cada vez maior, sem melhora. Apesar de as crises não serem algo agradável, elas têm um propósito positivo: a evolução. A crise acontece quando algo que já deveria ter sido compreendido ainda não ficou claro. Para que ultrapassemos essa crise, esse “algo” precisa ser integrado pela nossa consciência. Quando uma situação indesejada se repete e cresce a cada dia, significa que alguma coisa precisa ser compreendida e transformada.

A atração

Se uma situação desagradável se repete na sua vida, é possível que o seu psicológico tenha ficado “fixado” no ponto em que essa situação aconteceu pela primeira vez. Por estar “preso” a esse ponto, a Lei da Atração vai colocar na sua vida mais dessa energia que você está vibrando.

A reencenação da infância

É muito mais comum do que imaginamos que o ser humano busque formas de reencenar as cenas traumáticas da sua infância, na tentativa de fazer com que dessa vez seja diferente. Buscamos relacionamentos com pessoas que contêm o melhor e o pior de nossos pais ou de quem fez parte do nosso passado porque, no fundo, temos a esperança de que podemos reparar e apagar aquilo que nos causou os bloqueios e repressões que carregamos dentro de nós até hoje. Nós colocamos na nossa vida pessoas que podem nos dar essa chance de reparação.

Como todo relacionamento envolve projeções, o que vamos ver na outra pessoa é justamente aquilo que cutuca a nossa ferida mais aberta. Se não estivermos conscientes de que essa é uma oportunidade de enxergar a origem dos nossos bloqueios para compreendê-los e aceitá-los, vamos nos ferir e sofrer dentro de todo relacionamento, inúmeras vezes.

O “não”

O Prem Baba explica que existe uma coisa chamada “prazer no desprazer”, que é o “não” que você inconscientemente diz para aquilo que conscientemente acredita querer dizer “sim”. Pode estar perfeitamente claro que você deseja muito uma coisa, mas algo lá no fundo de você diz “não”. E isso pode ser observado olhando para as escolhas que você faz.

Por exemplo: você quer um relacionamento saudável, mas toda vez que uma pessoa legal aparece, você a rejeita. Você só se interessa por pessoas que fazem o contrário: te rejeitam e te maltratam. Ou então quando você acredita que quer um corpo mais bonito e saudável mas, por algum motivo, faz tudo aquilo que estraga sua saúde: fuma, maltrata seu corpo, come errado etc.

O processo de desejar o negativo também pode se apresentar de forma mais sutil, como por exemplo quando você evita o que é bom, impedindo que a alegria, o sucesso e a prosperidade se manifestem na sua vida.

É possível que o “não” esteja presente em várias áreas da sua vida, e você ainda não percebeu. Você precisa encontrá-lo, aceitá-lo e compreendê-lo, para que ele possa ser libertado. Você precisa descobrir por que seu inconsciente diz “sim” para o desprazer, o que é que ele vê nisso que o atrai. É possível que seja também uma insistente sucessão de situações que você cria para reencenar uma cena do passado, na tentativa de fazer diferente dessa vez.

“Perceba que uma parte em você busca a iluminação, mas outra parte resiste à luz. Porque existe uma parte em você que sente prazer na escuridão.”

A culpa

Enquanto você continuar colocando a culpa da sua insatisfação e infelicidade no outro, situações negativas vão continuar se repetindo na sua vida. As coisas só vão mudar e parar de se repetir quando você sair do papel de vítima em que se colocou e se responsabilizar pela sua felicidade.

Quando coloca a culpa no outro você está fugindo da responsabilidade e negando sentimentos que estão dentro de você e precisam ser encarados. Se existe uma situação negativa se repetindo na sua vida, é você quem escolhe estar nessa situação, por mais que tudo indique que a culpa é do outro. Você é o único responsável pela sua felicidade.

Muitas vezes acontece também de você querer se identificar com a vítima (o que também se enquadra em sentir “prazer no desprazer”) porque quer estar nesse jogo de acusações. A vítima que te habita repete a sentença: “se eu for suficientemente infeliz, vou provar para o mundo que tal pessoa não deu para mim o que eu queria ter recebido”.

(Importante: nesse tópico estou falando sobre questões emocionais e sentimentais, e não sobre crimes como agressão ou abuso – nesses casos, a culpa NUNCA é da vítima)

Em todos os casos, a primeira coisa que você precisa fazer é identificar essas contradições dentro de você e ampliar a sua percepção a respeito do que isso está causando na sua vida.

Encontre o “eu” que existe dentro de você que está comprometido com essa guerra e tome consciência do estrago que ele está causando. Perceba que esse “eu” é apenas uma parte de você, mas há outras partes que desejam o bem, o amor, o positivo. Quando conseguir fazer isso, estará pronto para interromper esse círculo vicioso.

“A interrupção só ocorre quando você consegue dizer a si mesmo: sou eu que estou escolhendo seguir na mão contrária. Estou escolhendo dizer ‘não’. E, se estou dizendo ‘não’, também posso escolher dizer ‘sim’.”

Tudo isso é apenas uma pequena parte do conteúdo de Amar e Ser livre. O livro estimula várias outras reflexões importantes e sugere caminhos para o autoconhecimento e a compreensão. Sem dúvida esse foi o melhor livro que li esse ano até agora, e também um dos melhores livros que li na vida. Recomendo muito e sugiro que a leitura seja feita com calma, aproveitando para refletir de coração aberto sobre cada ponto abordado.

Postado por Stephanie Gomes

27.06.16 • Em Mudanças

Eu recebo muitas mensagens de leitores do blog me perguntando “Stephanie, como eu faço pra parar de ser de tal jeito?”, “Como eu paro de fazer tal coisa?”, “Como mudo isso em mim?”. E acho maravilhoso perceber que tantas pessoas estão olhando para o lugar certo: dentro delas mesmas. Elas podiam estar culpando o outro por seus problemas e dificuldades, reclamando que algo ou alguém é a causa de suas infelicidades, mas estão fazendo o contrário: se dispondo a olhar para dentro delas mesmas para encontrar suas próprias respostas e o caminho que devem seguir.

Todo tipo de mudança que você deseja precisa ter o seu interior como ponto de partida. E não falo apenas de mudanças internas – como aumentar a autoestima ou aprender a pensar positivo. Mudanças externas também devem partir de dentro, começando com uma mudança interna.

As 4 etapas da mudança interna

Talvez você queira ser mais aberto, para conhecer pessoas novas ou obter mais conhecimento. Talvez queira ser mais paciente e menos ansioso, para parar de desistir de seus sonhos. Quem sabe você queira mudar a forma como olha para si mesmo, para conseguir se relacionar melhor com as pessoas. Ou talvez precise trabalhar em suas crenças, para mudar perspectivas negativas e se tornar mais otimista.

É importante que você saiba que cada um tem seu caminho. Talvez eu e você estejamos buscando a mesma coisa, mas nossos caminhos com certeza serão diferentes. O que quero apresentar aqui não é uma fórmula para ser seguida passo a passo, e sim uma direção para ajudar quem quer realizar uma mudança interna e não sabe por onde começar, ou já começou e não conseguiu alcançar a mudança pois faltou algo em seu caminho.

As quatro etapas que acho indispensáveis para o caminho da mudança, da cura ou da transformação são:

1) Observar

Simplesmente se observe. Observe o que faz você ficar irritado, o que te entristece, o que te faz perder as esperanças, o que te causa desânimo, o que drena a sua energia… Sempre que notar que a tal coisa que quer mudar está começando a se manifestar, pergunte-se: o que é que eu estou sentindo? Dê um nome para a sua emoção e então observe o que está acontecendo em seu interior. O que você está pensando? Como essa emoção se espalha dentro de você? Está sentindo um nó na garganta? Vontade de chorar? Moleza no corpo todo? Vontade de fugir?

Vale também se lembrar de momentos em que experimentou isso que quer mudar. Por exemplo: lembre-se de outras vezes em que se sentiu ansioso. Você estava pensando demais? Estava se sentindo pressionado? Estava inventando histórias em sua cabeça? Estava com pressa? Lembre-se das vezes em que brigou com alguém. Que resultado você esperava obter com essa briga? O que te motivou a brigar?

Observe e lembre-se dos momentos em que aquilo que você não quer mais para a sua vida esteve presente. Não julgue e não se culpe, apenas observe e tente ver com clareza o que estava acontecendo. O primeiro passo é só observar.

As 4 etapas da mudança interna

2) Compreender

Ter consciência da verdade é, sem dúvida, a coisa mais importante que você precisa para realizar uma transformação em si mesmo. Depois de observar a repetição da mesma situação acontecendo, você acenderá a luz da consciência e conseguirá encontrar as respostas que precisa com mais facilidade. Por isso a primeira etapa é tão importante. Não pule direto para a compreensão sem ter se observado e trazido o máximo de informações verdadeiras que puder para a consciência.

Comece então a ligar os pontos. Quando uma situação externa se repete, o que também está se repetindo dentro de você? Qual é o estímulo que faz despertar tal comportamento ou emoção? Em que situações você consegue ser como deseja? Nas vezes em que conseguiu não cair no comportamento negativo habitual, o que você fez de diferente?

Uma coisa que, pra mim, faz toda a diferença para eu compreender melhor aquele aspecto quero mudar é procurar livros, vídeos, documentários, blogs, profissionais etc que falem sobre aquele assunto, pois ali posso acabar encontrando o insight que faltava para eu entender determinado aspecto e conseguir finalmente montar as peças do quebra-cabeça.

3) Responsabilizar-se

Pare de culpar o outro pelo que quer que seja e tome para si toda a responsabilidade de mudar aquilo que você não quer mais na sua vida. Enquanto você não se colocar como o único responsável pela mudança que deseja, não conseguirá mudar.

Encontre em você o que precisa ser mudado. Pare de buscar as respostas no outro, elas não estão lá. Estão aqui.

As 4 etapas da mudança interna

4) Escolher transformar

Todo esse entendimento só vai realmente mudar a sua vida quando você transformá-lo em ação. Você vai ter que usar um dos seus mais importantes poderes: o poder da escolha. Use sua consciência e compreensão para começar a escolher o que fazer, ao invés de reagir ao que está acontecendo.

Você vai ter que escolher renunciar ao impulso destrutivo. Vai ter que dizer “chega, não quero mais me colocar nesse buraco, não quero mais isso na minha vida”. Com a prática, aos poucos você vai diminuir a força do impulso de praticar aquela ação negativa. Vai se acostumar a uma nova atitude, uma nova forma de pensar e agir, uma nova forma de enxergar a vida.

Será necessária muita dedicação, muita prática, muitos erros, muitas tentativas, muita reflexão, muita auto-avaliação. Não é da noite para o dia MESMO. Pode até acontecer de você ter um despertar muito grandioso e uma mudança repentina acontecer, mas não se cobre perfeição por isso. Você pode (e vai) errar, mas siga no caminho da evolução. Errou? Respire fundo, lembre-se que você está aprendendo, aceite e faça uma nova escolha.

Acho importante dizer que é possível que você encontre alguma resistência à mudança dentro de você. Se não conseguir passar por cima dessa resistência, use essas três etapas para transformá-la também: observe-a, traga-a para a consciência, compreenda-a e então escolha transformá-la.

Postado por Stephanie Gomes