15.08.16 • Em Reflexão

Pokémon GO: a polêmica da vez. Eu não sou muito de entrar em polêmicas, mas achei que esse assunto dava um bom gancho para falarmos sobre comportamento e fazermos uma reflexão interessante aqui no blog.

Pokémon GO é um jogo. O principal objetivo de um jogo é divertir quem joga. Diversão é o que leva pessoas a jogarem jogos. Ninguém joga um jogo no celular buscando um diploma ou a elevação espiritual. Mas parece que muita gente acha que a partir do momento em que uma pessoa começa a caçar Pokémons ela automaticamente se torna uma idiota-manipulada-não-evoluída.

A quantidade de teorias da conspiração sobre um simples jogo têm me assustado. É um tal de falar que caçar Pokémons aliena as pessoas, que os nomes dos Pokémons são nomes alternativos para o capeta, que o governo está espionando nossas casas… GENTE! A alienação, a maldade e o acesso a informações sobre a vida das pessoas já existia antes de Pokémon GO existir, viu?

Mas não é sobre isso que eu quero falar, e sim sobre o contraponto entre a facilidade que temos em enxergar o lado negativo das coisas e a dificuldade em vermos as coisas pelo lado positivo.

Pokémon Go e a nossa dificuldade em ver as coisas pelo lado positivo

Pokémon pode ser prejudicial? Sim, pode! Assim como QUALQUER coisa pode ser prejudicial dependendo do uso que fazemos. Água em excesso pode fazer mal, vitaminas em excesso podem fazer mal. Não podemos simplesmente dividir as coisas em “faz bem” e “faz mal”. Precisamos analisar com mais cuidado, observar, ponderar, buscar enxergar o lado positivo e o lado negativo, e só então tirar uma conclusão e fazer as nossas escolhas, levando em conta os diversos usos que podem ser feitos de determinada coisa.

Isso vale para jogos, para a internet no geral, para relacionamentos, para aquilo que consumimos, para como nos divertimos, para as nossas escolhas… para TUDO!

Para mim, o que foi interessante observar com as reações ao Pokémon GO foi que logo que eu comecei a jogar vi coisas legais acontecerem: crianças e jovens, que costumam ficar em casa o dia todo em frente ao computador, saíram para andar na rua ou em parques caçando Pokémons (tenho um irmão mais novo e vi isso acontecer com ele e os amigos dele), o que é ótimo para a saúde. Nos primeiros dias, eu, meu irmão e meu pai baixamos o jogo e ficamos pegando Pokémons, tirando fotos, rindo e nos divertindo juntos, diferente do que costumamos fazer geralmente que é cada um ficar fazendo suas coisas em seus computadores.

E logo surgiram também notícias muito boas sobre o jogo:

Pokémon Go transformou a vida de garoto autista que não conseguia sair de casa

Professor de matemática ensina trigonometria aos alunos usando Pokémon GO
Hospital infantil usa Pokémon GO para tirar pacientes do leito
Pais aproveitam Pokémon GO para passar mais tempo com os filhos

Então eu me assustei quando comecei a ver as críticas pesadas que algumas pessoas fizeram ao jogo, dizendo que não querem que seus filhos joguem ou que não vão se alienar jogando “isso”.

Observar essas reações me trouxe a essa reflexão.

Médico e paciente jogando Pokémon GO em hospital nos Estados Unidos

Por que muitas vezes exaltamos tanto o negativo e passamos batido pelo positivo?

Por que quando algo novo surge vamos logo tentando encontrar alguma forma de dizer que aquilo é ruim?

Por que queremos tanto encontrar algo de negativo para falar?

Por que não trabalhamos com o mesmo afinco o nosso olhar positivo?

Por que não damos mais atenção às notícias boas sobre um assunto do que às ruins?

Já pensou se empregássemos o mesmo esforço para encontrar coisas positivas para dizer e motivos para exaltar o lado bom das coisas? Seríamos capazes de aproveitar muito melhor as oportunidades e as ferramentas que temos. Curtiríamos muito mais as pequenas coisas. Saberíamos que o efeito que as coisas têm na nossa vida depende muito mais do uso que fazemos delas do que o que elas são (ou parecem ser).

Sempre podemos encontrar o lado positivo e o lado negativo de uma situação, uma atividade, uma ação, uma mudança. O que determina isso é a nossa percepção. E a nossa percepção é fortemente influenciada pelos nossos hábitos, as nossas manias, a forma como nos acostumamos a ver as coisas. Se trabalharmos o hábito de procurar o lado positivo, naturalmente começaremos a ver com mais frequência o lado positivo daquilo que surge em nossas vidas. Já se cultivarmos a mania de buscar o negativo e sempre tentarmos encontrar motivos para fazermos críticas, tudo sempre nos parecerá mais negativo do que positivo.

E isso obviamente não é apenas referente a Pokémon. Posso dar outros exemplos:

A internet: você pode dizer que internet vicia, que prejudica os estudos e o trabalho OU pode dar mais atenção ao fato de que a internet permite que as pessoas tenham acesso a muito conteúdo, que ela facilita a comunicação e traz muitas facilidades para o nosso dia a dia.

As redes sociais: você pode exaltar o fato de que nas redes sociais as pessoas só ficam fingindo que suas vidas são perfeitas para fazer inveja aos outros, que as pessoas não têm mais vida real por causa do Facebook OU que as redes sociais são excelentes oportunidades de acompanharmos pessoas e veículos que nos agradam, que elas nos dão uma ótima oportunidade de divulgar nosso trabalho…

Os blogueiros e youtubers: você pode criticar os blogueiros que ganham dinheiro com seus blogs e canais dizendo que eles “se vendem”, que deveriam fazer seus textos e vídeos por amor e não “por dinheiro” (como se a partir do momento em que ganhassem dinheiro parassem de fazer seu trabalho com amor…) OU perceber que os blogs tornaram a informação muito mais acessível e democrática, que eles proporcionam acesso gratuito a muito conteúdo e que, se o blogueiro puder trabalhar exclusivamente com seu blog ele poderá se dedicar muito mais, estudar mais e trazer mais conteúdo gratuito e bem feito para você.

Pokémon Go e a nossa dificuldade em ver as coisas pelo lado positivo

O que tenho visto é que muitas pessoas (não todas, mas muitas) não perdem a oportunidade de atacar ou criticar algo, mas facilmente ignoram o lado positivo destas mesmas coisas. Não estou aqui dizendo que devemos ignorar o lado prejudicial de jogos, da internet e de outras coisas e situações da vida. É importante ter consciência de que podem ser prejudiciais. Mas é importante também perceber que tudo tem seu lado positivo, e que abrindo nossa visão para ambos os lados podemos fazer escolhas muito mais conscientes, sem perder oportunidades de descobrirmos coisas que podem ser muito úteis, nos trazer um pouquinho de diversão ou até transformar a nossa vida ou a vida de alguém.

Sei que o assunto é um pouco polêmico, por isso quero que vocês se sintam à vontade para dar suas opiniões nos comentários, de forma a gerarmos mais discussões interessantes sobre o assunto.

O que vocês pensam sobre esse assunto? Concordam? Discordam? Têm alguma experiência para compartilhar? Contem nos comentários!

Fotos: 123

Postado por Stephanie Gomes

09.08.16 • Em Positividade, Reflexão

Você quer viver em um mundo melhor? Quer um mundo com mais amor, mais gentileza, mais honestidade, mais positividade e mais alegria? Um mundo com menos desigualdade, menos injustiças, menos ódio, menos negatividade?

Você quer mais harmonia no seu trabalho, na sua casa, no seu relacionamento?

Eu também quero e acredito que é possível. Porque enxergo essa questão do “bem” e do “mal” de uma forma muito simples: a escuridão só existe enquanto não há luz. A partir do momento em que a luz é acesa, a escuridão deixa de existir.

E onde é que fica essa luz?

Na gente.

Seja luz

De vez em quando eu escrevo algum post aqui no blog sobre como podemos colaborar para criar um mundo melhor, mas meu objetivo na verdade é ajudar as pessoas a cuidarem principalmente delas mesmas, porque eu acredito que quando alguém é bom para si, consequentemente torna-se bom para os outros e para o mundo.

Se a escuridão é apenas a ausência da luz, a única coisa que precisamos fazer para iluminar a nós mesmos e tudo o que há à nossa volta é gerarmos luz – ou melhor, SERMOS luz. Tudo o que você precisa fazer para iluminar a sua vida e o mundo é se tornar luz para si mesmo. Seja bom, honesto e verdadeiro com você e naturalmente será capaz de iluminar todo o resto. Já imaginou como o mundo seria diferente se todas as pessoas fossem mais verdadeiras, amorosas e contentes com elas mesmas?

Seja luz para si mesmo e você estará fazendo tudo o que está ao seu alcance para iluminar tudo o que existe.

Seja luz

Você é luz quando faz aquilo que ama fazer
Você é luz quando se permite ser quem é
Você é luz quando sorri
Você é luz quando se emociona
Você é luz quando transforma a sua inspiração em algo inspirador
Você é luz quando acredita no seu potencial
Você é luz quando enxerga o lado positivo daquilo que a maioria só vê pelo lado negativo
Você é luz quando faz aquilo que seu coração deseja
Você é luz quando respira fundo e reencontra sua paz interior
Você é luz quando transmite energia positiva através do que fala
Você é luz quando transmite energia positiva através do que faz
Você é luz quando insere positividade dentro de uma situação carregada de negatividade
Você é luz quando expõe a sua verdade
Você é luz quando escolhe o amor ao invés de escolher o medo
Você é luz quando perdoa
Você é luz quando tem consciência daquilo que te guia
Você é luz quando se aceita e se ama do jeito que é
Você é luz quando dá atenção às suas vontades e sonhos
Você é luz quando trata a si mesmo com carinho
Você é luz quando baseia suas escolhas na sua definição de felicidade
Você é luz quando trabalha pela sua evolução
Você é luz quando se lembra do quanto a sua existência importa
Você é luz quando reconhece a sua sombra e percebe que tem nas mãos a chance de iluminá-la

Você é luz agora, nesse exato momento. Você já está iluminando. Você está transformando o mundo a cada segundo.

Sejamos luz. Continuemos sendo luz.

O mundo precisa de nós.

Postado por Stephanie Gomes

04.08.16 • Em Vídeos

Tá com a sensação de que sua vida estagnou? Quer uma mudança mas parece que tem algo te “travando”? Alguma área da sua vida parece estar bloqueada?

Compartilhei em vídeo um conselho que minha mãe sempre me dava quando eu era mais nova e que acho muito proveitoso para esses momentos em que sentimos que a nossa vida estagnou e queremos fazê-la fluir novamente.

Postado por Stephanie Gomes

01.08.16 • Em Blog

Sim! Hoje o Desassossegada completa três anos de existência!!!

Três anos, 260 textos, 34 vídeos e muito aprendizado. Acredito que quem me acompanha sabe o quanto esse blog é importante para mim, o quanto eu cresci nesses três anos e como faço esse trabalho com carinho e amor. Sou muito grata a mim mesma pelo dia em que resolvi criar o Desassossegada para me ajudar no momento difícil que eu estava passando, e sou mais grata ainda a vocês por acreditarem e confiarem em mim, por me mostrarem que eu posso ajudar outras pessoas sendo quem eu sou e por me incentivarem a continuar.

Primeiro layout do blog

(Quem conheceu o blog quando ele tinha esse layout horroroso feito por mim? Hahaha!)

Fiquei pensando em uma forma de escrever algo especial para esse dia, mas eu queria, além de agradecer, passar alguma mensagem positiva e útil para vocês – como procuro fazer em todos os posts. Resolvi então compartilhar alguns dos aprendizados mais importantes que o Desassossegada trouxe para a minha vida, pois acho que são mensagens que podem inspirar vocês também.

1) O mundo é cheio de pessoas incríveis. Seja quem você é e elas entrarão na sua vida

Eu sempre fui uma pessoa meio “diferente” e por isso foram raras as fases da minha vida em que me senti encaixada em algum grupo de pessoas. Por causa disso, acabei me tornando meio anti-social. Eu achava que o problema era eu, e que eu nunca encontraria amizades legais e pessoas que combinassem comigo. Vivia dizendo que eu era o tipo de pessoa que “não gosta de pessoas”.

Mas pessoas são importantes. É com elas que nós compartilhamos momentos, desabafamos, dividimos nossas vidas, aprendemos… Hoje eu tenho na minha vida muitas pessoas com quem eu combino, que eu admiro e com as quais eu gosto de conversar, e é impressionante perceber que essas pessoas só entraram na minha vida quando eu me permiti ser eu mesma e, principalmente, mostrar quem eu sou. O blog foi fundamental para isso e muitas dessas pessoas vieram daqui, são leitores do blog que se tornaram amigos ou pessoas que eu já conhecia “de vista”, mas que se interessaram por mim quando me conheceram melhor através do que eu mostro aqui.

A verdade é que todas as pessoas são incríveis, mas nós queremos na nossa vida principalmente aquelas com quem a gente se identifica, com quem nos sentimos à vontade, com quem a nossa energia “bate”. O caminho para que essas pessoas entrem na nossa vida eu descobri que é muito simples: se permita ser e mostrar quem você é e as pessoas certas virão.

2) O desassossego é tão importante quanto o sossego

Ahhh, nem sei dizer quantas vezes eu já pensei em mudar o nome desse blog! Algumas pessoas já vieram me dizer que “desassossego” é uma palavra negativa, mas para mim ela continua tendo um significado muito important e positivo. Foi quando eu me vi desassossegada com a vida que estava vivendo que resolvi começar a me movimentar para fazer as coisas mudarem. Foi o desassossego que me fez levantar, me mexer e fazer as coisas acontecerem.

Eu falo muito aqui no blog sobre a importância de relaxar, de diminuir o ritmo de vez em quando, de encontrar um pouco de sossego em meio à agitação de nossas vidas. Mas ao mesmo tempo em que acredito que sossegar é importante, sei o quanto o desassossego foi fundamental para que eu resolvesse tomar as rédeas da minha vida e começasse a trabalhar pelos meus sonhos. Foi pelo desassossego que eu comecei a me conhecer, me transformar, evoluir e fazer as coisas acontecerem. É no desassossego que a vida se movimenta, e essa é uma das coisas mais importantes que eu procuro manter em mente e passar para vocês.

3) Eu sei muito pouco (e isso é ótimo!)

Eu amo aprender, amo descobrir coisas novas e por isso acho maravilhoso perceber que sei muito pouco e ainda tenho tanto a explorar. Fico feliz por ter a certeza de que nunca vão faltar coisas lindas e interessantes para serem vistas, descobertas, entendidas e exploradas. Isso me motiva a viver e a me manter aberta a aprender com qualquer pessoa, qualquer situação, qualquer fase que eu esteja vivendo. Todo mundo tem algo a nos ensinar e toda situação, por pior que seja, deixa algum aprendizado importante para a continuação da nossa vida. Ter consciência de que sei muito pouco faz com que eu ouça as pessoas com mais atenção, aceite melhor as situações e observe a mim mesma de forma mais neutra.

4) Mudar de ideia é ótimo!

Eu não sou mais a mesma Stephanie do começo do blog. Ainda bem! Muitas ideias e vontades que eu tinha mudaram, algumas coisas que eu pensava há três anos hoje não fazem mais sentido para mim. Falta de personalidade? O sucesso subiu à cabeça (hahaha!)? Não, eu apenas mudei e isso é um ótimo sinal de que estou constantemente buscando, aprendendo, crescendo, evoluindo, me movimentando…

Com as mudanças, muitas transformações positivas vieram: eu sou menos frágil, mais equilibrada, me entendo e me aceito muito mais do que há três anos, faço coisas que achava que nunca teria coragem de fazer… Hoje sei que mudar de ideia ou de atitude não quer dizer que uma pessoa não é autêntica, que é contraditória, que “se vendeu” ou qualquer outra bobagem que muita gente usa como julgamento quando percebe que alguém mudou.

Mudar é bom! Permita-se mudar e permita que os outros também mudem.

5) Abrir-se ao novo é sempre uma sábia decisão

Não me lembro de ter me arrependido de nenhuma vez em que eu disse “sim” para uma vontade, uma ideia ou um risco que eu acreditava que valia a pena correr pela minha felicidade. Nem tudo a que eu disse “sim” deu certo, teve continuidade ou resultou em algo incrível, mas é nítido que eu nunca me arrependo de me abrir a fazer coisas das quais eu tenho medo ou vergonha (tipo gravar vídeos!) ou de ampliar meus horizontes e descobrir perspectivas e interesses novos.

Tudo aquilo a que a gente diz SIM com vontade agrega algo em nossas vidas. Às vezes nos traz algo que muda positivamente os nossos dias, às vezes deixa um ensinamento importante ou encaixa mais uma peça do nosso autoconhecimento.

6) Cada um tem seu caminho, mas as experiências dos outros podem nos ajudar

Depois de algum tempo escrevendo aqui, percebi que era importante sempre deixar claro que nem tudo o que dá certo para mim dá certo para todo mundo. Cada pessoa é única e cada um de nós tem suas histórias, suas dores, suas alegrias, seus traumas, seu tempo… mas, mesmo assim, ainda acredito que compartilhar experiências positivas é uma forma maravilhosa de ajudar os outros.

Quantas vezes eu já assisti a um vídeo no Youtube de alguém compartilhando uma experiência que viveu e aquilo me ajudou? Quantas vezes eu me senti melhor por descobrir que não era a única pessoa no mundo que se sentia de tal forma após ler um post em um blog?

Já recebi algumas críticas de profissionais (principalmente psicólogos) que comentaram aqui no blog dizendo que eu não podia falar de certos assuntos por não ser profissional da área. Foi bem no começo do blog e eu fiquei mal, confesso. Achei que devia parar, que estava fazendo algo errado. Mas já fui tão ajudada por outros blogueiros/youtubers e recebo tantas mensagens de leitores dizendo que os ajudei de alguma forma, que percebi que compartilhar experiências pessoais pode não ser o mesmo que oferecer uma sessão de terapia, mas também tem muito valor.

7) Aceitar quem a gente é é a maior revolução que podemos fazer em nossas vidas

Nos últimos três anos, graças a várias coisas que faço para o blog e por causa do blog, eu finalmente aprendi a aceitar que sou tímida, introvertida, não-tão-carismática quanto eu gostaria e várias outras características que eu costumava negar e esconder de mim mesma e dos outros. Hoje falo sobre isso numa boa e percebi que o mais importante não é ser incrivelmente extrovertida ou falar perfeitamente em frente às câmeras como se eu fosse uma apresentadora de TV, e sim ser verdadeira.

A partir do momento em que me aceitei, fui honesta comigo mesma e me permiti ser e mostrar quem eu sou, fui recompensada com muito carinho, e vocês também se permitiram ser verdadeiros comigo e confiarem em mim. Eu achava que me permitir ser quem eu sou me tornaria mais frágil, mas acabou me tornando mais forte.

8) A prática é sempre a melhor forma de aprender qualquer coisa

A teoria é maravilhosa. Eu adoro saber que ajudei pessoas a refletirem sobre coisas importantes e que leitores se sentiram inspiradas ao ler algum texto aqui do blog. Mas tem uma coisa muito importante que aprendi sobre a teoria: os resultados positivos que ela pode trazer para a sua vida nem se comparam ao que você pode alcançar com a prática.

Talvez vocês se espantem com o que vou falar, mas lá vai: eu criei esse blog pra ajudar a mim mesma, não aos outros. Antes de começar a escrever aqui eu nunca tinha visto muita graça em ajudar as pessoas, na verdade eu queria trabalhar fechada em um escritório para não ter contato com ninguém. Mas aos poucos, conforme as pessoas foram aparecendo por aqui e confiando em mim para pedir ajuda, eu comecei a ajudá-las e perceber que gostava disso. Foi se tornando cada vez mais gratificante saber que ajudei alguém com algo que escrevi ou falei. Foi na prática, na ação e na vivência que eu descobri que amo fazer o que hoje chamo de minha missão.

Poderia citar muitos outros exemplos de coisas que só aprendi (e continuo aprendendo) com muita prática: posturas de yoga, escrever bem, falar em frente à câmera, me organizar, falar inglês, lidar com pessoas e muitas outras coisas.

Quer aprender algo de verdade? Pratique.

9) Faça o que você ama, faça o que você ama, faça o que você ama!

Eu criei o Desassossegada com esse objetivo: fazer o que eu amo – que é escrever. Conheço vários blogs que falam sobre esse assunto e incentivam pessoas a buscarem fazer o que amam, mas de uns tempos pra cá eu tenho visto muitos blogueiros escrevendo o contrário: NÃO faça o que você ama! Ou então: pare de buscar o trabalho dos seus sonhos e aprenda a amar o que você faz hoje.

Eu concordo com a parte de aprender a amar o que você faz no presente, e também com alguns outros argumentos apresentados, mas não posso concordar com a parte que diz que não devemos buscar fazer aquilo que amamos. Eu acho que essa é uma das buscas mais importantes que podemos fazer na vida. A maioria de nós precisa trabalhar para ganhar dinheiro e viver bem. Por que não poderíamos então descobrir o que é que amamos fazer e transformar isso em um objetivo? Eu acredito SIM que devemos correr atrás da vida que queremos viver, e o trabalho que vamos desempenhar é parte importantíssima disso. Eu acredito que só podemos oferecer todo o nosso potencial através do trabalho se realmente amarmos o que fazemos. Então sigo dando o mesmo conselho a mim mesma e aos outros: faça o que você ama!

10) Tá tudo bem!

Tem dias em que não consigo escrever nada para o blog. Tem dias que não quero escrever. Às vezes chego em casa à noite e quero ficar deitada assistindo uma série sem pensar em coisas do blog. No começo isso me assustava, e eu pensava “será que tô desistindo? será que não quero mais continuar?”. Mas hoje eu sei: é só um dia chatinho, vai passar. Tudo bem se sentir assim.

Tem dias que eu tento meditar mas a minha mente não para de tagarelar. Tudo bem.

Tem dias que eu não tô a fim de conversa. E tudo bem.

Tem dias que eu faço tudo ao contrário do que digo e escrevo aqui. Mas isso não quer dizer que eu sou uma pessoa horrível que dá conselhos bons para outras pessoas mas não os segue. É só um dia ruim. Tá tudo bem!

Eu ficava tão chateada comigo mesma quando não conseguia ser e fazer aquilo que eu esperava de mim. Ficava tão desanimada quando tinha um dia ruim. Sentia vontade de jogar tudo pro alto quando algo não dava certo. Até que eu aprendi a dizer a mim mesma: Calma, tá tudo bem. Apenas pare de se maltratar. Tudo bem você não ser perfeita, tudo bem nem tudo dar certo. Pode ficar triste um pouquinho, tudo bem. Pode deixar tudo de lado por alguns dias, não tem problema. Tá tudo bem.

10 coisas que aprendi em três anos de blog

Só posso agradecer por tudo o que me aconteceu antes do dia 01/08/13. O que quer que tenha acontecido de bom ou de ruim, me trouxe até aqui.

Com o coração cheio de alegria, gratidão e amor, hoje é dia de dizer: parabéns pra nós! Que venham muitos e muitos aniversários do Desassossegada para comemorarmos juntos!

Postado por Stephanie Gomes

28.07.16 • Em Bem-estar, Vídeos

Sabe quando bate aquele desânimo e você não sabe de onde tirar forças pra fazer as coisas que precisa fazer?

Foi em um desses momentos que acabei recebendo uma luz para criar uma afirmação muito simples que tem me ajudado a sair desse estado de desânimo e recuperar a força de vontade para continuar.

Contei em vídeo qual é essa afirmação e como você pode usá-la para se sentir melhor:

Postado por Stephanie Gomes