22.12.14 • Em Comportamento, Motivação

Já fizemos uma profunda reflexão sobre o ano que passou e muitos já estão com sua listinha de resoluções pronta para o ano que vem, recheada de coisas que querem viver e conquistar. Junto a tudo isto, é importante lembrar que, além de refletir e colocar os objetivos no papel, é fundamental decidirmos de que maneira vamos agir para tornar o novo ano ainda melhor.

12 atitudes para melhorar em 2015

Melhorar nossas atitudes é o primeiro e mais importante passo para que tudo à nossa volta melhore também. Se queremos que, em 2015, nossa rotina, nossos relacionamentos, nossos pensamentos e nossas experiências sejam maravilhosas, precisamos agir maravilhosamente! Se o que queremos é um ano cheio de paz, temos que buscar atitudes que condizem com isso. Se desejamos que 2015 seja mais animado que 2014, precisamos descobrir o que fazer para animar! E por aí vai.

É você quem precisa determinar quais atitudes quer mudar e melhorar para o próximo ano, mas aqui estão algumas que você pode pensar em aplicar e que com certeza trarão coisas boas para sua vida em no ano que vem (mas você pode começar desde já!):

1) Tenha mais empatia

Empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro, de compreender os sentimentos e emoções alheias e de interessar-se verdadeiramente pelas outras pessoas. É buscar entender ao invés de julgar, seja em qual situação for. A empatia é algo cada vez mais raro nas pessoas, mas que deveria ser estimulado, pois se relacionar bem com os outros é muito importante para a felicidade. É pela empatia que você se torna mais aberto, se comunica melhor e constrói bons relacionamentos, seja de amizade, de amor, de família, no trabalho… Ter boas relações em todas as áreas da vida torna nosso dia a dia melhor e também nos reserva surpresas positivas: o ambiente de trabalho melhora, surgem novas amizades, você se reaproxima de seus familiares, traz boas energias para sua vida e se torna alguém querido pelas outras pessoas.

2) Aprenda a priorizar

Parece muito simples, mas não é. A maioria das pessoas não sabe priorizar o que é mais importante e acaba fazendo tudo de acordo com sua vontade e humor do momento, ou conforme as coisas vão surgindo. Se você tem planos e ainda não se preocupou em parar e determinar o que é mais importante fazer, é bem provável que a falta de prioridade esteja te atrasando de alguma forma. 2015 vai ser o ano de acabar com essa bagunça. Você vai parar, pegar um papel e anotar tudo a que quer se dedicar daqui para a frente. Vai colocar a lista em ordem de importância e então decidir quanto de si vai dedicar a cada uma das coisas e o que vai fazer por elas. Guarde estas anotações com você e consulte-a sempre que perceber que suas prioridades não estão claras ou que suas ações não estão organizadas. É claro que suas prioridades podem mudar, mas não deixe que seus planos fiquem soltos e suas ações sejam aleatórias. Priorize sempre.

3) Organize melhor seu tempo

Se você vive dizendo que não tem tempo para nada, é hora de se reorganizar e fazer algumas mudanças. Você não quer passar o resto da vida sem tempo para o que importa para você, quer? Em 2015 isso vai finalmente mudar. Minha palavra favorita para organização é planejamento. Vale a pena colocar no papel as tarefas diárias que você precisa fazer, e então organizar uma espécie de cronograma do que vai fazer em cada dia da semana (é como faço com o blog e funciona muito bem). Você pode determinar até quanto tempo vai dedicar a cada uma das coisas que pretende fazer, adaptando à sua rotina. Provavelmente, para ter mais tempo, você vai precisar diminuir o tempo no Facebook, na televisão ou em outras coisas menos importantes. Sem organização é mais difícil abandonar estas coisas do dia a dia, mas se tiver suas ações pré-planejadas e souber que tem que cumpri-las, fica mais fácil se sentir motivado a não desperdiçar tempo.

4) Divirta-se mais

A vida precisa ser leve! E a melhor tática para se livrar do peso causado pela rotina, a pressa, as preocupações e obrigações é se divertir! Se tem feito muito pouco disso, não só procure aproveitar melhor o seu tempo livre mas também aprenda a se divertir dentro das situações do seu dia a dia. Converse mais, ria e aproveite as pequenas coisas! Deixe que a vida seja mais leve, alegre e divertida. É apenas uma questão de escolher como agir, pensar e viver.

12 atitudes para melhorar em 2015

5) Fale mais sobre coisas boas

Para melhorar a energia que você absorve e transmite, melhore a qualidade do que você fala. 2015 será o ano em que você vai se observar e procurar falar e ouvir mais sobre coisas positivas, se afastando o máximo que puder da negatividade. Mas se você acha que o primeiro passo para se afastar da negatividade é cortar relações com algumas pessoas, está enganado. Antes, é preciso que você mesmo mude a sua atitude. Troque as fofocas e comentários maldosos por assuntos mais interessantes. Não deixe de compartilhar seus sentimentos, mas veja bem se não está obcecado pelas histórias tristes da sua vida e acostumado a falar só sobre elas. Fale mais sobre coisas boas e menos sobre aquilo que intoxica você e os outros com negatividade.

6) Pare de adiar suas vontades

Sabe aquele lugar na sua cidade que você sempre fala que gostaria de conhecer? Aquele curso que adoraria se matricular? Aquela experiência que você tem vontade de viver? E aquela sua ideia de reunir os amigos para um programa diferente? Onde você colocou tudo isso? Na sua lista de coisas que fará “um dia”? Tenho uma novidade para você: o “um dia” chegou! É hoje! Portanto, pare de encher a lista de coisas que quer fazer e comece a diminuí-la. As vontades que você sente são os desejos mais sinceros do seu coração. Elas são importantes! Pare de adiá-las para depois. Em 2015, toda vez que ouvir um pedido vindo de dentro, escute-o, levante e dê um jeito de fazê-lo. Sem desculpas, sem “mas”. Viva.

7) Aprecie o que você tem

É claro que não há problema em desejar e sonhar com mais, temos mesmo que querer e buscar melhorar sempre. Mas não podemos viver apenas ansiando por aquilo que não temos, porque mais importante do que isso é apreciarmos e sermos gratos por tudo o que já temos e vivemos. A sua vida está acontecendo agora, não em um possível futuro em que você acredita que conseguirá o que quer. Se não conseguir amar a vida que tem hoje porque está ocupado apenas sonhando com o futuro, mesmo quando ele chegar você continuará descontente, porque tudo o que você sabe fazer é querer mais, não aprendeu a apreciar o que tem. O segredo é o que sempre digo: lutar pelo futuro, mas também aceitar e amar o presente.

8) Cuidado com as armadilhas do ego

O ego nada tem a ver com autoestima, confiança e orgulho de si mesmo. Ele é uma armadilha que nos faz acreditar que somos superiores por algum motivo, que não temos nada a aprender e que o prazer está em mostrar nossa superioridade a quem acreditamos que seja inferior. O ego faz com que você se perca dentro de si mesmo, é o tipo de interiorização que não te leva ao autoconhecimento, e sim ao engano. Ele faz você perder o verdadeiro significado das coisas boas, já que te torna ocupado demais consigo mesmo para olhar para fora e ver o quanto você tem a aprender. A principal arma contra o ego é a humildade. O que não significa não confiar em si, mas deixar de lado o conceito de “superior”. Orgulhe-se de si, mas não carregue a ideia de superioridade. O ego faz com que as coisas percam o encanto. Cuidado com ele.

9) Abra-se para o novo

Que tal começar 2015 disposto a ultrapassar os próprios preconceitos, medos e inseguranças, e se dispor a fazer coisas novas? No início pode parecer muito difícil, mas você consegue! Acostume-se a chamar mais vezes a força de vontade e a coragem dentro de você e arrisque-se mais, experimente e aproveite as oportunidades que surgirem de fazer coisas novas. Não é garantido que você irá gostar de tudo o que conhecer de novo, mas é certo que 2015 poderá te trazer muitas boas surpresas se você decidir se abrir para a vida.

12 atitudes para melhorar em 2015

10) Lide melhor com as críticas, problemas e erros

Toda vez que enfrentar uma situação indesejada, não se esqueça de parar e se questionar sobre o que pode aprender com o que está acontecendo. Pode ser difícil encontrar uma resposta, e talvez você não encontre de imediato, mas mesmo assim pergunte-se. Essa pequena atitude já fará com que sua perspectiva se abra e você consiga começar a enxergar além do problema.

11) Gaste seu dinheiro com inteligência

Se você resolveu fazer uma limpeza em suas coisas antes de 2014 terminar, deve ter percebido a quantidade de dinheiro desperdiçado em coisas que foram muito pouco (ou nunca) usadas, coisas que não gosta, que não precisava e que apenas ocupam espaço. Se não fez, aconselho que faça e preste atenção nisso. Eu fiz e foi realmente um choque, mas valeu a pena para me fazer perceber que preciso começar a gastar meu dinheiro com mais consciência. Aprendi que preciso pensar mil vezes antes de comprar algo. Que devo parar de comprar vários livros, esmaltes e hidratantes de uma vez porque acabo deixando todos encalhados e sem uso. Que só devo comprar quando realmente gostar muito. Que devo me perguntar: vou usar isso? Tenho onde guardar? Combina com o que já tenho? Combina comigo? Em 2015, chega de gastar sem pensar.

12) Seja honesto com você

Nós mentimos muito para nós mesmos. Fingimos que está tudo bem quando não está, engolimos palavras e sentimentos como se eles não existissem, não escutamos a voz que fala em nosso interior. Você não precisa dividir tudo com o mundo, mas precisa ser honesto com você mesmo. Quando houver um problema, admita. Quando estiver em dúvida, assuma isso para si. Não finja que está tudo bem. Mudar isso vai melhorar muito a relação que você tem com você mesmo, sua autoestima, confiança e, principalmente, seu autoconhecimento.

Fotos: 123

Postado por Stephanie Gomes

15.12.14 • Em Atividades, Produtividade

A palavra “vida” é um substantivo com vários adjetivos. Alguns deles somos nós que determinamos: ela pode ser linda, incrível, bem aproveitada, apaixonante, feliz… Outros, são característicos e inalteráveis, funcionam igualmente para todas as pessoas. Um exemplo: a vida é curta. Curta, mas não insuficiente. Temos tempo o bastante para construirmos e vivermos uma vida que vale a pena.

É nessa hora que você diz: “mas eu não consigo encontrar tempo para nada!”. Tem razão. Tempo não se encontra, se cria. E se você não pretende se dar ao trabalho de criar tempo para viver a sua vida da forma que te faz feliz, qual a razão de viver? Se essa pergunta te toca e faz você sentir que precisa criar mais tempo para investir em sua felicidade, comece com o seguinte:

1) Dedicar-se ao que você ama

Este é o primeiro item da lista porque ele é, definitivamente, o mais importante. O que é realmente importante para você? Sua família, seus amigos, seu animal de estimação, sua casa, um grande projeto, seu hobby, algo que esteja tentando aprender, um objetivo… O que você ama de verdade? Tudo bem não amar todas as atividades que você faz (ninguém ama pagar contas, ir ao médico, acordar cedo…), mas não está tudo bem se você nunca tem tempo para aquilo que ama.

10 coisas que você precisa começar a encontrar tempo para fazer

2) Planejar sua vida

É claro que muitas coisas boas surgem sem planejamento, de surpresa. Mas jogar a vida ao vento e esperar que ela te surpreenda trazendo tudo o que você sonha, sem tomar nenhuma atitude e fazer escolhas não é uma boa ideia. Tão importante quanto saber o que você quer é ter tempo para pensar em seus planos de ação. Ao contrário do que muitos pensam, planejamento não é perda de tempo. Quando você se planeja as coisas ficam mais claras, organizadas e possíveis. Fazer um planejamento é também uma ótima forma de encontrar motivação. Crie algum tempo para se planejar e vai ficar mais fácil partir para a realização.

3) Conectar-se às pessoas (não na internet!)

É muito importante saber ser feliz quando você está sozinho, mas isso não significa que isolar-se do mundo seja o ideal. Vivemos em sociedade e somos seres que precisam se relacionar com outros. É essencial para a felicidade compartilhar momentos, experiências e aprendizados e nós precisamos das outras pessoas para conversar, rir, desabafar, ter companhia… Sei que tudo isso pode ser feito pelo Whatsapp, mas nada se compara à conexão da presença. Comece a criar algum tempo para estar com sua família e amigos e você vai conseguir perceber por si só como isso é importante.

4) Olhar para dentro si

Ter consciência de suas emoções, sentimentos e desejos, sejam eles positivos ou negativos, bons ou ruins é, com certeza, a parte mais importante do autoconhecimento. Mas como chegar a uma conclusão certa sobre tudo isso? É simples, mas requer tempo para se dedicar a refletir e ser honesto com você mesmo. Desligue-se do mundo externo por algum tempo e olhe para si. Pergunte-se: eu estou bem? Qual emoção predomina em mim neste momento? Por que? O que fiz para estar assim? Estou no caminho certo ou preciso mudar algo? O que posso fazer agora? Parece simples demais, mas raramente nos damos tempo para fazer isso, e depois dizemos que não sabemos como buscar autoconhecimento. Arrume um tempo e comece por aí.

5) Ter momentos de paz

Viver 24 horas por dia, sete dias por semana, 30 dias por mês envolvido com obrigações e atividades estressantes, e não ter nem um tempinho para relaxar e descansar a cabeça deixa qualquer um infeliz. É importante ter alguns momentos de desaceleração e reenergização todos os dias, senão a mente e o corpo não aguentam. Pelo menos uma vez por dia, apenas pare e faça algo que dê paz para o seu coração. Descubra o que funciona para você. Pode ser ficar em silêncio, deitar no escuro por alguns minutos, meditar, fazer yoga, caminhar, praticar um esporte, dançar, cozinhar… Encontre algo que te faça bem e coloque em prática.

10 coisas que você precisa começar a encontrar tempo para fazer

6) Pensar

Acalmar a mente e diminuir os pensamentos é necessário, mas pensar também pode nos fazer muito bem. Quando bem usado, o pensamento tem poderes maravilhosos de melhorar a nossa vida e as nossas emoções. Sempre que tiver algum tempo livre e quiser refletir, faça isso de forma que te traga algum bem. Agradeça pelas coisas boas de sua vida, resgate boas memórias, pense em seus planos e sonhos, pratique pensamentos positivos… o que você quiser. Lembre-se: o pensamento tem poder. Vale a pena investir algum tempo para usá-lo a seu favor.

7) Fazer o que quiser

Sabe aquelas vontades que dão de vez em quando, e você não sabe de onde vêm, mas gostaria de realizar? De ver o seu filme favorito pela milionésima vez, de organizar suas coisas, de dar uma volta por aí, ouvir música, plantar bananeira, fotografar seu cachorro, desenhar, andar de patins, preparar brigadeiro… podem ser coisas bobas mesmo, mas é importante ter tempo para aproveitar a liberdade de escolher qualquer coisa para fazer, sem se preocupar com nada, só em ser feliz. Esse tempo dedicado às nossas vontades acabam muitas vezes sendo deixados em segundo plano, mas são importantes para que a felicidade das pequenas coisas esteja sempre presente.

8) Entretenimento enriquecedor

Conhecimento, aprendizado e crescimento são coisas que todas as pessoas passam a vida em busca, até mesmo os mais desinteressados. Atividades que expandam a mente e aumentem a cultura e o conhecimento são coisas que devemos fazer com o máximo de frequência possível. Se só pensar nisso não te dá vontade de criar tempo para enriquecer seus conhecimentos, pense na possibilidade de fazer isso com atividades que te dão prazer. Ler é uma delas, mas não é a única. Você pode assistir a filmes, séries e documentários de assuntos que acha interessantes, ir ao teatro, jogar um jogo ou ter experiências na prática. Arrume tempo e use a criatividade para se divertir e aprender.

9) Tentar coisas novas

É claro que não há nada de errado em voltar várias vezes no seu restaurante favorito, repetir uma viagem que você amou ou gostar muito de ir a um mesmo lugar, mas experimentar coisas novas também é muito bom! Não seja apegado àquilo que você já conhece por medo de errar em novas tentativas. Vá sim muitas vezes aos lugares que gosta e faça de novo aquilo que você adorou fazer, mas invista tempo também em novidades. Sempre haverá coisas para você descobrir e dentro de você sempre há espaço para gostar de coisas novas. Não use todo o seu tempo dentro da sua zona de conforto, vá passear e se divertir fora dela também!

10 coisas que você precisa começar a encontrar tempo para fazer

10) Realizar

Sonhar e planejar é muito bom, mas pode ser melhor ainda se incluirmos ação. Precisamos criar tempo para realizar nossos desejos e sonhos. Mesmo que não seja o quanto gostaria, o pouco que conseguir é muito precioso. Tempo, aliás, é o nosso bem mais valioso, portanto, quando usá-lo para algo que importa para você (e eu acredito que seus sonhos importem muito) dê tudo de si, faça com amor. Não deixe que seus objetivos parem antes da ação, encontre tempo para agir por eles. Dez minutos de dedicação por dia é muito mais do que nada.

Fotos: 123

Postado por Stephanie Gomes

08.12.14 • Em Livros, Saúde

Livro - Você tem fome de quê?

O nome e a descrição do livro Você tem fome de quê?, do Deepak Chopra, podem enganar à primeira vista. A capa diz: “A solução definitiva para perder peso, ganhar confiança e viver com leveza”. Parece apenas mais um livro sobre dietas, mas ele vai muito além da relação entre comida e corpo. Além de falar sobre a importância de uma alimentação limpa e nutritiva, se preocupa em mostrar que a delicada questão do sobrepeso e da alimentação não saudável engloba o todo: corpo, mente e espírito.

A ideia do livro não é falar sobre aparência ou a busca pelo “corpo ideal”, e sim sobre o caminho para a satisfação e a felicidade verdadeiras, que envolvem também a forma como nos alimentamos. Não é apenas sobre quais alimentos escolher, mas sobre todo o processo de escolha envolvido na alimentação. Você tem fome de quê? mostra que, muitas vezes, nossa fome não é de comida e sim de algo muito mais profundo que nos faz falta. É mais comum do que se imagina usarmos a comida para conseguirmos uma falsa e temporária sensação de satisfação, que deveria ser suprida de outra forma.

Quem nunca tomou a rápida decisão de comer alguma coisa num momento em que se sentiu entediado, triste, magoado, estressado ou desesperançado? Isso nada mais é do que fazer uso emocional do alimento. Só que comida não é emoção, não é sentimento, não é elixir da felicidade. Quando o que necessitamos é alegria, companheirismo, amor, afeto, propósito, paz, contentamento ou afins, precisamos buscar por estas coisas, e não por comida. O problema é que estes sentimentos precisam de uma busca muito mais profunda, trabalhosa e demorada, e a geladeira fica a apenas alguns passos de distância.

Nosso corpo é um reflexo físico das escolhas que fazemos ao longo da vida. Se você não tem um corpo saudável (e aqui não estou falando de músculos definidos, barriga negativa e padrão de beleza, mas sim do peso que é considerado saudável) é provável que esteja buscando satisfação no lugar errado. É justamente este o ponto base do livro: o excesso no consumo de alimento tem sua origem na insatisfação.

A mente é a chave para a perda de peso. Quando ela está satisfeita, o corpo para de ansiar por mais comida.

Para perder peso é necessário se preencher. Todo mundo quer se sentir amado, seguro e querido. Todo mundo quer ter uma vida significativa e feliz. Todo mundo quer paz e emoções positivas. E cada um de nós tem um monte de outros desejos e necessidades. Quando preenchemos estas necessidades, a comida deixa de ser um substituto ao que realmente queremos e se torna apenas mais um prazer entre muitos. Se tivermos a satisfação que realmente precisamos, não nos alimentaremos mais em excesso. Comer não é um erro, muito pelo contrário! “Comer é uma maneira natural de se sentir feliz”. Mas, a partir do momento em que usamos a comida para encobrir sentimentos negativos e compensar o que nos falta, não estamos mais falando em verdadeira felicidade.

livro1

Quando tiver o impulso de pegar algo para comer fora de hora, pergunte-se: o que eu estou sentindo é fome ou necessidade de consolo? É fome ou tédio? Fome ou inquietude? Fome ou nervoso? Caso a resposta seja uma das segundas opções, vá procurar uma forma de preencher estas necessidades, e não comer.

Ter uma vida satisfatória não é tão fácil quanto assistir a um campeonato com um prato de salgadinhos no colo. Mas garanto que a jornada em busca da satisfação é o projeto mais estimulante que alguém pode assumir.

Fazer regime é a solução? Não! Porque o regime não leva em conta a satisfação, pelo contrário. Fazendo regime, ficamos infelizes no presente por uma promessa de que ficaremos felizes no futuro. E a felicidade tem que acontecer aqui e agora, senão ela é apenas um sonho, não é real.

Consciência. Essa é a resposta que o autor Deepak Chopra oferece para revertermos o problema do sobrepeso e da compulsão por comida. Tudo começa em nossa mente, então, se formos capazes de mudar as mensagens negativas, nos livrarmos de padrões do passado e nos tornarmos conscientes daquilo que estamos fazendo, estaremos saudáveis de corpo e mente.

Em primeiro lugar, é preciso substituir pensamentos destrutivos por construtivos:

Destrutivo: Já tentei de tudo, mas nada funcionou. Talvez seja melhor desistir.
Construtivo: Hoje é um novo dia. Seja lá o que aconteceu antes, não conta. Sempre posso recomeçar.

Destrutivo: Sei o que deveria comer, mas não resisto às tentações.
Construtivo: Esses desejos indicam que meu corpo quer ser emocionalmente satisfeito. Vou escutá-lo e dar a ele o que realmente precisa.

É preciso também substituir as palavras negativas que carregamos em nosso pensamentos – preguiçoso, derrotado, fracassado, guloso, relaxado, feio – por palavras que carregam positividade: leveza, sucesso, esperança, renovação, liberdade.

O segundo (e mais importante) passo é entender que é pela falta de consciência do que estamos fazendo que muitas vezes somos vencidos por hábitos, emoções negativas, falta de controle e influência das pessoas. Quando estamos conscientes do que queremos e prestamos atenção ao que estamos fazendo, a alimentação deixa de ser um problema. Quando nos alimentamos inconscientemente, nossa mente “dá um branco” e não nos damos conta do que estamos fazendo, perdendo o controle. Exercitar a consciência é o que vai te livrar dos erros condicionados e permitir que tenha liberdade mental para escolher o melhor. “Nós não temos controle do que não temos consciência”. E a alegria está justamente no despertar para enxergarmos a nossa situação no presente. Só assim conseguimos senti-la.

Você tem fome de quê?

Você pode fazer algumas pequenas mudanças no ato de comer para aumentar a sua atenção e consciência:

- Faça as refeições sentado em uma mesa, sem distrações.
- Aprecie cada garfada, dando atenção ao sabor e aroma e mastigando mais vezes
- Coma no ritmo mais lento que puder
- Não encha o garfo enquanto não tiver mastigado o que está na boca
- Procure não comer quando estiver emocionalmente desequilibrado (de mau humor, preocupado, com raiva…)

Parece difícil tomar uma boa decisão quando nossas emoções não estão equilibradas (é justamente nestes momentos que escolhemos errado), mas para ajudar a melhorar isso, alguns exercícios de consciência, feitos no dia a dia, podem tornar a consciência mais fácil e acessível:

1) Exercite a atenção em momentos do cotidiano: ao escovar os dentes, sinta o movimento do seu braço e o toque da escova nos dentes; quando comer ou beber algo, não faça nenhuma outra atividade, apenas sinta o gosto do que está ingerindo; ao secar o cabelo, perceba o toque dos dedos nos fios; quando estiver trabalhando no piloto automático, preste atenção à sua respiração e aos dedos digitando ou escrevendo; ao se deitar para dormir, sinta o conforto da cama, a temperatura do corpo se ajustando, os membros relaxando. Faça isso sempre que se lembrar.

2) Quando estiver parado (numa fila, sala de espera, ônibus etc) observe quatro coisas: como seu corpo se sente, que imagens estão na sua mente, como está seu humor e quais pensamentos vão e vêm na sua cabeça. Toda vez que você se pergunta o que está acontecendo dentro de você está usando a consciência.

3) Ao se deitar para dormir, repasse o seu dia durante cinco minutos. Relembre cada acontecimento significativo e sinta-se bem e grato pelo dia vivido, sabendo que poderá lidar no dia seguinte com o que não foi feito ou não foi terminado. Se há algo em sua mente que você precisa resolver ou lembrar, escreva em um papel para não ficar preocupado se vai esquecê-la.

4) Em um lugar sossegado, feche os olhos, respire fundo e atente para os batimentos do seu coração. Deixe que sua atenção permaneça ali. Se pensamentos surgirem, concentre-se de novo assim que perceber. Depois de alguns minutos, abra os olhos e volte às suas atividades. Durante a meia hora seguinte, observe se permanece centrado.

livro Você tem fome de quê?

Algumas dicas que o livro dá para uma vida mais leve, nutrida, satisfeita e consciente:

Para a mente:

  • Não se entregue a julgamentos negativos sobre seu corpo
  • Nutra sua alma com leituras positivas e inspiradoras
  • Preste atenção e aprecie o sabor da comida durante a mastigação
  • Leve mais tempo para tomar suas decisões sobre a alimentação
  • Seja paciente com você mesmo quando tiver recaídas
  • Não reprima seus sentimentos

Para o espírito:

  • Todo dia, faça algo que te deixe de coração leve
  • Seja mais gentil com você mesmo e com os outros
  • Tenha gestos mais leves e faça suas atividades com menos pressa
  • Quando se sentir alegre, expresse-se
  • Junte-se a pessoas que são fonte de inspiração para você
  • Reduza as experiência estressantes
  • Encontre um estilo de vida que te faça feliz

Para o corpo:

  • Prefira alimentos mais leves, frescos e naturais
  • Diminua o consumo de alimentos processados e industrializados
  • Coma verduras verde escuras, como espinafre e couve
  • Pare de comer quando estiver razoavelmente satisfeito, não coma até ficar empanturrado
  • Varie os alimentos
  • Escolha exercícios físicos que proporcionem energia e leveza
  • Não deixe de comer quando sentir fome

E o principal: se estiver cansado, descanse. Se estiver entediado, encontre algo para fazer. Se estiver estressado, faça algo que você sabe que te traz bem-estar. Se quiser chorar, chore. Se estiver com fome, coma. Se esforce para colocar o máximo de consciência possível em suas emoções e sensações, para entendê-las e então buscar o que você realmente necessita. Não tente resolver tudo com comida. Busque a verdade dentro de você.

O livro tem muito mais informações do que eu consegui colocar aqui. Tive que pular muitas coisas interessantes para o post não ficar enorme, então, se você tem interesse neste assunto eu recomendo muito que leia o livro. Não apenas para quem procura solução para o sobrepeso, mas a todos que se interessam por saúde e alimentação saudável. O livro se aprofunda bastante no tema consciência e também dá dicas de alimentos para incluir na alimentação, explicando seus benefícios. É bastante explicativo e inspirador.

Postado por Stephanie Gomes

01.12.14 • Em Reflexão

Não dá mais pra fingir que não percebemos: 2014 está chegando ao fim e é hora de fazer aquele balanço do ano que passou. Algumas pessoas chegam nessa época e só querem contar os dias para que o ano acabe logo, na esperança de que o ano seguinte seja melhor. Outras aproveitam para relembrar e agradecer pelos momentos bons que viveram, pelas surpresas boas que a vida lhes trouxe e os aprendizados e conquistas que obtiveram. Se você faz parte do primeiro grupo e todo fim de ano costuma se lembrar só das coisas negativas, é hora de mudar esta perspectiva e fazer uma reflexão com alegria, gratidão e contentamento.

Precisamos falar sobre 2014

Quando penso em como eu estava vivendo e me sentindo no começo do ano percebo que não foi pouco o quanto evoluí. Nem tudo estava ruim, mas eu andava tensa, insatisfeita e entediada com a minha rotina. Graças a tudo o que estava lendo e conhecendo, principalmente por causa do blog, sabia que não queria e muito menos precisava continuar a me sentir assim. Eu podia mudar. E foi graças a uma série de ações e decisões que tomei durante o ano – fazer terapia, a prática de yoga, os livros que eu li, os aprendizados que apliquei, as mudanças que fiz, o que aprendi graças aos meus estudos para o blog – que comecei a me sentir melhor em relação a mim e à minha vida. 2014 foi um ano importante em que plantei coisas essenciais para a minha felicidade. Foi o ano em que mais cresci até hoje. É principalmente por isso que este foi um ano especial para mim.

E para você, o que 2014 te trouxe de mais importante? A proposta deste post é fazer uma reflexão simples mas profunda sobre os últimos meses, com algumas questões para você pensar com calma sobre o ano que passou e o que quer (ou não) levar dele daqui para frente.

Eu vivi da forma que realmente gostaria de viver?

Pode ser que nem tudo esteja exatamente como você gostaria e haja uma ou outra área que precise de mudanças, mas você pelo menos sente que está no caminho certo? Está indo em direção à vida que quer ter – e, de alguma forma, já experimentando-a -, ou está seguindo na direção oposta ao que seu coração deseja? É esta a rotina em que você quer viver nos próximos anos? É assim que quer continuar se relacionando com as pessoas? É do jeito que você se sente hoje que quer continuar se sentindo?

Se suas respostas são negativas, fique calmo. Estas perguntas não são para te deixar desesperado e triste, e sim para te tornar consciente do seu presente. É muito melhor estar ciente de tudo isso agora do que mais tarde, para ter a oportunidade de não desperdiçar tanto tempo insistindo no caminho errado. Ignorar o que não está bom nunca é a melhor opção, então abra já os olhos para a sua realidade. Quando entender, assumir e aceitar que algo precisa ser transformado, naturalmente a coragem para agir pela mudança virá.

Qual foi a melhor coisa que me aconteceu este ano?

Este é um ótimo momento para agradecer de todo o seu coração por ela. Aproveite o embalo e lembre-se de outros momentos bons que viveu. Quais foram as suas melhores experiências? E os pequenos acontecimentos dos quais você se lembra com alegria? Dedique um tempo para pensar nisso, porque relembrar nos faz reviver os momentos e as emoções boas do passado, e dá ânimo perceber o quanto vale a pena viver e continuar buscando aproveitar a vida. Lembre-se dos lugares que conheceu, dos livros incríveis que leu, dos melhores momentos da viagem que fez, dos riscos que teve coragem de enfrentar, das risadas, dos reencontros, do carinho que recebeu e das coisas diferentes que nunca tinha feito e adorou fazer.

Precisamos falar sobre 2014

O que eu aprendi em 2014?

Que coisas novas você se dispôs a aprender? Quais aprendizados e conhecimentos acrescentou à sua vida? Como está usando-os? Dê valor a tudo o que aprendeu este ano, das coisas mais simples às superimportantes. Perceba o quanto cresceu do início do ano para cá e quantas coisas não sabia e agora sabe. Pode ter certeza que tudo o que você acrescentou à sua vida é útil e vai te servir em algum momento. Se tiver algo que você adorou aprender, não deixe de lado, continue fazendo!

Qual foi a minha grande transformação este ano?

Que mudança importante você conseguiu concretizar? Pode ser uma atitude negativa que costumava ter e conseguiu mudar, um hábito ruim que deixou para trás, uma decisão importante que mudou a sua vida para melhor… Pense nas evoluções que obteve em 2014, no esforço que você fez para conseguir e nas recompensas que isso está te trazendo. Perceba o quanto você é capaz de fazer por si mesmo. Sim, você conseguiu! Carregue este pensamento para lembrar-se de que você é sempre capaz de transformar o que quiser se começar por si mesmo e se dispuser a agir. Use essa força e este pensamento positivo para continuar melhorando.

O que eu não consegui melhorar?

No começo deste ano você prometeu que seria mais organizado, menos ciumento, que faria algo para melhorar a ansiedade, que melhoraria sua alimentação, que teria coragem de sair da sua zona de conforto, que seria mais otimista e praticaria pensamentos positivos, ou alguma outra promessa de mudança interior que não conseguiu cumprir? Eu também!

Provavelmente a razão para não ter conseguido é que você não ofereceu atenção ou dedicação suficiente. Se neste momento você souber que uma destas atitudes negativas está te prejudicando e não quiser mais adiar para mudá-la, precisa dar prioridade a isso. Reflita, chegue a uma conclusão sobre qual é exatamente o problema e então descubra o que pode fazer para mudar. Se não estiver se sentindo determinado, procure inspiração ou ajuda. Procure leituras sobre o assunto, exemplos de pessoas que fizeram o que você quer fazer, alguém com quem conversar ou uma atividade que te ajude a conseguir motivação.

Em que ponto piorei?

É hora de pensar sobre as manias, hábitos, comportamentos e atitudes que nunca foram tão ruins. Seja sincero: o que você está fazendo de totalmente errado, sabendo que está errado e que te prejudica? Abandonou sua vida social em nome das obrigações e está extremamente estressado? Tem tratado as pessoas com repugnância gratuitamente (descontando nelas seus problemas com você mesmo)? Se sente mal quando olha sua aparência no espelho? Está carregando mágoas desnecessárias porque decidiu não ser mais nem um pouco tolerante? Estes são só alguns exemplos de reações bastante comuns que se tornam um círculo vicioso se você não se policiar e cuidar de suas ações.

Comece perguntando-se: Por que regredi neste ponto? Qual a principal causa desta piora? Onde é que se inicia este círculo de ações e consequências negativas? Por exemplo, se você tem perdido a paciência facilmente quando está no trânsito, com seus companheiros de trabalho ou com sua família, será que esta sua ação realmente tem início neles? Ou é algo que você está trazendo dentro de si e descontando em quem está na sua frente? Se você está triste e descontente com a sua autoestima, será que a sua falta de vaidade na verdade não é uma forma de esconder um problema bem mais profundo? Tente cavar o mais fundo que puder dentro de si para encontrar a causa daquilo que você está fazendo de ruim.

O que eu quero deixar para trás?

Que acontecimentos, lembranças, sentimentos, erros, pessoas, coisas e problemas você quer que fiquem no passado? O que deste ano você não quer mais carregar com você? É hora de dar adeus àquilo que não quer mais. É hora de fazer uma limpeza na sua vida e deixar só aquilo que importa e vale a pena. Será preciso uma grande dose de força de vontade e talvez um pouco de coragem – desapegar nem sempre é fácil. Mas veja isso como uma limpeza que vai abrir espaço para que coisas novas e melhores entrem em sua vida. Limpe seus pensamentos para tirar todo arrependimento, culpa e lembranças que não te fazem bem. Limpe suas gavetas e armários para que fique apenas o que é importante e abrir espaço para o que vier de novo. Faça uma limpeza dentro de si e abandone os sentimentos negativos plantando positividade em seus pensamentos e ações. Tire da sua vida tudo aquilo que você sabe que não te faz bem. Não há motivo para continuar carregando tanta coisa que não tem utilidade para a sua felicidade.

Precisamos falar sobre 2014

O que eu quero levar comigo?

Que coisas ótimas você ganhou e conquistou este ano e quer levar com você para sempre? Um novo hobby? O estilo de vida que estabeleceu para você? A forma como aprendeu a lidar com determinada situação? Os amigos maravilhosos que fez? Não deixe nada disso escapar! Continue trabalhando para manter as coisas boas que conseguiu, não deixe que elas se percam em meio às obrigações e falta de tempo. Muitas vezes nós deixamos de lado coisas que nos fazem felizes porque achamos que “um dia” “quando der” poderemos voltar para buscá-las. Mas a verdade é que raramente voltamos. Se te faz feliz, não abandone! Insista e leve SEMPRE com você aquilo que você sabe que te faz feliz. É o que você tem de mais importante na vida.

Fotos: 123

Postado por Stephanie Gomes


Uma verdade incontestável: sua vida só se transforma quando você se dispõe a transformar a si mesmo. Se queremos mudar para melhor, obviamente precisamos melhorar nossas atitudes. Como sempre falo por aqui, toda mudança importante começa em nosso interior. É preciso primeiro encontrar dentro de si onde está o erro, o padrão de pensamento negativo, o hábito ou a crença que está te levando para o caminho que não é o que você deseja, então reconhecer o que precisa ser mudado e colocar a atitude em ação.

8 coisas que você precisa fazer por si mesmo

É claro que isso é algo totalmente pessoal e ninguém, além de você, pode saber quais são os pontos que precisam ser mudados em sua vida e de que forma você deve alterá-los. Mas algumas sugestões podem servir como ponto de partida e talvez você se identifique com algumas das ideias abaixo. Se achar que vale tentar alguma delas, comece já!

1) Perdoe os erros que cometeu no passado

Todo mundo comete erros, não há nada de anormal em você porque se arrepende de algo que aconteceu no passado (a menos que insista em repeti-lo). Nós estamos todos muito distantes da perfeição e não temos um manual de instruções sobre como lidar da forma ideal com todas as situações. Erros servem para nos ensinar algo, portanto, preocupe-se não em se martirizar com o arrependimento, mas em aproveitar o que aprendeu com o passado. Essa é a melhor forma de lidar com nossos erros. Um erro cometido não é uma sentença de que você é uma pessoa ruim, senão todos seríamos! Perdoe-se, leve com você o aprendizado, agradeça pela oportunidade de aprender e siga em frente. No presente, não no passado.

2) Ame seu corpo 

Não quando emagrecer ou quando engordar, nem quando conseguir desenvolver músculos ou terminar o tratamento da celulite. Agora! Seu corpo é sua casa, por isso é importante cuidar bem dele, mas viver em função de conquistar o “corpo perfeito” é uma briga eterna que você vai travar contra você mesmo. Não vale a pena. Por experiência própria, eu digo: se você não consegue amar quem você é agora, vai continuar não se amando independentemente do que fizer. Eu já estive acima do peso e também já emagreci bastante. Fiz academia por algum tempo e hoje acho que aquela época foi a que tive o meu melhor corpo, mas não achava isso na época! Porque sempre vai haver uma imperfeição, uma parte que não tem o formato que você gostaria, uma marca que você queria não ter, uma gordurinha localizada que não sai…vai fazer o que? Viver se escondendo, se comparando com as imagens irreais das revistas, fugindo da praia e da piscina, sofrendo por causa de um tamanho de roupa, fazendo algo que não gosta para passar a vida inteira buscando o corpo maravilhoso (que nunca chega)? Por amor ao seu corpo, cuide de sua saúde. Mas pare de desperdiçar vida por ficar preocupado com as suas imperfeições.

 Amar seu corpo

3) Pare de fazer comentários autodepreciativos

Algumas pessoas têm a péssima mania de se criticarem o tempo todo. Elas vivem falando sobre seus fracassos e decepções e nunca aceitam elogios. Inclusive, aproveitam quando alguém as elogia para apontar um defeito em si mesmas. Nunca falam sobre suas alegrias e conquistas, porque seus pensamentos estão sempre focados no negativo. Quase todo mundo faz algo assim de vez em quando, mas é uma atitude que quanto mais evitarmos, melhor. Observe se você não é esse tipo de pessoa que vive se depreciando para os outros. Se achar que sim, faça um esforço para pensar em coisas positivas sobre si mesmo para dizer. E diga! Você não só mudará a imagem que os outros têm de você, mas aos poucos começará a se ver com olhos cada vez melhores.

4) Acredite que há coisas muito boas esperando por você

Não só coisas boas, mas coisas MUITO boas estão reservadas para você. Coisas incríveis, maravilhosas, grandes e extraordinárias! Você pode se levantar e ir atrás daquilo que sonha com toda a fé, porque coisas boas sempre vêm quando acreditamos nelas. A fé e o pensamento positivo nos deixam abertos para receber o melhor. Surpresas e realizações acontecem na vida de todo mundo que se dispõe a entrar em sintonia com a positividade. Confie na vida. Mesmo quando você não entende o porquê de certas coisas aconteceram, ela está te levando para um lugar melhor. Acredite.

5) Encontre tempo para criar

A sua realidade, a sua história, os seus melhores momentos e a forma como vive são todos criações suas. Se quer mais momentos felizes, mais boas memórias, um estilo de vida inspirador, um trabalho que ame, a realização dos seus sonhos, uma boa autoestima, uma alimentação mais saudável ou seja lá o que for, você precisa encontrar tempo para criar! Se falta de tempo é a sua desculpa, eis a solução: use o tempo que você passa olhando as redes sociais, ou o horário de almoço, os minutos antes de dormir ou depois de acordar, o período do trajeto que faz do trabalho para casa, a hora da novela ou outro momento que pode muito bem ser substituído por algo realmente importante, e vá criar!

6) Seja otimista

“Otimismo é para os fracos, eu sou realista”. Não, você não é realista, você é pessimista. Porque quando falamos em otimismo e pessimismo estamos falando sobre o futuro pensado no presente, e se você não consegue acreditar que conquistará coisas boas, você é um pessimista. O “realismo” se refere ao que é real, e só o presente é real. Quando pensa no futuro, ou você é otimista ou pessimista. A notícia boa é que otimismo não é uma característica genética, é algo que se aprende com prática e dedicação. Se até então você tem sido um pessimista, pare agora mesmo e pense em algo positivo. Pronto, você conseguiu colocar o otimismo em prática. Continue praticando-o o máximo que puder. Aos poucos o pensamento positivo se tornará um hábito (assim como era o pensamento negativo) e você se beneficiará da paz, da leveza e da alegria que só a positividade pode proporcionar.

Ser otimista

7) Escute-se

Nunca são à toa os sinais que a sua voz interior te dá. Quando você sentir vontade de fazer algo, perceber a falta de alguma coisa ou tiver uma emoção diferente, não ignore. Preste atenção àquilo que você mesmo está se pedindo. Não são só os nossos pensamentos em formato de palavras que nos dizem o que fazer. O corpo fala, os sentimentos (principalmente os incompreendidos) falam, as suas ações falam. E nós frequentemente ignoramos tudo isso por preguiça ou falta de esforço para compreender além do óbvio e daquilo que já conhecemos. Seus cinco sentidos já estão bem treinados para enxergar, tocar, ouvir, cheirar e experimentar o que há do lado de fora. Apure-os também para o seu interior.

8) Ande de cabeça erguida

Não que você deva simplesmente ignorar seus defeitos e não tentar melhorá-los, mas quando não estiver trabalhando nisto, foque em suas qualidades! Pense no quanto sua pele é bonita e bem cuidada, que você tem um sorriso contagiante, que gosta do seu cabelo ou do formato do seu rosto. Lembre-se sempre do quanto você é engraçado, bem-humorado, inteligente, ótimo amigo, bom em determinada habilidade. Elogie-se sempre e adquira uma atitude que mostra para você mesmo o quanto gosta de si. Pare com bobagens de ter vergonha e se esconder para não mostrar seus defeitos. Ande de cabeça erguida por ter orgulho de quem você é.

Fotos: 123

Postado por Stephanie Gomes