16.05.16 • Em Motivação

Desapega dessa desconfiança. Solta o controle. Liberta esse pessimismo.

Deixa seu coração falar. Agarra essa vontade que tá aí dentro. Acredita em você. Olha pra dentro e repara na força que você tem. Depois olha pra fora e percebe como a vida é grandiosa, como o universo é abundante e como não existe absolutamente NADA te segurando ou te impedindo de viver.

Do que você tem medo? De tentar? De pedir? De conseguir? De não estar preparado?

Ninguém nunca está preparado para nada. Você pode passar quatro anos indo para a faculdade todos os dias estudar uma profissão, mesmo assim nos seus primeiros dias (ou semanas, ou meses) de trabalho você vai ter que aprender tudo. Você pode já ter sofrido várias perdas, mas nunca estará preparado para a próxima. Você pode ler todos os livros de maternidade que existem, quando seu primeiro filho nascer ele vai te ensinar milhões de coisas que você ainda não sabe.

Confia na vida!

Consciente da imprevisibilidade e da impossibilidade de preparo para a vida, você escolhe: vai confiar ou vai ter medo dela? Vai se esconder ou vai encarar? Vai se arriscar ou vai continuar acreditando na doce ilusão de que você tem algum controle?

Se quer a minha opinião, lá vai:

Arrisca. Acredita. Confia.

Confia na vida que a vida também vai confiar em você e te dar o que há de melhor.

Confia que há coisas muito boas apenas esperando que você vá buscá-las.

Desconecta dessa desconfiança e se conecta com a fé.

Entra em sintonia com a energia do caminho que você quer seguir.

Deixe-se guiar pela sua verdade, pela sua vontade, pelo seu sonho. Se o medo aparecer, pega ele pela mão e arrasta junto com você. Diz pro medo que ele pode ficar, mas deixa bem claro que quem manda aqui é o amor.

Confia na vida!

Tem uma frase famosa do Professor Hermógenes que eu uso como um mantra quando sinto que estou desconectada da minha fé. Ela diz: “Entrego, confio, aceito e agradeço”. Mas eu me permito acrescentar mais uma vírgula: Entrego, confio, faço a minha parte, aceito e agradeço.

Acrescento isso porque acho impossível separar energia e ação. Não tem como eu confiar na vida e praticar ações que não condizem com isso ou, pior ainda, ficar parada esperando que o que quero caia do céu. Se eu quero que a vida entre em movimento de mudança, não é me conectando com energias opostas (inércia, preguiça) que vou alcançar a minha realização.

Então eu repito: confia na vida. Mas confia de corpo, mente e alma. Não só confie no fluxo da vida, mas também entre nele e participe. Mostre para a vida que você confia nela, e ela te confiará todas as suas coisas mais preciosas em retribuição.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

12.05.16 • Em Terapias, Vídeos

Comentei outro dia lá na fanpage do blog que ando bastante interessada em terapias alternativas e que estou lendo e estudando muito sobre o assunto ultimamente. Vocês comentaram que gostariam que eu compartilhasse meus aprendizados e experiências nessas terapias, e eu fiquei super animada para falar mais sobre.

escrevi sobre o Ho’oponopono em outro post, e nesse vídeo eu contei como foi, na prática, aplicar essa terapia, e também a cromoterapia (tratamento que utiliza o poder das cores) em uma situação. Foi uma experiência bem interessante e positiva.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

09.05.16 • Em Comportamento

Antes de começar a ler esse post, é importante que você saiba: todos temos medo e coragem, amor e ódio, força e fraqueza, ansiedade e tranquilidade, raiva e paciência, tédio e disposição e todas as dualidades de emoções dentro de nós. E todos nós experimentaremos estas emoções ao longo da vida.

Imagino eu que a maioria das pessoas concorda que medo, ódio, fraqueza, ansiedade, raiva, angústia e várias outras emoções que existem são negativas, indesejadas e não nos fazem sentir bem. Mas elas estão aí dentro de você e podem se manifestar a qualquer momento.

Como lidar com a raiva, a tristeza, a angústia e outras emoções indesejadas

Existem vários tipos de atividades, tratamentos e terapias que podem te ajudar a diminuir a incidência destas emoções – se elas são frequentes, é importante buscar esse tipo de ajuda – mas o que fazer quando perdemos o controle ou quando elas simplesmente se manifestam sem motivo? O que fazer para voltar para a positividade quando um sentimento indesejado surge?

Primeiro, acho que é essencial falar sobre o que não devemos fazer nestas situações, porque é justamente isso o que a maioria das pessoas faz.

Não reprima suas emoções. Não tente negá-las a si mesmo. Não brigue com você. Não finja que está tudo bem na tentativa de se enganar. Não se proíba de sentir determinadas emoções.

Falso bem estar é pior do que um verdadeiro mal estar. Não permitir que uma emoção sua exista é destruir uma parte de você e impedir-se de ser inteiro. Quando você nega o seu “lado negativo” está rejeitando algo que é seu e que te faz ser quem você é. Sem contar que, cada vez que você luta para combater aquilo que está sentindo, estimula ainda mais o sentimento indesejado.

Quando você está com raiva e começa brigar com a sua emoção, a pensar “não posso sentir raiva porque sou uma pessoa boa” e fingir que está totalmente em paz, atiça ainda mais a raiva e a torna ainda mais desagradável.

Se estiver triste e não aceitar essa tristeza, você não vai ficar triste apenas pelo motivo que te deixou assim, mas também porque não quer aceitar que está triste.

Se estiver se sentindo ansioso e disser a si mesmo que precisa URGENTE parar de se sentir assim e ficar bem o mais rápido possível, estará criando mais um motivo para sua ansiedade crescer.

Quanto mais você tenta forçar a expulsão de uma angústia, mais angustiado ficará ao perceber que não consegue se livrar dela.

Como lidar com a raiva, a tristeza, a angústia e outras emoções indesejadas

Por outro lado, se você não brigar, não criar uma discussão interna, não reprimir e não apressar a ida da emoção embora, ela não terá estímulos para crescer e seguirá seu caminho natural, que é se dissolver e diminuir até que não tenha mais importância nem te afete mais.

É fácil fazer isso? Pelo menos nas primeiras tentativas não, não é. Mas ter consciência de que você pode escolher uma atitude diferente e menos prejudicial é um bom primeiro passo para aprender a lidar de forma mais inteligente com o seu emocional. Se você tem sofrido com instabilidades de humor, crises de ansiedade e stress por exemplo, vale tentar olhar para si mesmo com essa perspectiva diferente e ver o que acontece.

Da próxima vez que uma emoção indesejada surgir, lembre-se que brigar com ela é uma forma de estimulá-la. Você pode apenas respirar fundo, aceitar e deixar fluir, ou então tentar alguma das ações abaixo (ou outra que te faça sentido para você):

  • Energize o momento presente com amor

Aceite com amor que aquilo esteja dentro de você. Lembre-se de se amar por inteiro. Ame suas imperfeições e dificuldades assim como ama as suas qualidades. Olhe para dentro de si, encontre a energia de amor que existe em você e espalhe-a para todos os lugares, tanto internamente como externamente.

  • Fale

Falar é terapêutico. Alguns anos atrás eu fiz terapia por alguns meses e muitas vezes na consulta eu apenas falava, falava e falava. Tinha dias que a psicóloga não propunha nenhuma atividade, ela apenas me deixava falar. E eu ia embora me sentindo completamente diferente do que cheguei: mais tranquila, mais leve, mais relaxada e mais feliz. Falar sobre o que estava me incomodando fazia diminuir a intensidade daquilo dentro de mim. Quando você desabafa e coloca pra fora aquilo que está remoendo dentro de si, consegue enxergar a questão com mais clareza e sente alívio por poder externar o que te incomoda. Fazer terapia é fantástico, mas você pode também desabafar com alguém da sua confiança, uma pessoa atenciosa que te escute e não te julgue.

  • Expresse

Grite, chore, se movimente, se recolha… faça o que seu corpo e seu coração estiver te pedindo. Quando você se reprime e não se permite expressar aquilo que está sentindo da forma que necessita, cria um conflito dentro de si. Em algumas situações infelizmente temos que usar nosso corpo para fingir estarmos bem, mas, sempre que puder, expresse suas emoções. Para a sua paz interior, é sempre melhor se permitir sentir e expressar do que reprimir.

  • Lembre-se de duas coisas: 1) você não é e não tem que ser perfeito, 2) tudo passa

A menos que você sofra de uma patologia como depressão e ansiedade (nestes casos, é indispensável procurar um profissional), saiba que estas emoções são passageiras. Às vezes elas passam mais rapidamente, outras vezes mais lentamente, mas sempre passam. Saiba também que você está fazendo o melhor que pode para lidar com o que está acontecendo. E que é muito mais importante ser quem você realmente é, com seus problemas, dúvidas, inconstâncias e tristezas, do que viver para provar para os outros (e para si mesmo) que você é perfeito.

Como lidar com a raiva, a tristeza, a angústia e outras emoções indesejadas

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

25.04.16 • Em Espiritualidade, Terapias

Faz tempo que eu vejo profissionais e blogueiros de desenvolvimento pessoal falando sobre o Ho’oponopono, por isso estava curiosa para conhecer. Eu aprendi (e estou aprendendo) sobre a terapia por livros, pesquisando na internet e assistindo a vídeos no Youtube. Minha principal fonte foram os dois livros mais conhecidos sobre o assunto: Limite Zero e Marco Zero, do Joe Vitale.

Livros

Existe muita divergência de informações sobre o Ho’oponopono e isso me deixou um pouco confusa no início, então resolvi me guiar pela minha intuição e absorver somente o que fazia sentido para mim e o que meu coração identificava como verdade.

Se você se interessar pelo assunto e quiser saber mais, recomendo que também leia os livros, pesquise, assista vídeos, tire suas próprias conclusões e leve para sua vida aquilo que fizer sentido para você. Para que algo funcione, é bem mais importante que te toque e você sinta como real do que que aceite as coisas exatamente da forma que te são apresentadas e siga os passos à risca. Eu não acredito e não acho benéfica uma espiritualidade definida por regras rígidas e intocáveis, acredito sim em uma espiritualidade raciocinada. Cada um sabe o que toca e desperta seu espírito e isso deve sempre ser levado em conta.

O que faz sentido para mim é diferente do que faz sentido para você porque temos repertórios, crenças, histórias e conhecimentos diferentes, portanto, ao ler esse post, peço que respeite a sua verdade e foque naquilo que você sentir que faz sentido para você. Foi o que eu fiz na leitura do livro – e faço sempre com tudo o que conheço e estudo. Vamos lá.

O que é o Ho’oponopono?

É uma terapia havaiana de purificação das memórias e crenças que estão no nosso subconsciente, baseada no amor e no perdão.

Assim como na Lei da Atração, os criadores e adeptos do Ho’oponopono acreditam que tudo o que nos acontece foi atraído por nós mesmos, por aquilo que possuímos no consciente ou no subconsciente. Tudo o que sentimos, vivenciamos ou presenciamos é a materialização de algo que existe dentro de nós.

A Lei da Atração aborda principalmente o poder dos nossos pensamentos (consciente), já o Ho’oponopono é uma técnica que foca na limpeza de memórias e crenças que não percebemos que existem (subconsciente), mas que estão dentro de nós e também atraem situações para a nossa vida.

Qual é o objetivo da terapia Ho’oponopono?

Purificar o nosso subconsciente limpando crenças e memórias que atuam em nosso campo vibracional, a fim de abrirmos espaço para que a inspiração do universo (ou de Deus, do Divino, da natureza, como você preferir chamar) possa nos guiar, ao invés de continuarmos sendo conduzidos por crenças antigas, que muitas vezes não nos pertencem e podem estar atraindo algo que não queremos.

O Ho’oponopono é uma técnica de cura do passado. O objetivo é limpar as limitações que você absorveu junto às crenças adquiridas ao longo da vida, para que recupere a liberdade de ser quem é e de atuar como autor da sua própria história, livre de programas, crenças, memórias, arrependimentos, palavras, pensamentos e ações condicionadas.

Como praticar?

Sempre que perceber um problema, uma dúvida incômoda, uma série de acontecimentos indesejados ou que não está se sentindo bem emocionalmente, mentalize ou diga as quatro frases direcionadas ao universo (ou a Deus, ao Divino, ao infinito, à energia, como você preferir) quantas vezes achar necessário:

- Eu sinto muito
- Por favor, me perdoe
- Eu te amo
- Obrigada

A intenção a colocar nas frases é a seguinte: Eu sinto muito por não ter consciência do que está causando tal problema. Por favor, me perdoe por qualquer coisa que esteja se passando dentro de mim que tenha se manifestado como essa situação. Eu também perdoo a mim mesmo por isso. Eu te amo porque sou amor e através do amor quero curar esse problema. Obrigado, sou grato por poder libertar estas memórias e permitir a entrada da luz.

Ho'oponopono, a terapia havaiana para cura de crenças

Aplicando o Ho’oponopono “nos outros”

“Nos outros” entre aspas porque o que a terapia diz é que, seja qual for a questão, a solução que você quer não está nos outros, e sim em você. Se alguém te incomoda, te entristece ou te provoca algum sentimento ou reação negativa, você deve trabalhar em você mesmo para resolver, não no outro. O Ho’oponopono é sempre aplicado em você mesmo, mesmo quando a intenção é ajudar outra pessoa.

O mesmo vale para um caso em que você se envolve na dor do outro e quer ajudá-lo: vocês estão compartilhando a mesma manifestação, portanto, a sua purificação também beneficiará a outra pessoa.

Tudo aquilo que você consegue ver e entender no outro também está em você (lembra desse post?). Quando eu entendo o que o outro apresenta a mim, estou reconhecendo aquilo dentro de mim. Quando purifico a minha energia sobre aquilo, estou purificando também a energia do outro, já que nossas energias estão em sintonia.

Minha experiência

O Ho’oponopono tem me ajudado a diminuir as minhas cobranças em mim mesma, aumentado meu sentimento de amor próprio e me ajudado a curar algumas mágoas e arrependimentos. Tive uma experiência muito boa aplicando o Ho’oponopono para ajudar meu pai (contei no vídeo que vai entrar no canal essa semana) e também estou praticando a técnica direcionada a algumas crenças limitantes que tenho sobre perfeccionismo, necessidade de controle e preocupações.

A prática do Ho’ponopono tem funcionado para mim como uma meditação, um momento de limpeza total da mente, porque apesar de estar pensando nas frases, estou focada apenas nos sentimentos de perdão e amor que sinto no presente, deixando todas as ansiedades pelo futuro e dores do passado “desligadas”. Todas as vezes que pratiquei consegui sentir nitidamente a mudança para uma energia mais positiva e amorosa dentro de mim.

Ho’oponopono e Lei da Atração

O Ho’oponopono é muito útil para fortalecer o poder da Atração. Quando você pede algo ou envia uma intenção ao universo (Lei da Atração), é possível que muitas vezes faça isso com um certo desespero, ansiedade, sentimento de falta e conectado justamente com aquilo que não quer. É aí que entra o poder de purificação do Ho’oponopono. A limpeza proporcionada pela terapia vai purificar a sua inspiração, torná-la mais limpa para que você insira a Lei da Atração em um ambiente mais propício, mais neutro, com mais espaço para a força positiva da sua intenção.

Com a purificação, suas ações que vão te conectar com a energia daquilo que deseja também virão de uma inspiração mais limpa, mais pura, menos conectada com a falta e com sentimentos ansiosos. Unir o Ho’oponopono à Lei da Atração é mesclar purificação com intenção.

Purifique, envie sua intenção para o universo, aja de forma inspirada pela energia daquilo que deseja, confie e fique atento aos sinais que receberá.

Meditações guiadas para praticar o Ho’oponopono

Você pode praticar o Ho’oponopono quando estiver fazendo alguma tarefa rotineira, num momento de silêncio só seu com seus pensamentos, antes de dormir, ao acordar… Eu gosto muito de fazer em silêncio, relaxada. Mas gosto também de ouvir algumas meditações guiadas que encontro no Youtube. Essa é a minha favorita:

 

Respondendo algumas questões

Preciso pensar em um problema para aplicar o Ho’oponopono?

Não necessariamente. Se você tiver um problema claro e quiser curá-lo, pense nele antes de começar a aplicar. Mas a ideia é que você purifique sempre, porque estará purificando o seu inconsciente, do qual você não tem consciência, mas está sempre carregando lembranças, crenças, memórias…

A ideia do Ho’oponopono é apagar tudo, inclusive meus sonhos, vontades e boas lembranças?

Acredito que, se quiser, com o Ho’oponopono você pode conseguir fazer isso. Mas você quer? Eu não. A ideia é fazer uma purificação total, para que você consiga se libertar de crenças e ideias negativas e prejudiciais, mas é claro que você não precisa jogar tudo fora. Você tem discernimento para manter aquilo que é bom e libertar-se do que é ruim. A purificação não vai arrancar nada de você, até porque, se quiser pegar as crenças negativas de volta, você pode escolher fazer isso; o mesmo se dá para as coisas positivas que quer manter.

Então só preciso ficar purificando e não fazer mais nada?

Não é bem assim. A purificação não irá resolver seus problemas enquanto você dorme. A intenção da purificação é limpar seu subconsciente para que ideias possam entrar em um espaço livre de influências e você as enxergue com mais clareza e de coração aberto. A ação vem depois disso e os resultados continuam dependendo de você levantar e agir.

E se eu sentir algo negativo (raiva, ansiedade, nervosismo…) durante a prática?

Purifique isso primeiro.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

18.04.16 • Em Autoconhecimento, Reflexão

Por que algumas pessoas têm medo de determinadas coisas e outras não? Por que eu sou sempre quem mais se preocupa com tudo? Como podem existir pessoas que conseguem não se abalar em certas situações que, para mim, parecem o fim do mundo? Por que a energia negativa dos outros me afeta tanto?

Eu sou fraco? Sou medroso? Sou exagerado? Sou anormal?

Na verdade, é algo bem mais profundo e significativo do que isso.

As coisas externas te afetam de acordo com o espaço que ocupam e o formato que elas têm dentro de você. Tudo o que acontece do lado de fora e te afeta só é percebido por você porque também existe do seu lado de dentro. Caso contrário, você seria incapaz de perceber a sua existência. O exterior que você vê é uma projeção, um reflexo do seu interior. Você só consegue ficar ciente de algo quando aquilo também está dentro de você – mesmo que não esteja aflorado naquele momento – e faz parte da sua memória. Você só nota e é atingido por algo quando existe alguma lembrança ou crença dentro de você que faz com que você identifique aquilo como real. E quanto mais determinada emoção, crença e lembrança estiver crescida e forte dentro de você, mais você irá se identificar com ela no mundo exterior – e vivenciará seus efeitos.

A realidade e a SUA realidade

Sabe quando uma pessoa não diz nem faz nada, mas você sabe que ela está irritada? Você só consegue perceber isso porque reconhece aquela irritação lá dentro de você. Você nota a existência da irritação da outra pessoa porque conhece essa emoção, já a experimentou, ela deixou a memória dela dentro de você. Caso contrário, você não seria capaz de notar, porque não saberia que essa emoção existe.

Se uma pessoa com raiva se aproximar de um bebê, o bebê não vai perceber que essa pessoa está com raiva, nem será afetado por ela. Ele não conhece a raiva, ele nunca vivenciou a raiva, ele não sabe da existência da raiva. Mas você percebe, até mesmo quando a outra pessoa tenta disfarçar. Porque você reconhece aquele sentimento, já que ele faz parte das suas memórias e está aí dentro de você. Então, mesmo que você não queira e mesmo que não esteja irritado, aquela raiva, de alguma forma, começa a fazer parte da sua experiência. A intensidade do quanto ela te afeta depende da força que aquele sentimento já tem dentro de você. Talvez te afete muito e te deixe também com raiva, ou talvez você apenas perceba que ela está ali e nada mais.

É por isso que, se você não quer absorver a energia negativa alheia, é muito mais eficiente trabalhar para limpar e purificar o que há dentro de você do que tentar mudar os outros.

O mesmo vale para sentimentos positivos. Se uma pessoa com energias positivas se aproxima de você, o quanto você vai ser contagiado por aquela energia boa depende do quanto de energia positiva há dentro de você. Se não houver alegria em seu interior, você não vai conseguir levar para a sua realidade a alegria da outra pessoa.

A realidade e a SUA realidade

É desse mesmo jeito que funcionam aquelas coisas que nos deixam mal no dia a dia: preocupações, ansiedades, medos… Você só se preocupa, fica ansioso ou sente medo porque há algo dentro de você (um trauma, uma lembrança, uma crença, uma história que ouviu…) que faz disparar essa preocupação, ansiedade ou medo. Se você não tivesse algo que estimula essas sensações dentro de você, não seria possível que elas se tornassem reais.

Uma criança não tem medo de começar a tentar andar, apesar de toda a dificuldade que ela tem para conseguir. Seus pais sabem que é perigoso pois ela pode cair, mas ela não, afinal, nunca teve contato com aquele medo.

Você tem medos porque eles fazem parte de você, não porque aquilo de que você tem medo é realmente algo ameaçador ou perigoso. De alguma forma seus medos se tornaram parte de você: seus pais te falavam algo contra isso na infância, você sofreu um trauma ou acidente, ouviu alguma história ruim, absorveu uma crença limitante…

Se você passou a vida inteira ouvindo sua família dizer que pra ter algo na vida é preciso trabalhar duro, que não é fácil ter dinheiro e que quem não se mata de trabalhar é vagabundo, é assim que você vai sempre acreditar que sua vida tem que ser: dura, trabalhosa, pesada, difícil. Isso é a realidade para você. Você não vê a possibilidade de ser próspero trabalhando de forma leve e tranquila como algo real. Mas essa é a realidade de várias pessoas – não apenas as que “já nasceram ricas”, como as suas crenças podem estar fazendo você pensar enquanto lê isso.

Enquanto você está aí, lendo esse texto, é possível que outra pessoa também esteja lendo-o. Mas, apesar de as palavras serem as mesmas, essa leitura vai significar coisas diferentes para você e para ela. Você vai ler e se identificar mais com alguns trechos e menos com outros, e o que vai tirar da leitura depende das suas experiências, conhecimentos e valores construídos. A outra pessoa vai se identificar mais com outros exemplos, outras frases, porque aquilo que toca a outra pessoa não é o mesmo que toca você. Esse texto diz uma coisa para você e diz outra coisa para a outra pessoa. Você vai absorver a leitura de uma certa forma, e a outra pessoa de outra.

Entende por que existe a realidade e existe a SUA realidade?

A realidade e a SUA realidade

O objetivo dessa reflexão é trazer para a consciência o fato de que TUDO o que você vê, lê, ouve e interpreta é a SUA realidade, e não a realidade pura. Trazer para a consciência o que é que faz você enxergar as coisas da forma que enxerga é um trabalho profundo de autoconhecimento. Alcançar esse entendimento pode te ajudar a ter muito mais clareza sobre suas emoções, reações e formas de pensar.

Saber que você não vê o mundo como ele é, e sim como você é, te ensina a ser mais tolerante, aceitar e respeitar os outros – e também a tolerar, aceitar e respeitar a si mesmo. E também pode te orientar para que você perceba o que pode mudar em si mesmo para enxergar as coisas de uma forma mais positiva.

Se você quer melhorar o seu filtro interno para que a sua realidade tenha mais positividade, amor, coragem, paz e felicidade, experimente algumas ações que ajudam a ressignificar o que existe dentro de você:

  • Alimente sua mente com coisas positivas – pense em coisas boas, leia livros com mensagens motivadoras, veja filmes inspiradores, leia notícias positivas. Boa parte das suas memórias foram compostas por estímulos externos, então comece agora e usá-los a seu favor.
  • Faça um esforço para olhar para todas as pessoas com olhos de amor e de empatia. Coloque-se no lugar do outro e pense como gostaria de ser tratado; transmita energias de amor a todos, principalmente àqueles que menos fazem isso.
  • Tente com boa vontade enxergar o que os seus problemas podem te ensinar de positivo.
  • Obtenha novos estímulos, novas experiências e novas reflexões. Elas podem fazer você chegar a novas conclusões e modificar seus filtros para melhor.
  • Purifique sua mente: medite, fique em silêncio, faça limpezas internas, dê adeus àquilo que não te faz bem, livre-se de expectativas e coloque-se no momento presente.
  • Identifique suas crenças – ter consciência delas é o primeiro passo para libertar-se de suas limitações.
  • Pratique Ho’oponopono, a terapia havaiana de cura de memórias – se você não conhece, fique de olho que vou escrever um post bem completo sobre o assunto nas próximas semanas.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes