07.03.16 • Em Autoconhecimento

Um dos temas que mais aparecem aqui no blog é autoconhecimento. Eu realmente sou apaixonada por esse assunto e já escrevi posts com reflexões, exercícios, perguntas, livros… mas nunca escrevi sobre o básico, o “por onde começar”, os passos essenciais para dar início e se manter no processo de autoconhecimento. Acabei indo direto para questões mais complexas e exercícios mais exigentes, que são importantes também, mas faltava falar sobre a base desse processo.

Antes tarde do que nunca, resolvi então reunir as ações que acho básicas para qualquer pessoa conseguir se conhecer melhor e se aprofundar cada vez mais no seu autoconhecimento. São algumas ações que acredito que devem sempre estar presentes na vida de quem busca essa compreensão maior sobre si mesmo.

8 ações básicas para desenvolver o autoconhecimento

1) Observar-se

Olhe para si mesmo e perceba os pequenos detalhes e as grandes características que compõem quem você é. Observe como seu interior reage a diferentes situações, tanto as boas como as ruins. Perceba em que situações se sente bem e em quais se sente mal. Tente entender o que te eleva e o que te coloca para baixo. O que faz você se sentir à vontade com você mesmo e o que faz você se sentir um estranho. Olhe para você com interesse, observe-se e tente captar detalhes, reações, emoções, mudanças de comportamento. Essas coisas dizem muito sobre você.

2) Explorar-se

Olhe profundamente para dentro de si e veja o que consegue encontrar. Raramente nos lembramos, mas existe paz, existe amor e existe felicidade dentro de nós. Perceba isso e depois pergunte-se: o que mais há dentro de você? Há uma grande vontade, uma característica não explorada, um interesse que ficou guardado, um diferencial escondido? Provavelmente você não vai encontrar uma resposta imediata, mas fazer essas perguntas uma única vez vai fazer com que você mantenha as dúvidas acesas e consequentemente ficará mais atento aos sinais que vão te ajudar a respondê-las.

3) Abrir mão de expectativas

O autoconhecimento muitas vezes é atrapalhado pelo fato de você alimentar esperanças de descobrir que é de uma certa forma, quando na verdade é de outra. Sei bem o que é isso, pois passei anos tentando encontrar o meu lado extrovertido, quando poderia me entender muito melhor aceitando que sou introvertida. Não entre no processo de autoconhecimento com alguma expectativa sobre si. Não idealize. Comece com uma página em branco.

4) Experimentar

Quanto mais você se expõe a novas experiências, mais repertório tem para entender a si mesmo e a sua relação com as coisas, as pessoas e o mundo. Toda experiência nova é um processo de autoconhecimento, pois você está se abrindo para algo que ainda não conhece, está reagindo a isso, tendo sensações e emoções e conhecendo novas perspectivas sobre as quais você pode se questionar se se identifica ou não, se te faz bem ou mal, se faz você se sentir confortável ou desconfortável, feliz ou triste…

8 ações básicas para desenvolver o autoconhecimento

5) Questionar-se

Faça perguntas. Muitas perguntas. Quem eu sou? Em que acredito? O que me faz bem? O que me faz mal? O que é importante para mim? Como me sinto quando tal coisa acontece? Quais são as minhas vontades e sonhos? Faça perguntas fáceis e perguntas difíceis. Perguntas profundas e perguntas que te deixam desconfortável. Perguntas simples e perguntas esquisitas. Pergunte-se muitas coisas e dê-se a liberdade de respondê-las honestamente, sem certo ou errado e sem pensar no que seria a resposta “ideal”.

6) Refletir

Minha parte favorita do processo. Amo quando surge alguma inspiração, seja um pensamento meu ou algo que li ou ouvi outra pessoa falar, e levo aquilo para uma reflexão sobre mim mesma, sobre a minha vida, sobre quem eu sou e o que quero para mim. A dica para fazer isso é estar atento a mensagens que podem vir de pessoas, de músicas, de filmes, de livros, de blogs, de vídeos ou mesmo de dentro de você. Quando algo chamar sua atenção e te despertar interesse, não deixe entrar por um ouvido e sair pelo outro. Reflita sobre isso, tente conectar aquilo que ouviu com o que há em seu interior, se aprofunde no tema e procure os aprendizados por trás daquela mensagem que podem servir para você.

8 ações básicas para desenvolver o autoconhecimento

7) Estar aberto a mudar de opinião

Ainda existem pessoas que acreditam que mudar de ideia significa não ter opinião própria, não ter personalidade, ser influenciável e blá blá blá. Não! Nós mudamos de opinião quando aprendemos algo melhor, quando crescemos, quando passamos por uma transformação… Tem uma frase do Freud que deixa bem claro que mudar de opinião é algo positivo: “Não me envergonho de mudar de opinião porque não me envergonho de pensar”.

8) Desconstruir

Desconstrua todas as crenças sobre o que é certo e errado, sobre o que você deve fazer com a sua vida, sobre o que significa ter sucesso e felicidade. Apague da sua mente esses limites, essas imposições, esse senso comum e tudo o que você ouviu dizer que deveria ser e fazer. Tudo isso te limita e te impede de realmente entrar em contato com quem você é, porque talvez essas crenças não tenham nada a ver com você, e enquanto acreditar nelas, você não terá oportunidade de conhecer outras opções. Abandone tudo o que te disseram e seja uma folha em branco antes de começar o seu processo de autoconhecimento.



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

29.02.16 • Em Bem-estar

Quem não gosta de se sentir animado, empolgado e cheio de energia?

17 dicas para você manter a sua energia lá em cima

Por outro lado, cansaço, tédio, irritação e falta de energia são sensações que não gostamos de ter. Mas o nosso dia a dia nem sempre favorece que nossas energias estejam em alta, principalmente porque raramente priorizamos atividades que nos energizam e deixamos que as obrigações e a correria dominem todo o nosso tempo.

A boa notícia é que está em suas mãos incluir na rotina ações que aumentem a sua energia, e você pode conseguir obter e mantê-la de forma bem simples, apenas mudando hábitos e incluindo algumas práticas na sua rotina.

Comece observando os momentos em que se sente naturalmente animado e feliz. O que você está fazendo? Onde está? O que está acontecendo ao seu redor? Em que está concentrado? Tente captar o que é que está ocorrendo – dentro e fora de você – que faz você se sentir bem. E inclua mais disso no seu dia a dia.

Para te ajudar a começar, selecionei algumas ações e atitudes simples que vão fazer você sair do constante sentimento de cansaço para se sentir mais animado e cheio de energia. Que tal escolher pelo menos uma para colocar em prática ainda hoje?

1) Alimente-se bem, movimente-se e descanse. Esse trio é indispensável para você manter sua energia. Má alimentação, sedentarismo e sono acabam com a energia de qualquer pessoa. Você não precisa alterar radicalmente a sua rotina, apenas inclua mais alimentos saudáveis e diminua os gordurosos e industrializados, encontre uma forma de se movimentar por alguns minutos (dance no seu quarto, troque o elevador pelas escadas, dê uma volta no quarteirão…) e procure dormir no mesmo horário todos os dias. E não esqueça de beber bastante água!

2) Acorde com calma. Pular da cama, se arrumar correndo e não ter tempo de tomar café da manhã é uma péssima maneira de começar o dia – e afetará todo o resto dele. Comece a acordar em um horário que te permita ter tempo de despertar com calma, se sentar e respirar por alguns minutos, aproveitar o silêncio da manhã, tomar um bom café e pensar em coisas boas. Experimente fazer isso por alguns dias e veja como se sente.

Acorde com calma

3) Coma menos, com mais frequência. Se empanturrar de comida e depois se sentir pesado e com sono: quem nunca? Você provavelmente sabe como é a sensação de cansaço que surge depois de comer uma feijoada no almoço. É claro que você não precisa começar a recusar as comidas que gosta, mas, na rotina, cultive o hábito de comer apenas uma quantidade suficiente para se sentir satisfeito, e coma de três em três horas.

4) Mantenha seu espaço e suas tarefas organizadas. Você pode não perceber (ou talvez perceba), mas ficar no meio de muita bagunça é extremamente incômodo. Já um lugar organizado e limpo favorece a concentração, é relaxante, inspirador e gostoso de estar. Em qual das duas situações você acha que sua energia será mais favorecida? Mas organização não se trata só de colocar os objetos no lugar, é importante também que você saiba definir prioridades, fazer uma coisa por vez, acabar com as distrações…

5) Não desperdice energia com bobagens, preocupações, pessoas que não valem a pena… use sua energia para coisas boas: pensar positivo, fazer o bem, se divertir, cuidar de você, fazer planos… isso faz toda a diferença!

6) Tenha algo que preencha seus dias: um projeto, um objetivo, algo que você quer aprender, um hobby… é muito bom ter algo que você gosta de fazer, que te deixa entusiasmado e te dá prazer. Quando faz algo que gosta, você estimula várias sensações energizantes: relaxamento, atenção ao momento presente, alegria, inspiração, entusiasmo…

um projeto, um objetivo, algo que você quer aprender, um hobby

7) Extravase! Cante, dance, se solte, brinque, grite, ria, comemore…libere e renove a sua energia com qualquer coisa enérgica que você tenha vontade de fazer.

8) Não caia na inércia. Falei bastante sobre inércia em um vídeo no meu canal, mas resumindo, não cair na inércia significa não fazer atividades que não tenham nenhum significado ou não te façam nenhum bem, inclusive atividades “neutras”, que não fazem nem mal nem bem. Procure estar sempre fazendo algo que tenha algum sentido. E isso não significa estar em movimento o tempo todo. Descansar quando está cansado não é inércia, pois você estará fazendo bem a si mesmo.

9) Pratique mindfulness, a prática da atenção plena. O objetivo do mindfulness é levar sua mente ao tempo presente enquanto você faz qualquer atividade, inclusive as rotineiras – o que ajuda a parar com pensamentos voltados a problemas, arrependimentos do passado ou ansiedades futuras. Trata-se de voltar toda a sua atenção para o que está fazendo no presente. Se está caminhando, preste atenção ao seu corpo e ao seu caminhar. Se está escovando os dentes, volte toda a sua atenção para essa ação. Se está comendo, preste atenção aos seus movimentos, ao sabor da comida, à mastigação, à sensação de se nutrir. O mindfulness é um tipo de meditação que não precisa ser feito em uma posição específica, mas gera os mesmos benefícios.

10) Pratique yoga. Praticar yoga é MUITO energizante! Mesmo as posturas menos exigentes nos fazem prestar atenção ao nosso corpo, silenciarmos a mente e nos colocarmos em sintonia com a positividade e o momento presente. A sensação de bem-estar e energia que a yoga proporciona chega a ser viciante. É impossível terminar uma aula ou sessão sem se sentir energizado. Se você tem se sentido sem energia, eu recomendo muito (muito mesmo!) que experimente a yoga.

11) Cultive relacionamentos prazerosos. Amigos, colegas de trabalho, familiares… cultive o relacionamento principalmente com aqueles que fazem você rir e se sentir bem e querido; pessoas com quem você gosta muito de estar e conversar, com quem se sente à vontade… bons relacionamentos são muito valiosos e quando se encontra ou conversa com alguém que te faz bem você relaxa, se diverte e a sua energia é totalmente recarregada, sem esforço.

Cultive relacionamentos prazerosos

12) Não force a energia Se você está tentando obter energia fazendo um esforço enorme e cansativo, na verdade está diminuindo-a. Se fizer alguma das atividades deste post e achar chato ou entediante, significa que a ideia não funciona bem para você, então tente outra. A energia precisa vir naturalmente, de forma prazerosa. Muitas vezes tudo o que você precisa é realmente de um descanso, então a solução não vai ser se movimentar. Se precisar, descanse!

13) Atenção a dores no corpo. Sentir dor física acaba com a nossa energia. Trabalhar sentado o dia todo com dor nas costas é terrível, um sapato que machuca o pé acaba com a alegria de qualquer um, uma dor de dente vai tirar a sua paz o dia inteiro. Não ignore os sinais que seu corpo te dá, porque a tendência é que, se não forem cuidados, eles aumentem, e uma hora você não vai mais conseguir fazer nada além de pensar na intensidade da dor.

13) Procure um pouco de contato com a natureza. Tomar banho de mar, sentir o calor do sol na pele e andar em meio a árvores é sempre revigorante. A natureza é energizante. Mesmo que não possa sempre fazer algo assim, tente pelo menos um pequeno contato, como por exemplo cuidar de uma plantinha, prestar atenção ao barulho da chuva ou ao canto dos pássaros, observar o céu…

15) Deixe a luz do sol entrar na sua casa, principalmente pela manhã. Se possível, à noite deixe a janela de uma forma que, quando o dia clarear, a luz entre no seu quarto. É mais fácil e agradável despertar em um lugar iluminado do que em um lugar escuro.

Deixe a luz do sol entrar na sua casa

16) Dê-se um tempinho para ficar sozinho todos os dias. Aproveite um pouco da sua própria companhia, nem que seja só para sentar em silêncio e respirar conscientemente por alguns minutos ou ler um livro. Estar com outras pessoas é muito bom, mas se conectar com você mesmo e fazer o que quiser da forma que quiser é maravilhoso.

17) Faça exames de rotina. Além do check-up anual que todos devemos fazer, se você tem se sentido muito sem ânimo, não ignore isso. Procure um médico e faça exames para se certificar de que está tudo bem. Saúde em dia é fundamental para ter você manter a sua energia.

Agora você não tem mais desculpas: tem uma lista cheia de opções para colocar em prática! Por qual delas vai começar?



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes


Quando falamos em confiança, geralmente a primeira coisa que vem à nossa mente é a questão da autoestima. Sem dúvida, ela está diretamente ligada ao assunto, mas confiança é mais do que apenas gostar de si. Ser confiante é também ser capaz de acreditar na vida. É ter fé de que tudo se encaminha para o bem. É ser a sua própria luz. É ter coragem de dar o próximo passo. É confiar nos processos pelos quais você está passando. É se entregar à vida.

Mas como é que eu consigo essa tal confiança? Vende no supermercado? Tenho que conhecer algum segredo?

Se existe algum grande e misterioso segredo para encontrarmos a nossa confiança eu não conheço, mas sei que há algo que funciona muito bem para estimulá-la e fazer com que ela cresça: VISÃO POSITIVA.

Confiança nada mais é do que ser capaz de enxergar o lado positivo das coisas. Muito mais do que sobre aparência, dinheiro, personalidade ou conquistas, ser confiante é uma questão de perspectiva. Se você consegue ver o que há de positivo em você, no mundo, nas pessoas, nas oportunidades e até nas dificuldades, nada vai conseguir te impedir de confiar.

A vida é exatamente como você a vê. Se você vê o bem, você vive o bem. Quando conseguir perceber isso, naturalmente e sem grandes esforços, sua confiança desabrochará.

Assim como quase tudo o que precisamos para sermos felizes, a confiança vem de dentro. Essa positividade que você precisa para se tornar mais confiante está dentro de você. Ela vem do coração, vem da respiração e, principalmente, da sua mente. Sua forma de pensar pode tanto te fazer mais confiante a cada dia como pode destruir totalmente aquilo que mantém a sua confiança. Para que não destrua, cuide bem dos seus pensamentos.

6 pensamentos que vão te ajudar a ser mais confiante

Só você pode saber quais dos seus pensamentos precisam ser reavaliados e quais são as perspectivas negativas que precisa mudar para se tornar mais confiante. Mas vou dar um empurrãozinho para você começar: escolhi seis bons pensamentos que estimulam visões positivas sobre você mesmo e sobre a vida. São todos parte da minha reflexão sobre o assunto confiança. Você pode começar por eles, mas não deixe de fazer a sua própria reflexão.

1) O universo é abundante e há muito para todos

Pare de se preocupar com questões como “muita gente já fez isso”, “não sobrou espaço/oportunidades/amor/trabalho para mim” e “é tarde demais”. Você tem ideia do tamanho do universo? Eu também não! Sabe por que? Porque ele é imenso, muito maior do que somos capazes de imaginar. Existe muito mais espaço, recursos, oportunidades, pessoas, felicidade e amor do que nossa mente consegue visualizar. Saia da perspectiva da escassez e acredite na abundância. Existe muito para todos.

2) Confiança se adquire com a prática

Tão importante quanto estimular a confiança de dentro para fora, é perceber que você a adquire também através das suas experiências. A prática é muito importante para adquirir confiança. Uma criança não adquire confiança para andar de bicicleta olhando como as outras crianças fazem. Ela precisa praticar. Você não se torna mais confiante para conversar com outras pessoas ficando trancado no quarto com fones de ouvido o dia todo. Você precisa praticar. Com a prática, a confiança cresce. Se quer ser mais confiante, esteja disposto a buscar experiência.

Confiança se adquire com a prática

3) A vida que você quer está esperando que você abra as portas para ela entrar

Sabe por que você pode confiar na vida? Porque uma coisa é certa: a única coisa que você precisa para viver a vida que deseja é abrir-se a ela. Está nas suas mãos, pode confiar. Se você ainda não está vivendo como gostaria, é porque ainda não se abriu totalmente. Qual é a porta que você ainda precisa abrir? A porta da coragem? A porta da dedicação? A porta do desapego material? A porta da independência? Descubra quais portas estão fechadas e comece a abri-las.

4) Ser diferente é muito mais legal

Essa é uma questão bastante complicada na infância e na adolescência, quando tudo o que queremos é ser aceitos e morremos de medo de sermos ridicularizados por algo que temos de incomum. Mas quando chegamos à fase adulta, fica mais fácil diluir esse “problema” se aprendemos a usar de forma positiva aquilo que temos de diferente. Com a maturidade, vamos aprendendo a nos importar menos com bobagens. Começamos a nos divertir com aquilo que antes era um “defeito gravíssimo”. Nos tornamos independentes e não sentimos mais necessidade de convencer os outros a gostarem de nós, porque descobrimos que o que nos faz felizes de verdade é nos permitirmos ser quem somos. Não fazemos mais tanto esforço para nos encaixarmos, pois descobrimos que se destacar e ser diferente é muito mais legal! É tão bom gostar, curtir, aproveitar e usar as nossas particularidades! Que graça teria se você fosse igual a todo mundo?

Ser diferente é muito mais legal

5) Você é o herói, não a vítima da sua história

Você não é uma vítima da vida. A vida não está te maltratando, ela está apenas respondendo às suas ações e pensamentos. Se você não está gostando do que está recebendo, mude o que está emitindo. Enquanto você pensar e agir como se fosse uma vítima, é assim que a vida vai te responder. E se você mudasse essa visão sobre si mesmo e se enxergasse como o herói da sua história? O herói é aquele que ergue a cabeça, encara os desafios, acredita em si mesmo e vai em frente. O herói, quando cai, levanta. Quando erra, tenta de novo. Experimente uma nova visão sobre você mesmo, aja como tal e observe a vida começar a te responder de uma forma totalmente nova.

6) Você é suficiente

Você não tem que aumentar, melhorar, aprender ou mudar nada para ser suficiente no momento presente. Você já é luz, já é beleza, já é paz, já é harmonia, já é amor. Você já é bom o suficiente, já é forte o bastante. Você já é completo, por dentro e por fora. Não te falta nada. Você é suficiente. Você. É. Suficiente.



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

22.02.16 • Em Experiências, Lugares, Viagem

Qual é a coisa que você mais ama fazer na vida?

A minha resposta a essa pergunta tá sempre na ponta da língua: viajar!

Desde que descobri o quanto viajar me faz feliz, passei a tornar isso uma das minhas maiores prioridades. Aliás, se eu tiver que escolher só uma coisa que aprendi com as viagens que fiz até hoje, seria: priorize aquilo que te faz feliz!

Porto de Galinhas, Praia dos Carneiros e Maragogi

E eu não fico feliz só durante a viagem. Eu amo planejar, pesquisar, descobrir lugares, ver fotos, ler opiniões de outras pessoas, escolher o hotel, decidir os passeios e fazer contagem regressiva. Amo até economizar dinheiro quando penso que estou fazendo isso para viajar! Quando a viagem acaba, eu amo chegar em casa e olhar as fotos, falar sobre as coisas que vi e vivi, relembrar as histórias e gosto até de sentir saudade. Saudade é a maior prova de que a vida está valendo a pena.

Quando eu volto de uma viagem que gostei muito, fico meio descontrolada querendo convencer todo mundo a ir para o mesmo lugar e se encantar como eu me encantei. Como sei que muita gente que lê o blog também ama viajar, não podia deixar de contar aqui como foi a viagem que fiz no Carnaval para Porto de Galinhas e tentar mostrar (apesar de as fotos e as palavras não fazerem jus) o quanto esse lugar é maravilhoso e precisa entrar na lista de lugares-para-conhecer-antes-de-morrer de todos os apaixonados por viagens.

Ficamos hospedados no Kembali Hotel, sem dúvida o melhor hotel que eu já me hospedei. Limpo, organizado, confortável e super tranquilo, com um café da manhã maravilhoso (com tapioca, omelete e waffle feitos na hora!!!!) e uma área com piscina, cadeiras, mesas e guarda-sol de frente para a praia. Todos os quartos do hotel têm vista para a Praia do Cupe, que tem o mar um pouco agitado mas é deliciosa por ter a água morninha. Se tivesse passado os quatro dias só na área do hotel já teria voltado feliz.

Kembali Hotel

Quarto do Kembali Hotel

Vista da sacada do quarto

Praia em frente ao Kembali Hotel

Tapioca Kembali Hotel

No primeiro dia, nós contratamos um passeio de buggy para conhecer as praias da região. Eu pensei que ia ser aquele passeio de buggy na areia, mas esse era pela rua mesmo. Parávamos nas praias e o bugueiro deixava a gente lá por uma hora para aproveitarmos, tirarmos fotos e depois continuarmos o passeio.

Passamos por Pontal do Cupe, Muro Alto, Maracaípe e Pontal do Maracaípe. Nadamos com peixinhos, andamos de caiaque, pegamos um ouriço na mão, tiramos fotos, vimos cavalos marinhos, curtimos a temperatura deliciosa da água do mar e terminamos o dia com um por do sol lindo de morrer. Foi um dia maravilhoso, inesquecível!

Não posso deixar de recomendar o bugueiro que fez o nosso passeio ser ainda melhor: se for para Porto de Galinhas e quiser passear de buggy, procure o Everton (81 99286-6676). Ele conhece tudo por lá, deu dicas ótimas pra gente e é um amor de pessoa! Quando terminou o passeio ele nos deu um chaveiro de lembrancinha para não esquecermos desse dia. Fofo demais!

Buggy Porto de Galinhas

Praia do Cupe

Muro Alto

Ouriço

Caiaque em Muro Alto

Por do sol

No segundo dia, fomos para a famosa Praia dos Carneiros, que já foi eleita uma das praias mais bonitas do Brasil. Infelizmente as fotos não fazem jus à beleza do lugar, mas é lindo demais.

Contratamos o passeio de 8h pela empresa Maracatur, eles nos buscaram no hotel e nos levaram até o catamarã que nos levaria para Carneiros.

A ida no catamarã foi super animada, com dois cantores cantando muito axé e sertanejo e o pessoal cantando junto. Não lembro os nomes de todos os passeios, mas nós visitamos algumas praias, uma igrejinha antiga super fofa, tomamos banho de argila e nadamos na água mais quentinha e deliciosa que já entrei na vida!

Catamarã para Praia dos Carneiros

Praia dos Carneiros

Praia dos Carneiros

Praia dos Carneiros

Igreja Praia dos Carneiros

No terceiro dia fomos para o lugar mais lindo que eu já fui na vida: Maragogi. Não fica em Pernambuco, e sim em Alagoas, mas é bem próximo. Contratamos de novo o passeio com a Maracatur. Saímos 5h30 da manhã por causa da maré e depois de 1 hora e meia chegamos. Pegamos outro catamarã (dessa vez menor e sem show) e fomos para as galés, onde ficam as piscinas naturais de águas cristalinas, lá no meio do mar.

Por incrível que pareça, fui para Maragogi com a expectativa um pouco baixa porque as fotos que eu via de lá eram tão maravilhosas que eu pensava que só podiam ser photoshop e filtro do instagram. Imagina minha surpresa quando vi que o lugar era ainda mais lindo do que nas fotos?

Não tenho nem como descrever em palavras a beleza de Maragogi. A água é cristalina, verde bem clarinha. Você olha pra baixo e vê nitidamente seu pé pisando na areia branca. Nós não quisemos fazer o mergulho com cilindro, mas alugamos o snorkel e ficamos vendo os peixinhos e os corais. Por questões de conservação ambiental, os turistas só podem ficar 1 hora e meia nas galés. O tempo passou voando e eu não queria ir embora daquele lugar tão lindo, mas foi inesquecível. Definitivamente, o lugar mais lindo que já vi.

Fomos embora das galés e o resto do dia ficamos em frente à praia de Maragogi, num barzinho ótimo, olhando aquele mar lindo que mesclava dois tons de verde. Na volta, o guia fez uma surpresa e nos levou até uma pedra alta para vermos Maragogi de cima. Não posso dizer que o que vimos era lindo, porque lindo é muito pouco (clique na última foto abaixo para ver a panorâmica).

Maragogi

Maragogi

Maragogi

Maragogi

Maragogi - panorâmica

Sinceramente, não sei dizer qual dos passeios eu gostei mais. O passeio de buggy foi divertidíssimo, as águas mornas da Praia dos Carneiros são fantásticas e Maragogi é a definição de paraíso. Só consigo sentir uma profunda gratidão por esses lugares existirem e eu ter tido a oportunidade de conhecê-los. O mundo é lindo demais.

Isso me lembra uma matéria que li sobre o que a J. K. Rowling (autora de Harry Potter) respondeu a um leitor que mandou uma mensagem no Twitter perguntando o que ela diria a alguém que não conseguia encontrar mais significado na vida e estava pensando em desistir:

“O mundo é cheio de coisas maravilhosas que você ainda não viu. Nunca desista da chance de vê-las.”

Nem passa pela minha cabeça a possibilidade de desistir.

E como se não bastasse a viagem incrível, tive uma surpresa quando estava esperando o vôo de volta. A Edvânia, leitora do blog desde o início, foi encontrar comigo no aeroporto para me dar um abraço. Isso nunca tinha acontecido e eu não imaginava que ia receber tanto carinho! Foi um momento muito, muito, muito especial. Ela me falou tantas coisas boas!

Vivo recebendo mensagens de agradecimento pelo que escrevo no blog, mas vocês não têm ideia do quanto eu também sou grata pelo carinho que vocês me dão. Eu amo muito o meu trabalho com o blog, e se fazer o que eu amo já é maravilhoso, imagina fazer o que amo recebendo todo esse retorno de pessoas boas que entraram na minha vida através dele. Sou muito grata por tudo o que o Desassossegada significa para mim e por como ele mudou a minha vida para muito melhor.



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes


“Adoraria estudar música, mas não levo jeito pra isso…”
“Queria saber cozinhar, mas sou tão desajeitado…”
“Pensei em fazer engenharia, mas não consigo aprender matemática de jeito nenhum.”
“Acho incrível como o Joãozinho sabe jogar futebol. Queria eu ter nascido com esse dom…”

Você tem vontade de fazer ou aprender algo, mas deixou isso de lado por acreditar que não tem “o dom”? Ou pior: você se sente perdido e sem opções por achar que não tem “dom” para nada?

O entendimento que temos da palavra dom limita muito a nossa vida, porque achamos que esse tal de dom é essencial, e que sem ele não podemos fazer determinada coisa, mesmo que a gente queira muito.

Essa ideia de “não tenho o dom” é muito prejudicial e pode estar te impedindo de fazer muitas coisas maravilhosas que você poderia (sim!) fazer.

Dificuldade não é limitação

É verdade que algumas pessoas têm facilidades em certas áreas, mas pesquisas já mostraram que isso não acontece porque elas nasceram assim, mas porque receberam estímulos direcionados a essas habilidades em alguma fase da vida (ou em todas). Ninguém nasce com o tal do “dom”. E ninguém nasce destinado a nunca conseguir fazer algo. Também não importa se você ainda não recebeu nenhum estímulo para o que quer fazer, porque você simplesmente pode começar AGORA!

Quer ser bom em um esporte? Comece a praticá-lo.
Quer escrever um livro, mas acha que não escreve bem? Escreva mais, escreva todos os dias, leia, estude, pratique!
Quer aprender a desenhar? Comece com desenhos simples, faça com calma, procure dicas de como melhorar e vá evoluindo.
Quer ser bom na cozinha mas nunca fez nada além de miojo? Procure receitas em vídeo, faça passo por passo e, se algo der errado, procure entender onde errou e tente de novo.

Seja lá o que você gostaria de aprender a fazer, o segredo para conseguir é um só: praticar! Pratique, pratique e pratique! Funciona assim para todo mundo.

É muito provável que o início seja difícil e que você encontre obstáculos pelo caminho, mas não se preocupe. Aceite as dificuldades como parte do processo e continue. Dificuldade não é limitação.

Você não precisa ser perfeito, só precisa seguir em frente. Não se preocupe com a perfeição, e sim com a evolução.

Não se preocupe com a perfeição, e sim com a evolução.

Comece fazendo, não importa como. Faça um pouco todos os dias. Preste atenção e perceba em que está errando e em que está acertando. Se começar a se sentir estagnado, experimente fazer algo diferente – pode ser mudar um pequeno detalhe. Faça testes, peça opiniões. Observe como outras pessoas fazem, analise o que você tem feito, pesquise, pergunte, peça ajuda. Dedique-se e acredite que você vai conseguir. Porque vai.

Saiba que pode demorar e que isso pode ser frustrante, mas você, assim como qualquer outra pessoa, pode fazer e aprender o que quer que tenha vontade. Tudo pode ser aprendido. TUDO. Lembre-se disso quando pensar em desistir.

Apesar de eu gostar de escrever desde pequena, não acho que nasci com o dom da escrita. Recebi estímulos sim, mas só fui aprender mesmo quando coloquei a mão na massa. Graças ao blog, eu pratico a escrita todos os dias e isso acelerou o processo de melhorar essa habilidade. Eu escrevo aqui há quase três anos e é nítida a diferença entre os primeiros posts e os posts atuais. Sem dúvida, se eu não tivesse me dedicado e praticado, estaria escrevendo exatamente como escrevia no começo.

Eu não nasci com dom nenhum, apenas estou desenvolvendo a habilidade de escrever porque juntei meu interesse à prática.

mão na massa

Por outro lado, eu não tenho habilidade em várias coisas. Não sei quase nada de matemática, não tenho pensamento lógico, não sei tocar nenhum instrumento e minhas habilidades manuais estão longe de serem boas. Mas sei que o motivo de eu não ser boa nessas coisas não é porque não nasci para isso, e sim porque em nenhum momento da minha vida tive interesse em aprender, e nunca me dediquei de verdade a elas.

Tenho certeza de que, se em algum momento eu quiser fazer alguma dessas coisas, posso conseguir. Posso pegar livros e estudar, me matricular em um curso, começar fazendo as coisas passo a passo com muita calma, tentar coisas fáceis no início e ir avançando, pedir ajuda a quem já sabe fazer bem, aprender com meus erros e desenvolver a habilidade de fazer qualquer coisa.

Pare de se autossabotar com essa ideia de “dom”.

Você não precisa de um dom.

Você não precisa ter certeza de que nasceu para fazer algo.

Você só precisa querer.



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes