09.09.16 • Em Terapias

Como prometido, gravei um vídeo falando sobre o último assunto que estudei no meu curso de Naturopatia: cristais!

Se você nunca ouviu falar em terapia com cristais – ou já ouviu mas não tem ideia de como funciona – eu expliquei de forma bem básica nesse vídeo.

O vídeo ficou um pouco longo (culpa da água marinha hehehe – quem assistir vai entender), mas o assunto é extenso mesmo, cheio de detalhes e coisas que quem realmente quer realizar um trabalho terapêutico com cristais precisa saber. Se você tem curiosidade em conhecer a cristaloterapia, assista:

Se quiser conhecer a escola onde eu estudo Naturopatia, acesse o site do Sol Instituto.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

05.09.16 • Em Autoconhecimento

Estamos sempre falando sobre autoconhecimento como uma forma de olhar para o nosso interior – as nossas emoções, pensamentos, reações, sentimentos… mas até agora não tínhamos falado sobre algo que também é muito importante conhecermos: o nosso corpo.

Conhecer o próprio corpo é uma forma de autoconhecimento fundamental para o desenvolvimento da nossa autoestima, o cuidado com a nossa saúde, a capacidade de conexão com quem somos e a clareza na hora de fazer escolhas, entre outras coisas.

Autoconhecimento: conheça seu corpo

Junto ao trabalho de autoconhecimento mental, emocional e psicológico, vamos começar a trabalhar também o conhecimento sobre o nosso corpo físico? Se não sabe por onde começar, experimente as seguintes sugestões:

Sinta seu corpo

Antes de mais nada, tire alguns minutos para sentir seu corpo. Sinta-o respirar, sinta a inspiração e a expiração através das suas narinas e como o restante do corpo reage a isso. Perceba as batidas do seu coração e a pulsação em outras partes do seu corpo. Perceba a umidade da sua boca, o alimento no seu estômago, a sensação da roupa que está vestindo sobre a sua pele, o formato das suas mãos em repouso. Note o espaço que seu corpo ocupa: sua altura, sua largura, seu peso. Ao final, pergunte ao seu corpo: como está se sentindo agora?

Toque seu corpo

Deixe as vergonhas e tabus de lado e toque seu próprio corpo. Descubra onde ele é macio, onde é áspero, onde é mais e menos sensível. Conheça suas formas através do toque. Pressione as suas unhas: elas são fortes ou fracas? Onde seu corpo possui linhas e marcas que você pode sentir? Onde seus ossos são mais protuberantes? Quão fortes são seus músculos? Use o poder do tato para explorar e conhecer seu corpo.

Pratique atividades que desenvolvem a consciência corporal

Dança, esportes, yoga, alongamentos, corrida, musculação… Ter consciência sobre como você pode se mover transforma a sua percepção sobre você mesmo e te permite usar seu corpo de novas formas. Desafie-se a se movimentar de formas diferentes. Pode ser difícil no início, mas aos poucos você perceberá como seu corpo é incrivelmente capaz de desenvolver a flexibilidade, a força, a leveza e movimentos que você achava que não era capaz de realizar.

Autoconhecimento: conheça seu corpo

Olhe para o seu corpo

Vá para a frente do espelho e olhe para si mesmo com carinho, sem agressividade e julgamentos. Veja a cor da sua pele, dos seus olhos, dos seus cabelos. Note o brilho que existe nos seus olhos. Perceba o que seu corpo mostra sobre quem você é e como viveu até agora. Há algo que você quer mudar? Se sim, tudo bem. Olhe para isso com amor, aceite como é agora e disponha-se a fazer o que é preciso para mudar com carinho e paciência, sem se maltratar por isso.

Observe como seu corpo reage

Seu corpo está sempre reagindo. Ele reage a emoções, a pensamentos, a movimentos… você tem o costume de observar isso? Essas reações dizem muito sobre você. Como seu corpo reage quando está próximo de determinada pessoa? Como ele reage quando você tem determinado pensamento? Como ele reage quando você faz um certo esforço ou quando passa muito tempo sem se movimentar? Como ele responde ao consumo de determinado alimento? Como ele fica em cada tipo de ambiente? Comece a observar em situações variadas e diante de diferentes estímulos como fica a sua postura, a sensação no seu estômago, seus batimentos cardíacos, a temperatura da sua pele, os movimentos dos seus braços e pernas, possíveis dores, desconfortos, sons…

Trate seu corpo com carinho e veja como ele retribui

Faça agrados ao seu corpo: passe um hidratante cheiroso, faça uma automassagem nos pés ou vá a um massagista profissional, durma em um local agradável, use roupas confortáveis, pratique um exercício que você goste… Sem dúvida, seu corpo retribuirá com muitos benefícios e você vai perceber como vale a pena conhecer, entender e cuidar bem também da sua parte física.

Autoconhecimento: conheça seu corpo

Conecte mente e corpo

A meditação é um caminho, mas você pode obter essa conexão em qualquer atividade do seu cotidiano. Sabe aquelas coisas que você faz no piloto automático enquanto sua mente fica perdida em pensamentos (tipo lavar louça, varrer a casa, escovar os dentes, caminhar, dirigir, andar de ônibus…)? Nesses momentos, volte a atenção para o seu corpo. Perceba os movimentos que ele faz (interna e externamente), sinta o toque dos objetos, do vento, da luz do sol. Observe como seu corpo te abriga e te encaixa no lugar onde você está. Além de autoconhecimento, esse exercício também ajuda a te colocar no momento presente e se livrar de preocupações, arrependimentos e ansiedades.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

15.08.16 • Em Reflexão

Pokémon GO: a polêmica da vez. Eu não sou muito de entrar em polêmicas, mas achei que esse assunto dava um bom gancho para falarmos sobre comportamento e fazermos uma reflexão interessante aqui no blog.

Pokémon GO é um jogo. O principal objetivo de um jogo é divertir quem joga. Diversão é o que leva pessoas a jogarem jogos. Ninguém joga um jogo no celular buscando um diploma ou a elevação espiritual. Mas parece que muita gente acha que a partir do momento em que uma pessoa começa a caçar Pokémons ela automaticamente se torna uma idiota-manipulada-não-evoluída.

A quantidade de teorias da conspiração sobre um simples jogo têm me assustado. É um tal de falar que caçar Pokémons aliena as pessoas, que os nomes dos Pokémons são nomes alternativos para o capeta, que o governo está espionando nossas casas… GENTE! A alienação, a maldade e o acesso a informações sobre a vida das pessoas já existia antes de Pokémon GO existir, viu?

Mas não é sobre isso que eu quero falar, e sim sobre o contraponto entre a facilidade que temos em enxergar o lado negativo das coisas e a dificuldade em vermos as coisas pelo lado positivo.

Pokémon Go e a nossa dificuldade em ver as coisas pelo lado positivo

Pokémon pode ser prejudicial? Sim, pode! Assim como QUALQUER coisa pode ser prejudicial dependendo do uso que fazemos. Água em excesso pode fazer mal, vitaminas em excesso podem fazer mal. Não podemos simplesmente dividir as coisas em “faz bem” e “faz mal”. Precisamos analisar com mais cuidado, observar, ponderar, buscar enxergar o lado positivo e o lado negativo, e só então tirar uma conclusão e fazer as nossas escolhas, levando em conta os diversos usos que podem ser feitos de determinada coisa.

Isso vale para jogos, para a internet no geral, para relacionamentos, para aquilo que consumimos, para como nos divertimos, para as nossas escolhas… para TUDO!

Para mim, o que foi interessante observar com as reações ao Pokémon GO foi que logo que eu comecei a jogar vi coisas legais acontecerem: crianças e jovens, que costumam ficar em casa o dia todo em frente ao computador, saíram para andar na rua ou em parques caçando Pokémons (tenho um irmão mais novo e vi isso acontecer com ele e os amigos dele), o que é ótimo para a saúde. Nos primeiros dias, eu, meu irmão e meu pai baixamos o jogo e ficamos pegando Pokémons, tirando fotos, rindo e nos divertindo juntos, diferente do que costumamos fazer geralmente que é cada um ficar fazendo suas coisas em seus computadores.

E logo surgiram também notícias muito boas sobre o jogo:

Pokémon Go transformou a vida de garoto autista que não conseguia sair de casa

Professor de matemática ensina trigonometria aos alunos usando Pokémon GO
Hospital infantil usa Pokémon GO para tirar pacientes do leito
Pais aproveitam Pokémon GO para passar mais tempo com os filhos

Então eu me assustei quando comecei a ver as críticas pesadas que algumas pessoas fizeram ao jogo, dizendo que não querem que seus filhos joguem ou que não vão se alienar jogando “isso”.

Observar essas reações me trouxe a essa reflexão.

Médico e paciente jogando Pokémon GO em hospital nos Estados Unidos

Por que muitas vezes exaltamos tanto o negativo e passamos batido pelo positivo?

Por que quando algo novo surge vamos logo tentando encontrar alguma forma de dizer que aquilo é ruim?

Por que queremos tanto encontrar algo de negativo para falar?

Por que não trabalhamos com o mesmo afinco o nosso olhar positivo?

Por que não damos mais atenção às notícias boas sobre um assunto do que às ruins?

Já pensou se empregássemos o mesmo esforço para encontrar coisas positivas para dizer e motivos para exaltar o lado bom das coisas? Seríamos capazes de aproveitar muito melhor as oportunidades e as ferramentas que temos. Curtiríamos muito mais as pequenas coisas. Saberíamos que o efeito que as coisas têm na nossa vida depende muito mais do uso que fazemos delas do que o que elas são (ou parecem ser).

Sempre podemos encontrar o lado positivo e o lado negativo de uma situação, uma atividade, uma ação, uma mudança. O que determina isso é a nossa percepção. E a nossa percepção é fortemente influenciada pelos nossos hábitos, as nossas manias, a forma como nos acostumamos a ver as coisas. Se trabalharmos o hábito de procurar o lado positivo, naturalmente começaremos a ver com mais frequência o lado positivo daquilo que surge em nossas vidas. Já se cultivarmos a mania de buscar o negativo e sempre tentarmos encontrar motivos para fazermos críticas, tudo sempre nos parecerá mais negativo do que positivo.

E isso obviamente não é apenas referente a Pokémon. Posso dar outros exemplos:

A internet: você pode dizer que internet vicia, que prejudica os estudos e o trabalho OU pode dar mais atenção ao fato de que a internet permite que as pessoas tenham acesso a muito conteúdo, que ela facilita a comunicação e traz muitas facilidades para o nosso dia a dia.

As redes sociais: você pode exaltar o fato de que nas redes sociais as pessoas só ficam fingindo que suas vidas são perfeitas para fazer inveja aos outros, que as pessoas não têm mais vida real por causa do Facebook OU que as redes sociais são excelentes oportunidades de acompanharmos pessoas e veículos que nos agradam, que elas nos dão uma ótima oportunidade de divulgar nosso trabalho…

Os blogueiros e youtubers: você pode criticar os blogueiros que ganham dinheiro com seus blogs e canais dizendo que eles “se vendem”, que deveriam fazer seus textos e vídeos por amor e não “por dinheiro” (como se a partir do momento em que ganhassem dinheiro parassem de fazer seu trabalho com amor…) OU perceber que os blogs tornaram a informação muito mais acessível e democrática, que eles proporcionam acesso gratuito a muito conteúdo e que, se o blogueiro puder trabalhar exclusivamente com seu blog ele poderá se dedicar muito mais, estudar mais e trazer mais conteúdo gratuito e bem feito para você.

Pokémon Go e a nossa dificuldade em ver as coisas pelo lado positivo

O que tenho visto é que muitas pessoas (não todas, mas muitas) não perdem a oportunidade de atacar ou criticar algo, mas facilmente ignoram o lado positivo destas mesmas coisas. Não estou aqui dizendo que devemos ignorar o lado prejudicial de jogos, da internet e de outras coisas e situações da vida. É importante ter consciência de que podem ser prejudiciais. Mas é importante também perceber que tudo tem seu lado positivo, e que abrindo nossa visão para ambos os lados podemos fazer escolhas muito mais conscientes, sem perder oportunidades de descobrirmos coisas que podem ser muito úteis, nos trazer um pouquinho de diversão ou até transformar a nossa vida ou a vida de alguém.

Sei que o assunto é um pouco polêmico, por isso quero que vocês se sintam à vontade para dar suas opiniões nos comentários, de forma a gerarmos mais discussões interessantes sobre o assunto.

O que vocês pensam sobre esse assunto? Concordam? Discordam? Têm alguma experiência para compartilhar? Contem nos comentários!

Fotos: 123

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

09.08.16 • Em Positividade, Reflexão

Você quer viver em um mundo melhor? Quer um mundo com mais amor, mais gentileza, mais honestidade, mais positividade e mais alegria? Um mundo com menos desigualdade, menos injustiças, menos ódio, menos negatividade?

Você quer mais harmonia no seu trabalho, na sua casa, no seu relacionamento?

Eu também quero e acredito que é possível. Porque enxergo essa questão do “bem” e do “mal” de uma forma muito simples: a escuridão só existe enquanto não há luz. A partir do momento em que a luz é acesa, a escuridão deixa de existir.

E onde é que fica essa luz?

Na gente.

Seja luz

De vez em quando eu escrevo algum post aqui no blog sobre como podemos colaborar para criar um mundo melhor, mas meu objetivo na verdade é ajudar as pessoas a cuidarem principalmente delas mesmas, porque eu acredito que quando alguém é bom para si, consequentemente torna-se bom para os outros e para o mundo.

Se a escuridão é apenas a ausência da luz, a única coisa que precisamos fazer para iluminar a nós mesmos e tudo o que há à nossa volta é gerarmos luz – ou melhor, SERMOS luz. Tudo o que você precisa fazer para iluminar a sua vida e o mundo é se tornar luz para si mesmo. Seja bom, honesto e verdadeiro com você e naturalmente será capaz de iluminar todo o resto. Já imaginou como o mundo seria diferente se todas as pessoas fossem mais verdadeiras, amorosas e contentes com elas mesmas?

Seja luz para si mesmo e você estará fazendo tudo o que está ao seu alcance para iluminar tudo o que existe.

Seja luz

Você é luz quando faz aquilo que ama fazer
Você é luz quando se permite ser quem é
Você é luz quando sorri
Você é luz quando se emociona
Você é luz quando transforma a sua inspiração em algo inspirador
Você é luz quando acredita no seu potencial
Você é luz quando enxerga o lado positivo daquilo que a maioria só vê pelo lado negativo
Você é luz quando faz aquilo que seu coração deseja
Você é luz quando respira fundo e reencontra sua paz interior
Você é luz quando transmite energia positiva através do que fala
Você é luz quando transmite energia positiva através do que faz
Você é luz quando insere positividade dentro de uma situação carregada de negatividade
Você é luz quando expõe a sua verdade
Você é luz quando escolhe o amor ao invés de escolher o medo
Você é luz quando perdoa
Você é luz quando tem consciência daquilo que te guia
Você é luz quando se aceita e se ama do jeito que é
Você é luz quando dá atenção às suas vontades e sonhos
Você é luz quando trata a si mesmo com carinho
Você é luz quando baseia suas escolhas na sua definição de felicidade
Você é luz quando trabalha pela sua evolução
Você é luz quando se lembra do quanto a sua existência importa
Você é luz quando reconhece a sua sombra e percebe que tem nas mãos a chance de iluminá-la

Você é luz agora, nesse exato momento. Você já está iluminando. Você está transformando o mundo a cada segundo.

Sejamos luz. Continuemos sendo luz.

O mundo precisa de nós.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes

04.08.16 • Em Vídeos

Tá com a sensação de que sua vida estagnou? Quer uma mudança mas parece que tem algo te “travando”? Alguma área da sua vida parece estar bloqueada?

Compartilhei em vídeo um conselho que minha mãe sempre me dava quando eu era mais nova e que acho muito proveitoso para esses momentos em que sentimos que a nossa vida estagnou e queremos fazê-la fluir novamente.

Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Postado por Stephanie Gomes