Por que seu plano de continuidade de negócios deve incluir a nuvem

Image for Why Your Business Continuity Plan Should Include the Cloud

A tecnologia apresenta oportunidades e desafios para as empresas, levando os líderes de TI a reavaliar constantemente quais soluções precisam implementar para manter as operações funcionando sem problemas.

Mas à medida que a dependência da tecnologia aumenta, aumentam também os riscos que a acompanham.

Os recursos geralmente são sobrecarregados, especialmente quando se trata de gerenciar riscos e manter os sistemas seguros e online durante incidentes imprevistos. (Leia também: Como a transformação digital pode trazer resiliência durante interrupções.)

Infelizmente, a continuidade dos negócios geralmente não recebe a atenção que merece, pois as equipes de TI gerenciam os sistemas no dia-a-dia. Mas tornou-se mais difícil do que nunca manter as operações normais durante eventos inesperados, pois os ambientes de TI geralmente são díspares e altamente suscetíveis a tempo de inatividade e perda de dados. E a falha em planejar o pior pode resultar em grandes dificuldades financeiras, especialmente porque o custo médio por hora do tempo de inatividade ultrapassou US$ 300.000.

É por isso que as empresas precisam da nuvem para dimensionar e adaptar suas estratégias de continuidade de negócios. Veja como a computação em nuvem pode ajudar a manter as operações:

A necessidade de agilidade operacional e escalabilidade

O gerenciamento de continuidade de negócios depende da agilidade.

As organizações devem ser capazes de se adaptar às mudanças em seus respectivos mercados e interrupções inesperadas causadas por tudo, desde pandemias globais a ataques cibernéticos. (Leia também: A pandemia de ataques cibernéticos: um olhar sobre o crime cibernético na era COVID-19.)

As empresas que ainda dependem muito de redes internas, data centers e tecnologia legada ineficiente dificilmente alcançarão a agilidade necessária. Em tal ambiente, mesmo uma queda de energia local ou de internet com duração de uma hora pode custar milhões em tempo de inatividade não programado.

Há também limitações físicas a serem consideradas: Em qualquer local de negócios, há espaço limitado disponível para a instalação de servidores de backup e infraestrutura de rede. À medida que a quantidade de dados gerados pelas operações de negócios de rotina aumenta exponencialmente, esse desafio só vai se intensificar. O uso de software baseado em nuvem simplifica a continuidade dos negócios, facilitando backup e recuperação de desastres contínuos, amplas redundâncias e escalabilidade praticamente ilimitada.

Considere, por exemplo, como isso se compara à antiga maneira de fazer as coisas: quando as empresas usavam unidades de fita para fazer backup manual de seus dados em determinados intervalos e, em seguida, enviavam essas unidades para uma instalação segura e externa.

A nuvem, por outro lado, oferece potencial de armazenamento de dados praticamente ilimitado, além de poder de processamento e funcionalidade prontamente acessíveis na forma de aplicativos e máquinas virtuais baseados em nuvem. Em vez de depender apenas da infraestrutura física local, as empresas podem adotar uma abordagem totalmente definida por software para a continuidade operacional. A computação em nuvem torna isso possível trazendo software para a web para que os usuários finais possam acessá-lo de qualquer dispositivo conectado à Internet – uma vantagem que os mandatos de trabalho em casa da pandemia do COVID-19 deixaram muito claro. (Leia também: Gerenciamento de dados inteligente em um mundo pós-pandemia.)

Eliminar a dependência da infraestrutura física dá às organizações a flexibilidade e a escalabilidade de que precisam para continuar suas operações em praticamente qualquer eventualidade. Os funcionários podem trabalhar em casa se não puderem ir pessoalmente ao escritório. Eles podem acessar os aplicativos e dados de que precisam para realizar seus trabalhos on-line, mesmo que sua rede interna esteja inativa. A perda de dados pode ser facilmente corrigida restaurando um backup recente da nuvem e assim por diante.

Maximizando o tempo de atividade com várias nuvens

Um dos objetivos do planejamento de continuidade de negócios é maximizar a disponibilidade de recursos de missão crítica para que os clientes possam desfrutar do nível de serviço que esperam e os funcionários possam fazer seu trabalho da melhor maneira possível.

Com a continuidade de negócios baseada em nuvem, você pode replicar de forma contínua e automática seus sistemas de dados e esforços de recuperação. Por exemplo, os principais provedores de nuvem armazenam dados em vários locais isolados física e logicamente, com o data center mais próximo de você normalmente atendendo seus aplicativos e dados hospedados na nuvem. No entanto, se o local habitual sofrer uma interrupção do serviço, o serviço geralmente se conectará a outro local com uma cópia em tempo real de seus dados. Na maioria dos casos, os usuários finais nem perceberão a interrupção. (Leia também: Superando os problemas do gerenciamento de mudanças de gerenciamento de serviços de TI com o poder da IA.)

Dito isso, é importante não considerar a continuidade dos negócios como garantida apenas porque você está usando um software baseado em nuvem. De fato, mesmo grandes provedores como Amazon e Microsoft podem sofrer interrupções generalizadas – e já aconteceram antes. Como a redundância é um dos fundamentos da continuidade dos negócios, é aconselhável evitar a dependência de um único fornecedor.

É por isso que as estratégias multinuvem estão se tornando mais populares. Ter cópias em tempo real de todos os seus aplicativos e dados armazenados em vários provedores de nuvem o torna praticamente imune a perdas.

Ao criar seu plano de continuidade de negócios na nuvem, é importante definir metas realistas antes de escolher as soluções necessárias para acomodá-las. As duas métricas mais importantes a serem consideradas aqui são:

  1. Sua objetivo do ponto de recuperação (RPO)que se refere à quantidade de dados que você pode perder.
  2. Sua objetivo de tempo de recuperação (RTO)que designa quanto tempo um determinado sistema pode ficar offline sem causar danos significativos aos negócios.

Adotar uma abordagem multinuvem com uma plataforma de continuidade de negócios consolidada e totalmente integrada pode aumentar muito suas chances de atingir esses objetivos. (Leia também: 10 mitos sobre o gerenciamento de dados em várias nuvens.)

Risco de terceirização com responsabilidade compartilhada

Outro benefício inegável da continuidade de negócios baseada em nuvem é que ela oferece às empresas a oportunidade de distribuir o risco de maneira a garantir que suas próprias redes internas não acabem sendo um ponto único de falha (SPOF).

Os provedores de nuvem estão contratualmente vinculados por seus acordos de nível de serviço (SLAs) para fornecer um nível mínimo de serviço, parte do qual é definido pela disponibilidade. A disponibilidade do serviço, ou “tempo de atividade”, é medida como uma porcentagem e normalmente anunciada como um número de noves – por exemplo, “cinco noves” ou “99,999%” (que é o padrão de disponibilidade comumente aceito para sistemas de resposta a emergências) equivale a a apenas 5,26 minutos de inatividade por ano.

Se um fornecedor de nuvem não cumprir seus termos garantidos, seus SLAs geralmente estipularão a compensação que o cliente pode esperar receber. Isso pode incluir penalidades financeiras, como créditos por tempo de serviço. Um SLA abrangente também detalhará as responsabilidades do cliente – portanto, deve ser redigido de forma clara e abrangente e garantir total transparência durante os incidentes de serviço. (Leia também: 5 perguntas que as empresas devem fazer ao seu provedor de nuvem.)

Conclusão

Cada vez mais empresas estão migrando para a nuvem para proteger seus serviços de missão crítica contra paralisações não programadas e outras ameaças.

A implantação de um sistema de gerenciamento de negócios integrado habilitado para nuvem, com continuidade de negócios integrada, é um ponto de partida importante para reduzir riscos e aumentar a lucratividade e o valor da marca.

Gostou? Compartilhe!
© 2021 - Desassossegada. All Rights Reserved.