19.12.13 • Em Atividades, Bem-estar

Por mais que a gente faça tudo certo, sejamos gratos e tenhamos tudo o que precisamos para sermos felizes, de vez em quando é inevitável nos sentirmos pra baixo, chateados e desanimados. Se não fosse por esses momentos, não saberíamos o que é felicidade, e não teríamos a chance de conhecer o tamanho da força que possuímos quando precisamos nos reerguer.

Se você está se sentindo assim por algum problema, dificuldade, um erro que cometeu ou até pela TPM, uma coisa é certa: isso vai passar! Às vezes pode ser só questão de tempo, mas se você quiser dar uma força a si mesmo para facilitar esse processo e voltar a se sentir bem, algumas atitudes simples podem ajudar:

1) Coloque os sentimentos para fora – Procure aquela pessoa que sabe te ouvir e ser compreensiva, em quem você confia e com quem sabe que tem liberdade de falar sobre qualquer assunto e desabafe com ela, fale tudo o que está sentindo. Isso ajuda a extrair as coisas ruins que você está conservando dentro de você e dá um grande alívio. Se não se sente bem em falar com outra pessoa sobre o isso, desabafe com seu animal de estimação, ore sozinho ou escreva. Encontre uma maneira de colocar para fora o que está te fazendo mal e você está conservando no seu interior. Aos poucos, a dor irá se dispersando até sair totalmente de dentro de você.

converse desabafe com seu cachorro

2) Pense nas coisas pelas quais você é grato – Por mais que você esteja se sentindo triste, desmotivado e esgotado, há sempre o outro lado, onde encontram-se as coisas boas. Nessas horas nossa mente insiste em focar somente no que acontece de negativo e é por isso que você precisará esforçar-se para lembrar de tudo de bom que há na sua vida e se sentir grato por isto.

3) Vá dormir – Às vezes a melhor maneira de se acalmar é praticando o único método garantido de não pensar nos problemas: dormir. Essa pode não ser a solução para o que está te incomodando, mas fará com que você esfrie a cabeça e acorde enxergando mais claramente o que precisa fazer para se sentir melhor. Em alguns casos, o problema é tão menos importante do que você imagina, que uma boa noite de sono é tudo o que você precisa para tudo voltar ao normal.

4) Organize o ambiente – Estar triste já não é bom, e se o lugar onde está não colabora para você se sentir bem, piorou! Arrumar a bagunça e melhorar o ambiente pode ser o primeiro passo para você começar a se animar. Aproveite a organização para se distrair e fazer a atividade de maneira prazerosa, colocando as coisas que você gosta mais visíveis e deixando o ambiente mais bonito e leve, do jeito que quiser.

5) Olhe para o céu – É quase uma terapia. Em qualquer hora do dia, se você olhar para cima, terá algo inexplicavelmente bonito para observar, seja o sol, as nuvens, as estrelas, a lua ou as mudanças que acontecem sutilmente nessa imensidão inesgotável. Se puder, deite na grama ou na areia para observar o céu e estar em contato com a natureza. Se não, vá para o quintal, a sacada ou apenas abra a janela e admire, preste atenção nos detalhes e fique em silêncio durante o tempo que for preciso para se sentir mais calmo.

olhe para o ceu

6) Chore se der vontade – Ao contrário do que se pode pensar, chorar não faz mal. Quando sentir que está à beira de um ataque de choro, a melhor coisa que tem a fazer é deixar que as lágrimas saiam até que parem de uma vez. O que faz mal, na verdade, é segurar o choro e ficar sentindo aquela sensação de nó na garganta por segurar dentro de você uma tristeza que está pedindo para sair.

7) Coloque os pés na água – Uma das maneiras mais fáceis de relaxar, você só precisa de água quente e uma bacia grande. Se quiser, pode pegar creme hidratante e fazer uma automassagem. Com certeza se sentirá melhor depois de fazer isso.

8) Faça uma sessão nostalgia – Pegue os álbuns de fotos antigas (de papel ou os que estão salvos no computador) e comece a olhar. Se tiver vídeos de bons momentos guardados, vale a pena se distrair assistindo também. Divirta-se recordando os bons momentos e perceba como a vida é melhor quando estamos felizes.

9) Ouça música e cante junto bem alto – Não vou citar aquela frase super clichê que começa com “quem canta” e termina com “espanta”, mas não podemos negar que ela é verdadeira. Escolha uma música que você goste muito e saiba a letra de cor, coloque os fones de ouvido no máximo e cante junto bem alto. É impossível não sentir pelo menos um pouquinho de empolgação fazendo isso.

10) Respire fora de casa – Ficar dentro de casa se sentindo mal e olhando para as paredes não ajuda em nada. Saia um pouco, nem que seja para dar uma volta no quarteirão, apenas para respirar outro ar. Pode ser mais divertido ainda se você pegar os patins ou a bicicleta para dar uma volta e puder sentir o prazer do vento batendo no rosto.

respire outros ares

11) Questione-se – Quando estamos frágeis é a hora em que nossos sentimentos ficam mais claros para nós mesmos, o que faz com que fique mais fácil analisá-los. Comece a se perguntar: se não é assim que quero me sentir, então como é? O que eu gostaria de ter ânimo para fazer agora? O que está me deixando pra baixo? É a primeira vez que me sinto assim ou isso é frequente? Vale a pena desperdiçar o tempo que estou assim por este motivo que está me deixando pra baixo?

12) Fique longe da geladeira e esconda o cartão de crédito – Descontar a chateação na comida ou nas compras não vai diminuí-la. Pelo contrário, só vai adicionar outro sentimento ruim à sua vida: o arrependimento! Trabalhe seu autocontrole e gaste suas energias em atividades que te farão realmente se sentir bem (como qualquer uma das outras 11 deste post!).

Fotos: 123



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Stephanie Gomes

Comente usando seu Facebook





32 Comentaram para “12 coisas para fazer quando você se sentir pra baixo”


G
1. Ana Pozzebon
28/05/2014 às 23:01

Gostei muito das dicas. Mas o problema está na gente mesmo, tenho que tentar mudar, pensar mais em mim, e deixar a familia um pouco mais de lado, talvez serei mais valorizada, quem sabe, poderá melhorar.


G
2. Ana Karolina Couto
25/06/2014 às 23:13

Gostei mttt as dicas eu sou uma pessoa que sempre deve tudo…. ate que um certo dia fiquei pobre isso ta sendo mtt difícil pra mim é para me ajudar meu namorado mr deixo eu ja namorava cm ele 3 anos….. fiquei sosinha nessa hj a única coisa que sei fazer e chora e me lamenta. Nao tenho amigas sou sosinha 🙁


G
3. leticia
25/08/2014 às 07:53

Muito bom…obrigada…Deus é nosso refúgio…ele é maior que nosssos problemas!


G
4. Ondina Cavvalca
19/09/2014 às 21:34

Sou sosinha mais procuro sempre estar com amigos ou amigas , de outra forma ficarei mais só.
Gosto muito de falar cisas alegres ,a tristeza demora para fazer morada dentro de mim.


G
5. Leonardo dos Santos Robledo
26/10/2014 às 13:11

Boas dicas, gostei. Qudo estou sozinho gosto de Ler, escrever e ser grato pelas coisas boas que a vida me proporciona. Pois só em estar vivo e poder contemplar as coisas eternas que não são efêmeras já me ajuda. Infelizmente muitos buscam as coisas passageiras e se apegam a elas. Esquecendo de que não são duradoras.


G
6. laylasantos
25/01/2015 às 01:55

Estou sozinha,bom eu tenho minha família e tal…Mas eu não tenho amigos verdadeiro.Ass vzs acho que o mundo ta acbadO pelo menos para mim. Eu nem encontro motivos pelo qual estou viva. Minha vida é super chata. Mas se deus mim deu ela…concerteza é por algún motivo. aah e eu gostei das dicas 🙂 vlw ai.


G
7. Stephanie
25/01/2015 às 21:04

Oi Layla,

Puxa, eu entendo você porque também já me senti assim: sozinha, entediada com a vida e sem propósito. O que posso te dizer com toda a sinceridade é: só você pode mudar isso. Sei que é difícil encontrar forças quando estamos nos sentindo assim, mas qualquer gotinha de força de vontade que você conseguir encontrar precisa ser aproveitada por você para começar uma mudança.

Faça um esforço para tentar uma atitude nova, uma nova forma de pensar. Pequenas mudanças nas suas ações e na forma como você vê a sua vida podem fazer uma diferença gigantesca e te dar a força que você precisa para buscar a sua felicidade.

Se puder, dê uma lida nos posts do blog sobre gratidão e autoconhecimento, acho que eles podem te ajudar.

Beijos


G
8. luna
27/01/2015 às 22:59

eu me sinto assim diariamente n sei mas o que fazer


G
9. Stephanie
28/01/2015 às 07:01

Oi Luna,

Você já tentou alguma dessas sugestões do post? Podem te ajudar 🙂


G
10. Daniel
21/04/2015 às 23:49

legal, nota 10


G
11. layssavieira
10/05/2015 às 01:23

eu me sinto muito só, tenho depressão e esquizofrenia, choro muito, minha mãe nao acredita em mim..ñ sei mais oq eu faço jà pensei varias vezes em me suicidar :'(


G
12. Stephanie
10/05/2015 às 09:41

Layssa,

Eu não sou psicóloga nem profissional da área, por isso não posso dar conselhos no seu caso, seria irresponsabilidade minha. A única coisa que posso te aconselhar a fazer é procurar um profissional. Um psiquiatra ou psicólogo pode te ajudar a sair dessa. Procure ajuda profissional, é possível você sair dessa, acredite.

Beijos


G
13. Isis Monteiro
26/09/2015 às 20:00

Adorei essas dicas com certeza irei fazer.


G
14. Rosana
19/12/2015 às 20:00

Oi muito bom lê isso me sinto c uma tristeza tao grande q isso será um desabafo.as vezes nen sei o q fazer de tanta tristeza, me afogo no trabalho e finjo q to bem p nao preoculpar ninguem. Obrigadaobrigada


G
15. Rachel
28/01/2016 às 23:35

Estava me sentindo mal inclusive chorei bastante.Escultei duas musicas cantando e esse sentimento ruim sumiu kkkk ai voltei a estudar ,agora vim comentar obrigadaaaa!


G
16. Stephanie
30/01/2016 às 00:04

Que coisa boa, Rachel!!! Obrigada por dividir isso aqui comigo <3

Beijos!


G
17. Davi lucas
01/03/2016 às 20:24

Olá me chamo Davi, tenho vários problemas, ansiedade, insegurança falta de auto-confiança de uns tempos pra cá estou vivendo angustiado, me sinto inferior as pessoas e cada pequeno problema se torna enorme pra mim, as vezes to depressivo sem querer sair de casa e não consigo mudar essas situação, só vejo meus defeitos não consigo expressar oq sinto, a pouco tempo minha namorada pediu um tempo pra mim e eu tbm pedi pq não sabia oq tava sentindo e isso me abala tanto e não sei oq faço!


G
18. Eduardo
01/04/2016 às 17:53

Obrigado pelas dicas, são coisas que até já sabemos, mas que não ficam claras em nossas mentes quando não estamos bem.
Eu queria muito conseguir conversar com quem conheço, mas não consigo. Nem mesmo escrever como antes escrevia.
Estou longe de tudo e de todos, mudei de cidade para estudar, não tenho ninguém aqui, minha namorada não “aguentou” continuar assim e nem mesmo amigos consigo fazer. Já segurei o choro pois uma vez me disseram que eu era muito chorão, se redimiram; hoje não consegui segurar :(. Enfim, vou estudar mesmo triste, vou caminhar, vou tentar me cuidar. Talvez a falta de dinheiro ajude a me deixar mais triste, mas vou buscar melhora, se não for agora, vai ser quando eu terminar a faculdade, se Deus quiser.


G
19. Bruna
01/05/2016 às 09:15

Ultimamente venho me sentindo tão triste, me sinto extremamente só, como se não tivesse ninguém no mundo que pudesse me compreender. Não tenho ninguém com quem possa desabafar e contar os meus problemas e essa falta de amigos é um dos fatores que me fez chegar a este estado de profunda tristeza que me encontro hoje. Terminei um namoro há poucos dias porque mesmo com uma pessoa maravilhosa do meu lado eu não conseguia me sentir bem, queria sua presença constante, tinha ciúmes de tudo, e essa possessividade estava tomando um rumo que não fazia bem nem a mim nem a pessoa, por isso decidi dar um basta. Mas agora sinto-me mais só do que nunca, tenho procurado forças para me sair desse estado de solidão, porque sei que uma pessoa deve se sentir completa para que outras possam estar ao seu redor. No momento eu me sinto vazia, angustiada… Mas vou tentar com todas as minhas forças reverter isso, porque sei que tenho uma vida maravilhosa para apreciar.


G
20. Danny Rodrigues
23/05/2016 às 21:53

E comum as pessoas como seres humanos,senti-se triste!Pois nos frustamos em não sermos perfeitos e tudo ser diferente do que desejamos.Mais não podemos esquecer que até o mais perfeito de todos nós JESUS,foi julgado e condenado por apenas nos ensinar a verdade e o amor.Quem somos nós para tentarmos ser perfeitos.Devemos procurar Deus e nele encontrar a solução para nossos problemas.


G
21. Jerusa
04/07/2016 às 21:35

Boa dica e funcionou comigo. Muito obrigada!


G
22. Katiane Soares
21/07/2016 às 15:28

Gostei das dicas!
Mas só faltou uma dica fundamental que é a oração. Você pode fazer todas essas coisas citadas acima, mas se não tiver Deus em primeiro lugar de nada adianta. Sem Deus não somos nada!


G
23. Stephanie
21/07/2016 às 20:07

Obrigada pelo complemento, Katiane!


G
24. Edijane
05/08/2016 às 14:57

Mto boom


G
25. Rafael Lima
30/10/2016 às 13:55

Bem, eu gostei muito das dicas e acho que isso só ajuda, mas não resolve.
Eu lembro que quando criança sentia algo em mim que não ia muito bem e cresci assim sem saber o que era. Num determinado período de minha infância, tive sim momentos de alegria que foram muitos, mas a coisa mudou de rumo que comecei a sentir uma tristeza, que eu não sabia de onde vinha em que só chorava do nada sem motivo algum. Com o passar do tempo isso foi se agravando ao longo dos anos que eu já comecei a sentir outros sintomas até então indefinidos para mim como: ansiedade, falta de apetite, desinteira, medo, fobia, solidão, entre outros acarretado também pela sintomatização. Se eu visse algum mendigo na rua, alguém passando fome, necessidade, noticiários de tragédias em jornais; poderia ser o que for se eu tivesse bem meu humor logo mudava, ficava triste, desanimado e por ai vai. Não demonstrava isso para os outros, pois guardava isso comigo me fechando no meu mundo deixando transparecer em certos momentos, sofrendo por dentro por achar que seria incompreendido pelas pessoas, algumas até me perguntavam o que eu tinha, logo dizia que não era nada.
Nos tempos de escola foi a onde eu vivi isso com mais intensidade, não só na escola como também fora da escola, me sentia muito só apesar de ter uma boa família, alguns amigos e de nada ter faltado para mim.
Foi aos dezoito anos que eu comecei a freqüentar um psicólogo, quando tive uma crise forte de choro na qual os meus pais perceberam que havia algo de errado comigo e decidiram me levar a um consulta, pois até então eu me trancava no banheiro, no quarto ou em qualquer outro lugar onde ninguém pudesse ver que eu estava chorando.
Muitos achavam que eu era doido por freqüentar um profissional de psicologia por que ainda tinham aquela mentalidade de que o psicólogo é um medico que cuida de doentes mentais.
Lembro- me de uma situação em que comecei a chorar compulsiva-mente dentro de um ônibus ao ver uma cena que me deixou extremamente triste.
Fiquei no tratamento com uma psicóloga por durante quatro anos, depois ela me indicou que eu fizesse um acompanhamento psiquiátrico; fiquei por um tempo de mais ou menos um ano e alguns meses e nesse tratamento com a psiquiatra é que eu fui diagnosticado com distimia, um tipo de depressão crônica. Depois o convenio que eu tinha por ainda ser dependente dos meus pais acabou e eu não pude dar mais continuidade ao tratamento, nem com a psicóloga e muito menos com a psiquiatra, pois as consultas eram caras e o remédio também.
Nesse período fiz alguns cursos, tentei trabalhar por conta própria como autônomo, mas não deu muito certo e foi então que o meu pai falou com o meu irmão mais novo que na época trabalhava em um supermercado, para me ajudar com uma indicação no intuito de que eu pudesse trabalhar lá e foi o que aconteceu.
No tempo em que lá trabalhei por volta dos meus cinco anos de empresa retomei meu tratamento com um psicólogo, já num posto de saúde onde eu fiquei uns cinco anos ou mais, não lembro bem ao certo mais acho que foi isso. Retomei o tratamento por sugestão de uma colega de trabalho a qual me indicou que procurasse um posto de saúde no bairro onde moro, pois havia contado a ela que não estava me sentindo bem, falei da minha situação. Na verdade eu ainda sentia os sintomas que nunca me deixaram no qual se agravou ainda mais por conta do estresse, fadiga que o trabalho nos traz. Sem contar que lá eu era perseguido, destratado, pelos meus superiores, tive algumas vezes o meu trabalho desvalorizado, sofri bullyng por parte de alguns colegas, em fim passei por muitas coisas.
Em dois mil e quatorze fui demitido por conta de uma situação em que discuti com a gerente quando disse a ela que não dava para trocar de horário, pois estava em um tratamento psicológico; apresentei atestado de tratamento e mesmo assim não teve jeito fui demitido assim mesmo. Mas uma vez parei o tratamento, pois o meu psicólogo teve que se ausentar por que ele está fazendo o seu doutorado.
Hoje estou com trinta e seis anos, ainda continuo desempregado e de lá para cá nada consegui, meu irmão mais velho me ajuda e sou grato por isso porem é meio desconfortável por ter que depender dos outros mesmo que seja alguém da família. Estou com medo de que a situação piore tendo em vista que eu tive há anos atrás antes de começar o tratamento fortes crises chegando até a pensar em me suicídio bem como havia tentado, mas nunca com coragem de fato.
No momento estou vivendo do jeito que dá, vou levando a vida procurando emprego e tentando não pensar no pior, mas está difícil; tenho orado bastante, vou à igreja porem tendo que conviver com a tal da distimia.
Diante de tudo isso o que me dá prazer são as minhas composições e poesias que escrevo onde expresso o que sinto e penso colocando minhas idéias e sentimentos como forma de cultivar o único dom que ainda me faz feliz de certa forma.
Bom pessoal, essa é a maneira que eu encontrei para desabafar, contar e dividir um pouco com vocês o problema pelo qual eu estou passando, pois acho que é mais fácil se abrir com alguém que está passando por uma situação parecida ou igual a nossa do que com pessoas que às vezes não compreendem e não consegue entender o que se passa com a gente. Às vezes nem mesmo a nossa família nos compreende e acha que isso tudo não passa de uma bobagem ou outra coisa qualquer da nossa cabeça.


G
26. Stephanie
31/10/2016 às 20:47

Oi Rafael,

Obrigada por compartilhar sua história e nossa, você escreve muito bem! Infelizmente o Desassossegada é um blog pessoal e tem suas limitações, ele não tem o poder de oferecer uma ajuda comparável a de um profissional, só consigo mesmo dar sugestões e compartilhar minhas reflexões, e fico feliz por conseguir ajudar pelo menos um pouco.

Imagino a dificuldade que é não pode contar com os profissionais que você precisa. Não sei muito bem como funciona, mas não seria possível você passar em um psiquiatra do SUS e ele te encaminhar para um psicólogo? Acredito que num caso como o seu, é importante procurar ajuda profissional, porque é sim possível que você supere esse problema, mas um profissional te acompanhando com certeza seria o ideal.

Espero que fique bem e saiba que o espaço aqui no blog está sempre aberto 🙂

Abraços!


G
27. Rafael Lima
01/11/2016 às 12:56

O brigado Stephanie.
É bom Saber que tem pessoas como você disposta a pelo ao menos nos dá um pouco do seu tempo para ler nossas histórias e comentários, pois para mim isso é gratificante tendo em vista que eu sou uma pessoa de poucos amigos e ter um espaço no blog para dividir minhas emoções e sentimentos sem me sentir excluído e criticado não é tudo, mas é bom ,pois assim “não me sinto tão só”.
Muito obrigado mesmo de coração.


G
28. Alyce
05/01/2017 às 21:17

Tudo isso ajuda mesmo Mas podemos tbm procurar fazer um esporte do qual interesse Relaxa o corpo destrai a mete e melhora muito as noites de sono !


G
29. Stephanie
06/01/2017 às 06:34

Exercício físico é fundamental mesmo, Alyce!


G
30. Pri M Mello
14/04/2017 às 14:36

Obrigada Amiga, pelas 12 dicas, todos nós passamos por momentos dificílimos.
Nos dias atuais, a falta de amor e da compreensão, é um dos maiores problemas.
Boa sorte para todos nós! Adorei, seu cantinho. Grande beijo!


G
31. Isaac
28/04/2017 às 00:38

Gostei muito das dicas. Estou precisando praticá-las. Tenho me sentido um lixo. Estou desanimado e sinto uma tristeza enorme. Nunca pensei em suicídio porque acredito que uma hora as coisas vão melhorar e finalmente poderei sentir a “felicidade” . Não gosto de conversar com amigos sobre isso porque todos dizem a mesma coisa : “não fica assim” para mim, isso não resolve. Enfim. Sigo confiando que algum dia essa tristeza irá desaparecer
.


G
32. Stephanie
04/05/2017 às 08:27

Isaac, é dentro de você que você vai encontrar a felicidade! Trabalhe o autoconhecimento 😉



Comentar

Nome:

Email:

Site/Blog: