20.06.14 • Em Reflexão, Relacionamentos

Este post é direcionado principalmente aos ciumentos, que sabem o quanto este sentimento é prejudicial às suas relações mas têm dificuldades para lidar com ele. Antes de conhecer métodos para controlá-lo, é essencial entender o ciúme, saber por que ele existe, como afeta nossa vida e por que precisamos tratá-lo.

O ciúme não existe apenas nos relacionamentos de casais, mas também entre amigos, familiares e até com colegas de trabalho. Há quem sinta ciúme dos amigos do namorado, do marido conversando com pessoas do sexo oposto, do irmão sendo tratado de determinada forma pelos pais, do amigo que fez uma nova amizade, da pessoa que admira (um chefe, professor, superior) dando mais atenção a outra pessoa e muitas outras situações. Na maioria dos casos, o ciúme é causado pelo medo de perder a pessoa a qual acredita convictamente que lhe “pertence” ou por medo de ser substituído ou perder o seu lugar no relacionamento.

5 coisas que você precisa saber sobre o ciúme

O ciumento supervaloriza dúvidas, fantasias e pensamentos de desconfiança. O ciúme intenso é torturante tanto para quem o sente como para quem lida com a pessoa ciumenta. É claro que ele ocorre em diferentes graus de intensidade, e vai do que se origina do zelo até o que é capaz de cometer atos absurdos e impensados. De qualquer forma, o ciúme nunca é um sentimento bom, mas, dependendo do caso, ele pode não causar grandes estragos. Mesmo assim, é preciso ficar atento, porque trata-se de um sentimento que pode crescer até se transformar em neurose e angústia constantes. É importante compreender estas questões:

1) O ciúme se sobrepõe à felicidade

O ciúme passa por cima da felicidade toda vez que você escolhe fazer dele o sentimento presente na relação. É incoerente, já que os relacionamentos existem para nos fazer felizes e nossa intenção em relação a eles deveria ser construir sentimentos que favorecem a felicidade. O ciúme te faz ver o relacionamento como algo pelo qual você precisa lutar bravamente o tempo todo, praticamente um obstáculo à sua felicidade, quando, na verdade, o propósito do namoro, do casamento, da amizade, da família ou de qualquer outra relação deveria ser trazer paz, alegria e conforto, não tormento. O ciúme faz você desperdiçar as chances de viver bons momentos e amar. Acha que vale a pena? O ciúme não te leva a nenhum lugar feliz. Se um relacionamento não faz as pessoas envolvidas felizes, qual é então a sua finalidade?

5 coisas que você precisa saber sobre o ciúme

2) O ciúme não é uma ferramenta de controle humano

Se você acha que consegue usar o ciúme para controlar a vida de alguém, está se iludindo. Pessoas não são controláveis, e quem você vê como “controlado” pode mudar a qualquer momento. Ninguém está sob seu controle e é preciso aceitar isto para não transformar a relação em uma neurose permanente. Você sabe disso, mas prefere ignorar para ter a segurança ilusória que o ciúme te dá. Saiba que, enquanto se sente satisfeito por achar que está tudo do jeito que você quer, seu ciúme sufoca o outro. E quem se sente sufocado sofre sempre a reação: vontade de sair de onde está, de fugir e se livrar desta situação de aprisionamento.

3) O resultado do ciúme é sempre o mesmo: arrependimento

Porque depois que tudo passa você quase sempre descobre que exagerou, mas não pode mais apagar as brigas e a tristeza causada, nem reverter o afastamento da pessoa que sofreu com o seu ciúme. Você se arrepende porque percebe que tinha muito mais motivos para ser feliz do que para se agarrar a este sentimento destrutivo. Quando isso acontece, você finalmente aprende. Mas, infelizmente, pode ser tarde.

4) O problema do ciúme está em você

Se você pensa que a sua falta de confiança é culpa do outro, está enganado. O seu ciúme é causado por você e mais ninguém. Existem duas possibilidades: ou você escolheu estar nesta relação sabendo que não poderia confiar ou você está criando problemas desnecessários. Se o seu ciúme deriva do medo de ser trocado ou substituído, o problema está na sua insegurança ou incapacidade de confiar. Seja qual for o motivo do ciúme, a origem dele está nas suas escolhas, atitudes e pensamentos. É você quem precisa resolver estas dificuldades com você mesmo.

5 coisas que você precisa saber sobre o ciúme

5) Ciúme não é prova de amor

Há quem diga quem quem ama de verdade sente ciúmes. É verdade que nem todo ciúme é prejudicial, muitas vezes ele não passa de uma vontade de chamar a atenção, o que não é necessariamente sempre ruim. O problema é que existem ciumentos que usam esta afirmação como justificativa quando suas atitudes passam dos limites, dizendo que é uma “prova de amor”. Ciúme não é prova de amor. Respeito, carinho, atenção, companheirismo e confiança são. Se você realmente quer demonstrar seu amor, pare de usar todos os seus esforços para controlar os outros e esforce-se para conquistá-los e fazer com que queiram estar com você.

Fotos: 123



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Stephanie Gomes

Comente usando seu Facebook





4 Comentaram para “5 coisas que você precisa saber sobre o ciúme”


G
1. Bruna
26/06/2014 às 15:06

Adorei a reflexão, Stephanie. Concordo demais contigo. E posso te falar, antes eu era bem ciumenta. Não aquele tipo chato, que proibe de fazer as coisas, mas confesso que rolava um ciume quando ele ia num show, por exemplo e eu não ia junto. É algo que tenho trabalhado em mim e hoje, melhor em muitos aspectos na minha vida, consegui me livrar desse bendito. Dia desses tive uma prova. Uma situação x aconteceu e sei que se fosse a “outra Bruna” eu teria ficado “fula” e no entanto não senti absolutamente nenhum desconforto e isso foi uma grande evolução pra mim!

A questão é que precisamos entender que ninguém é propriedade nossa. Se a pessoa esta conosco é por vontade. Precisamos nos desapegar mais das pessoas pois isso só fortalece e amadurece as relações (por mais controverso que pareça, ne? Mas acho que você entendeu meu ponto de vista)

Beijos!


G
2. Stephanie
26/06/2014 às 22:04

Bruna, eu acho que o que falta também muitas vezes em relação ao ciúme é termos maturidade para lidarmos com o outro, respeitarmos as diferenças e as escolhas, além de entender que não somos donos de ninguém. É algo que se aprende mesmo, seja refletindo sobre isso ou através de experiências. Com o tempo a gente vai percebendo o que nos faz bem e o que faz mal e aprendendo a priorizar o que está no primeiro grupo. É mais uma das coisas da vida que nós só aprendemos vivendo.

Me identifiquei com a forma como você se descreveu quando era ciumenta, eu também já fui muito e mudei bastante. O que escrevi no texto são justamente as minhas percepções em relação ao que já vivi e o que aprendi e mudei 🙂

Beijos!


[…] FONTE INDICADA: Desassossegada […]


G
4. Stephanie
11/12/2014 às 21:10

Post maravilhoso. Vi seu blog como indicação de uma amiga e acabei caindo aqui, falando de uma coisa que eu já passei MUITO! Realmente o ciúme nunca é bom e prejudica tanto quem tem ciúme, quanto quem lida com a pessoa ciumenta. Antigamente eu era neurótica, exagerada e como foi dito acima, depois você percebe que fez grande burrada. Meu namorado nunca se quer terminou comigo, mas eu sabia que isso era prejudicial pra gente. Até que passou um tempo e eu resolvi mudar e tudo melhorou. Mas POR DENTRO eu ainda me sentia ameaçada. Mas ficava quieta e não alimentava pensamentos ruins. Até que isso passou a não me doer mais. Comecei a me preocupar mais comigo mesma e vi que o importante não é PRENDER ALGUÉM, mas dar motivos pra pessoa QUERER estar presa à você!
🙂



Comentar

Nome:

Email:

Site/Blog: