25.01.16 • Em Reflexão

No último post aqui do blog, um dos tópicos que coloquei no texto falava sobre aceitação. Algumas horas depois de ter colocado o post no ar, recebi um email de uma leitora me perguntando o que exatamente eu quero dizer quando falo sobre aceitação, e como é possível aceitar uma situação de intensa dor física ou emocional. Eu adorei receber esse questionamento porque me fez parar para pensar mais profundamente sobre o assunto, e nessa reflexão acabei aprendendo muito. Percebi que realmente não é tão simples de entender o conceito de aceitação, principalmente quando o relacionamos a situações muito difíceis.

Aceitação: a palavra que muda tudo

Resolvi que ia me aprofundar no assunto e trazê-lo aqui para o blog, então passei os últimos dias lendo, assistindo a vídeos e refletindo sobre aceitação. Fiz uma verdadeira imersão no assunto para trazê-lo para cá de forma clara e esclarecedora.

O que é aceitação?

Quando falamos em aceitação, é fácil confundir com conformismo ou com “não se importar” com as coisas. Mas não tem NADA a ver com isso. Aceitação é olhar para a realidade sem tentar negar, fechar os olhos ou fugir dela. É aceitar que um problema, por pior que seja, é real e precisa ser encarado como tal.

Por que precisamos aceitar situações difíceis?

Porque, para mudar a sua realidade, você precisa enxergá-la como ela é. Precisa aceitar que está em determinada situação e cessar as brigas internas e a resistência para conseguir mudá-la.

O presente é o agora. E agora talvez esteja acontecendo algo ruim, triste ou indesejado com você. Para conseguir encarar esse presente com sabedoria ou realizar uma mudança, você precisa aceitá-lo como ele é. A aceitação vai fazer com que a sua ansiedade diminua, seu coração se abra à verdade e você se liberte da resistência e da negação que te prendem àquela situação. Enquanto resistir, fugir ou negar, nada pode mudar.

Aceitação muda a sua perspectiva e mudar a sua perspectiva muda tudo. Muda seu estado interno para você conseguir viver e agir sobre o presente REAL, aconteça o que estiver acontecendo. Faz você entender que o ponto de partida para chegar aonde deseja é a situação em que você realmente está, mesmo ela sendo muito difícil.

Você precisa conseguir enxergar e aceitar onde está para fazer uma transformação. É impossível mudar aquilo que não é real. É impossível mudar brigando, negando ou fugindo da realidade. A aceitação é o único caminho para você entender o seu presente e transformá-lo.

Para mudar algo que não está bom você precisa acolher as circunstâncias, abraçar a situação, conhecê-la, explorá-la, entendê-la e escolher o seu próximo passo. E você não consegue fazer isso se não aceitar as coisas como são.

Explicando a aceitação com exemplos

Aconteceu comigo recentemente: eu estava editando um vídeo pro canal do blog e meu computador desligou sozinho. Eu não tinha salvado nenhuma vez o arquivo, então perdi tudo o que já tinha feito. Minha primeira reação foi querer deixar tudo de lado, ficar irritada com a situação e ir fazer outra coisa pra ignorar que aquilo aconteceu. Mas eu precisava terminar o vídeo pra publicar no dia seguinte, então encarei a realidade e aceitei que ia ter que começar tudo de novo. Respirei fundo, fui lá e fiz.

Imagine que você está passando por problemas financeiros. Você tem duas opções: ignorar isso e continuar vivendo como se nada estivesse acontecendo, intercalando momentos de desespero e preocupação com dias em que finge que está tudo bem; ou aceitar que está com um problema sério, e se dispor a trabalhar para resolvê-lo, com calma e organização. Concorda que a segunda opção traz muito mais paz do que ficar negando e fingindo, sem ter nenhuma possibilidade de solução? Por mais difícil que seja resolver um problema como esse, quando você aceita que ele é a sua realidade, consegue encontrar disposição para criar uma solução, sem entrar em desespero e sem cometer o erro de mentir para si mesmo.

Sabe aqueles dias em que você se sente totalmente para baixo e a vida parece sem sentido? Nessa situação, aceitar não significa que você deve dar um jeito de ficar feliz, mas que deve ser honesto com você mesmo sobre o que está sentindo. Se está se sentindo triste, aceite que está num momento não tão bom, se permita ficar um pouco quieto, refletir e chorar se sentir vontade. Não brigue com você mesmo, não sinta raiva de si por não estar bem, não tente fingir que está tudo bem, porque isso só vai te fazer mal. Aceite e deixe o sentimento fluir, deixe-o existir pelo tempo que for preciso. Em algum momento você vai se recuperar. É muito mais provável que se recupere quando se permite sentir do que quando luta contra si mesmo.

Existem também situações em que a questão não é aceitar para mudar, mas aceitar para conseguir dar o seu melhor e lidar da melhor forma possível com a realidade. Quando minha mãe ficou doente e nós soubemos que ela não teria muito tempo de vida, eu enfrentei uma situação assim. Não havia o que fazer para curá-la, e eu precisava aceitar essa verdade para dar o melhor a ela e à minha família naquele momento. Confesso que não entendia as coisas dessa forma naquela época e demorei para sair do estado de negação, mas quando consegui aceitar fui capaz de dar o meu melhor a ela, além de me permitir sentir a minha dor e lidar verdadeiramente com aquele momento.

Concluindo…

Percebe que, em todas as situações, aceitar diminui o peso do problema? Por mais difícil que ele seja, viver o presente de coração aberto, enxergando e encarando a realidade, é a melhor forma de lidarmos com tudo na vida. Fugir, negar, brigar, resistir e fechar os olhos para o que é real torna qualquer situação ruim ainda mais difícil.

“Aquilo a que você resiste, persiste.” – Carl Jung



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Stephanie Gomes

Comente usando seu Facebook





24 Comentaram para “Aceitação: a palavra que muda tudo”


G
1. Nathalia
25/01/2016 às 14:03

Que lindo isso, Stephanie… Texto digno de se reler de tempos em tempos. Adoro seu blog, você se expressa muito bem 🙂
Beijo!


G
2. Stephanie
25/01/2016 às 18:47

Obrigada pelo carinho, Nathalia!

Visitei seu blog e achei seu trabalho incrível, uma coisa mais linda que a outra! Muito sucesso pra você!

Beijos


G
3. Bianca
25/01/2016 às 14:17

Olá Stephanie,

Tenho 22 anos, e a 14 sofro de transtornos de pânico, que por anos ficou adormecido mas que nos últimos meses tem dominado a minha vida e me feito muito mal. Hoje tomo medicamentos e faço terapia, não tenho condições psicologicas de escrever muito, mas gostaria de dizer uma unica frase: “Você tem me ajudado muito, obrigada!”


G
4. Stephanie
25/01/2016 às 18:45

Oi Bianca,

Sei o que você passa, eu também sofro com ansiedade e já tive crises de pânico, é terrível :/

Que bom que estou conseguindo te ajudar, você não sabe como fico feliz em saber disso! Continue seu tratamento, dedique-se à terapia e tenho certeza que você vai ficar bem. A aceitação com certeza vai te ajudar muito a lidar com isso.

Beijos


G
5. Michelle Góes Rodrigues
25/01/2016 às 17:04

Lindo post!
Hoje o mantra da minha aula de Yoga pelo canal da Adriene foi “I accept”. Confesso que não trouxe um significado muito profundo para mim na hora, mas o seu post iluminou tudo. Obrigada.


G
6. Stephanie
25/01/2016 às 18:43

Michelle, foi justamente nas aulas de yoga que eu aprendi o que é aceitação. Aliás, essa foi a coisa mais importante que a yoga me trouxe. Fico muito feliz em ter conseguido esclarecer o significado para você. Obrigada pelo carinho <3


G
7. Alysson Amaral
25/01/2016 às 17:40

Parabéns Stephanie. Quase todos os dias atualizo o Blog’ pra ver se tem algo novo, e você falou exatamente aquilo que eu estava precisando ouvir. Obrigado!! :*


G
8. Stephanie
25/01/2016 às 18:42

Oi Alysson! Fico feliz em saber que encontrou aqui o que precisava. Espero continuar conseguindo acertar nos assuntos dos posts 🙂


G
9. Isabela
25/01/2016 às 17:41

Que texto mais lindo e sincero, Stephanie! Obrigada por compartilhá-lo!

Um abraço enorme!


G
10. Stephanie
25/01/2016 às 18:41

Fico feliz em saber que gostou, Isabela! Eu que agradeço o carinho.

Beijos!


G
11. Juliana
25/01/2016 às 18:00

Boa tarde,
Descobri seu blog a pouco tempo e era realmente o que eu precisa ler!!
Muito obrigada por todas essas dicas


G
12. Stephanie
25/01/2016 às 18:41

Oi Juliana! Que bom que encontrou aquilo que precisava aqui no blog. Espero que volte mais vezes 🙂


G
13. Tais Cruz
26/01/2016 às 10:34

Oi, Stephanie!
Muito obrigada. Esse texto me ajudou muito! Estou passando por uma situação difícil a qual está me corroendo. Com certeza o fato de eu estar negando e querendo ignorá-la não está me ajudando a superá-la.
Ótimo post!

Beijos,
Tais


G
14. Stephanie
26/01/2016 às 21:20

Oi Tais! Fico feliz em ter conseguido te ajudar. Coloque a aceitação em prática e você vai ver como as coisas começarão a ficar mais claras 🙂

Beijos!


G
15. Ohara
26/01/2016 às 17:55

Olá! uma coisa que eu percebi depois de ler esse texto foi: eu não tô sabendo aceitar as coisas. hahahaha. porque olha só uma experiência que passei
semana passada. eu tinha feito uma certa coisa, e depois fiquei preocupada com aquela situação e pensando “como eu queria ter feito isso ao invés do
que foi feito”. eu fiquei em eterna luta comigo mesma praticamente o dia todo e só foi numas 9 horas da noite: a situação ocorreu a umas 4 horas da
tarde: ae ja nessas 9 horas ae, eu pensei ‘a! aquele video sobre arrependimentos, vou ver” sim, eu vi um video sobre pra tentar solucionar! e depois
de ter acabado de ver fiquei pensando sobre, e ae eu conclui que não, eu não deveria ficar me lembrando disso ate sei la quando. depois disso, nunca


G
16. Ohara
26/01/2016 às 18:12

mais lembrei daquilo. então, talvez eu esteja equivocada, mais acho que não aceitei o ocorrido. sobre o post, eu ja sabia o que era aceitação a um
certo tempo devido a esse video aqui https://www.youtube.com/watch?v=9FDHcpq5D4I e confesso, como esse video fala de uma situação diferente, até hoje
discordo e trato isso como comodismo. mais em relação a conceito de aceitação, ja sabia do que se tratava. enfim, texto super esclarecedor! amei as
dicas<3 desculpa falar disso aqui sei que e assunto de outro post, hj vi um video de outra pessoa falando sobre como tornar as coisas de casa menos
chatas, e parecido com o seu so que também fala de organização, muito legal http://www.youtube.com/watch?v=hdRNnrvJGmo Bjooooos!


G
17. Stephanie
26/01/2016 às 21:22

Oi Ohara!

É péssimo quando ficamos presos a algo que passou e não conseguimos aceitar, né? A aceitação é muito necessária para nos libertarmos disso!

Vi os vídeos e adorei, obrigada!

Beijos


G
18. Bruna
01/02/2016 às 15:16

Oi stephanie, eu adoro seus textos, são realmente inspiradores!! Eu só parei de visitá-lo com frequencia quando você começou a dar exemplos de “problemas” que pra mim não nao problemas, tais como você citou em varios videos a sua insegurança em gravá-los, nesse post você deu como exemplo a falha do computador! Tenho total respeito por seu ponto de vista e suas dificuldades. Pelo fato de eu acompanhar seu blog há um ano, me sinto livre para dizer isso. Você fala tanto sobre gratidão, que tal rever que esses problemas podem ser tão minimos que não mereçam estar em seus textos que sao tao maravilhosos? Falo isso com toda sinceridade e carinho pelo blog! Bjs


G
19. Stephanie
01/02/2016 às 20:03

Oi Bruna!

Fiquei triste em saber que você parou de visitar o blog 🙁 mas eu agradeço o toque, vou prestar mais atenção quando dou exemplos nos posts.

Esses que você citou eu não acho que tratei como “problemas”. A minha insegurança com os vídeos eu nunca disse que era um problema, e sim uma dificuldade que estou fazendo algo para diminuí-la para que ela não me impeça fazer as coisas que tenho vontade. Falo sobre isso porque imagino que seja útil para as pessoas que se identificam com o sentimento de insegurança (não só para vídeos, mas em qualquer situação) verem que elas não são as únicas que se sentem assim, e para mostrar o meu processo de trabalhar nessa dificuldade e também como vou evoluindo. Para que elas vejam que podem conseguir também, se esse for o desejo delas.

Nesse post da aceitação, eu quis dar exemplos tanto de situações simples como as mais complexas. Falei do computador porque foi algo bobo mas que poderia ter me irritado profundamente e atrapalhado meu dia. Quis mostrar que a aceitação pode ser aplicada em diferentes situações para melhorar nosso estado de espírito, inclusive para não deixar que coisas tão pequenas nos tirem do sério.

Eu não entendi qual a relação disso com o que falo sobre gratidão. Nenhuma dessas dificuldades diminui o quanto sou grata pela minha vida. Não consigo ver relação entre uma coisa e outra… o fato de eu ser grata não faz com que as dificuldades desapareçam ou eu ache que devo ignorá-las, pelo contrário! Sou grata por ter consciência delas e ser capaz de superá-las.

Acho importante falar sobre dificuldades, pequenos problemas que às vezes estragam nosso dia e atrapalham nossos planos justamente porque muitas vezes os transformamos em algo muito maior do que realmente são. Dou exemplos para deixar a ideia mais clara, mas a intenção é que cada um identifique em sua própria vida como aplicar essa ideia.

Talvez eu não tenha me expressado tão bem e isso não tenha ficado claro. Vou tomar mais cuidado com isso, prometo! Agradeço pelo alerta 🙂

Espero que você volte para ler minha resposta e gostaria muuuuito de continuar essa conversa com você, porque gosto muito do que você escreve e sei que posso não estar percebendo algo que poderia melhorar aqui no blog, que os leitores conseguem perceber melhor do que eu. Fico muito feliz quando alguém dá esse tipo de opinião. Me faz olhar de forma mais crítica (com o olhar do leitor) para o meu trabalho e perceber em que posso melhorar.

Isso que falei faz sentido pra você? Vamos conversando!

Beijos!


G
20. Bruna
02/02/2016 às 20:45

Te entendo completamente! O que eu quis dizer é algo que eu queria melhorar na minha vida também, acho que todos nós tinhamos que repensar sobre nossas dificuldades, já que aumentamos tudo e vemos problemas onde nao tem! Acho que isso de certa forma nos torna despreparados pra vida. Acredito que estamos aqui para crescermos e amadurecermos, estes pequenos acontecimentos tem que ser apenas detalhes sabe? Não quis diminuir as suas dificuldades e acho que acabei fugindo do assunto! Só queria que você continuas se com seus textos incriveis, apenas pensando em melhores exemplos, que possam nos inspirar de certa forma.


G
21. Stephanie
02/02/2016 às 21:24

Entendo perfeitamente o que você quer dizer, Bruna! E te agradeço muito pelo toque sincero, vou dar mais atenção a isso a partir de agora.

Espero que continue acessando o blog 🙂 e fique à vontade para mandar suas sugestões sempre, fico muito feliz em ter leitoras como você que se preocupam em me ajudar a melhorar.

Beijos!


G
22. Caroline
16/04/2016 às 12:07

Stephanie,

Eu gosto muito dos exemplos que dá, independente se eles representam as mesmas situações que eu passo ou não.
Os exemplos tornam o blog real. Todos temos nossas próprias dificuldades, o que pode ser bobo para mim, pode ser um tormento para o outro.
Não se sinta tolhida em escrever o que sente.
Todos estamos em constantes buscas pessoais. Textos que apenas falam sobre como a pessoa se sente em paz e feliz é igual aquelas fotos do facebook que só passam a impressão de como a vida do outro é perfeita. É frustrante para quem vê e para quem lê.
Você é uma pessoa iluminada, e saber que mesmo com essa luz e consciência que você tem, você também passa por momentos de questionamentos e sensações não tão boas, mostram o quanto você é verdadeira.

Se sinta à vontade para ser inteiramente você, já existem blogs demais (e eu falo de todo tipo de blog) que passam uma mensagem longe se ser real, de ser palpável.


G
23. Caroline
16/04/2016 às 12:44

Só um complemento: Eu entendo que o blog é um cantinho para você compartilhar suas descobertas, aprendizados, desafios. Com as suas reflexões/experiências que você relata no blog, nós refletimos sobre nossas vidas, nossos hábitos, o que nos incomoda, o q nos faz bem… Também deixamos nos comentários experiências que passamos, conhecimentos que absorvemos, que faz você refletir. É uma caminhada junto, uma troca de aprendizado e descobertas. É uma relação mutua.
Não vejo que a ideia do blog é você nos dar aula de como atingir (e como vc atingiu) o “nirvana”. Você não tem essa obrigação. E quanto a mim, não é isso que procuro aqui.
Acompanhar a caminhada de uma pessoa em suas descobertas, ver o caminho que trilha e as pedras que encontra no caminho, é muito mais inspirador, do que acompanhar só relatos de vitórias e conquistas.
Saber só do resultado e não do processo não permite que a pessoa que lê aplique em sua própria vida aqueles pequenos aprendizados que a pessoa que realizou seu sonhou aprendeu no caminho.
Beijos


G
24. Stephanie
17/04/2016 às 09:18

Caroline, você definiu tão bem a minha intenção com o trabalho que faço aqui no blog que acho que nem eu mesma conseguiria explicar tão bem! Fico feliz em saber que estou conseguindo passar justamente isso: que quero compartilhar meus aprendizados e minhas experiências não para as pessoas acharem que minha vida é perfeita e invejável, nem para seguirem exatamente tudo o que eu faço, mas sim para despertar reflexões, oferecer um pouco de inspiração e motivação para as pessoas, afinal, apesar de sermos diferentes, o que serve para mim pode servir para outras pessoas também, e é isso que noto aqui no blog. Muito obrigada por seu comentário, às vezes fico em dúvida se estou conseguindo deixar clara essa minha intenção, e ler alguém descrever exatamente o meu objetivo com o blog me dá tranquilidade de saber que estou conseguindo transmitir isso. Obrigada <3



Comentar

Nome:

Email:

Site/Blog: