09.01.17 • Em Yoga

Como já contei aqui algumas vezes, estou fazendo um curso de formação em Yoga, e nesse curso nós aprendemos o Yoga que vai muito além das posturas (ásanas). Minha visão sobre o Yoga já mudou completamente, e eu estou só no 6º mês de curso (são 22).

Yoga é um estilo de vida baseado em alguns princípios que têm como objetivo a libertação (moksha) e a expansão da consciência (samadhi). Muita gente conhece o Yoga apenas como a prática de posturas, mas na verdade as posturas são apenas uma das formas de cuidar da saúde do corpo e treinar a auto-observação que é necessária para a prática dos princípios.

Os princípios são divididos em yamas (princípios morais, aquilo que você tem que restringir, controlar) e nyamas (princípios de autopurificação, aquilo que é bom e você precisa fazer um esforço para desenvolver).

Infelizmente, a maioria das escolas de Yoga ensina apenas as posturas, as técnicas respiratórias (pranayamas), o relaxamento (yoga nidra) e a meditação (dhyana), e deixam o aprofundamento na filosofia de lado. Como sei que muitos leitores do blog praticam ou se interessam pelo Yoga, resolvi explicar de forma resumida os princípios desse estilo de vida.

Os 10 princípios do Yoga e como aplicá-los na sua vida

Yamas

Ahimsa – não-violência

Não gerar violência no mundo, não ser violento com o outro e não ser violento com você mesmo. É por isso que quem segue os princípios do Yoga geralmente não consome carne, mas o ahimsa não se trata apenas disso. É não ser violento no falar, no agir, no pensar, e também na prática das posturas tomar cuidado para não machucar o seu corpo. A não-violência começa em você, em não se maltratar e em não se causar sofrimento e dor, e então se estende para os outros seres e a natureza.

Não fazer comentários destrutivos, não alimentar pensamentos pessimistas e críticos, não exceder os limites do seu corpo de forma que te causem dor e pensar nas consequências das suas ações antes de agir é uma boa forma de começar a inserir o princípio do ahimsa no seu dia a dia.

Satya – verdade

Não mentir para si mesmo e não mentir para os outros. Tudo no Yoga requer auto-observação, e o princípio da verdade pede MUITA observação de si mesmo porque nós estamos super acostumados a mentir, tanto mentiras “pequenas” como mentiras “grandes”. É algo que consideramos tão normal que nem percebemos que fazemos com tanta frequência, mas quanto mais mentimos para os outros e para nós mesmos, mais nos afastamos da consciência da verdade sobre todas as coisas.

Comece a observar as suas conversas, o que você escreve na internet, como você se mostra para os outros e como vê a si mesmo. Está sendo verdadeiro? Está sendo honesto? Traga para a consciência tudo aquilo que é mentira nas suas ações, na sua fala e na sua mente e se proponha o desafio de pensar e agir de uma nova forma, baseado na verdade.

Asteya – não roubar

Não se aproprie do que não é seu. Coisas, ideias, tempo, direitos do outro… Não pegue aquilo que é do outro e não foi lhe dado. Cuide dos seus impulsos de se apoderar do que não é seu e seja justo. Quando você rouba, além de estar sendo injusto com o outro, não supre a sua carência, pois no fundo você sabe que aquilo não te pertence.

Aparigraha – desapego

Entender que nada nesse mundo é seu, tudo é emprestado. Não significa que para ser feliz você precisa banir totalmente os desejos materiais, mas não viver apenas para conquistar e acumular (o que causa uma insatisfação infinita) e também não carregar esse sentimento de posse e apego em relação a coisas e pessoas.

Observe o quanto você é apegado e também se não está “viciado” em apenas querer, querer e querer ter mais, mas nunca se sentindo satisfeito. E cuidado com o quanto alimenta pensamentos e sentimentos de posse e ganância.

Brahmacharya – controle dos impulsos sexuais

Não significa que você deve se abster de relações sexuais, mas sim entender que a energia sexual é um bem sagrado, por isso você deve ter cuidado com quem divide essa energia. Seu corpo é um templo, então preze por ele e tenha cuidado com você mesmo ao escolher com quem se envolve. A busca incessante por esse tipo de prazer externo sem discernimento pode ser um sinal de que você está afastado de si mesmo, preste atenção a isso também.

Os 10 princípios do Yoga e como aplicá-los na sua vida

Nyamas

Saucham – pureza

Esse princípio fala sobre manter-se o mais limpo possível. Ter precaução em relação aos alimentos que consumimos, às informações que recebemos, às energias que absorvemos, ao tipo de entretenimento que procuramos no nosso dia a dia, à nossa higiene, ao tipo de emoção que carregamos… É tomar cuidado com as “sujeiras” que deixamos entrar na nossa vida e na nossa mente e buscar mais daquilo que é puro, bom e positivo.

Sempre que notar que algo que não te faz bem está à sua volta ou dentro de você, procure pelo seu oposto. Se notar um pensamento negativo, busque pensar o seu oposto. Se estiver assistindo a algo na TV que não faz você se sentir bem, procure um canal que esteja passando algo que te transmita coisas boas. Use sua vontade e poder de escolha para buscar aquilo que é bom.

Tapah – disciplina

O Yoga acredita que ter disciplina é sinônimo de ter liberdade. Porque essa disciplina não é sobre seguir exigências rígidas, mas sobre ter o controle de si mesmo para sempre tomar a atitude mais adequada. É ter determinação para persistir naquilo que é bom, em relação a tudo na vida.

A disciplina, a força de vontade e a persistência são as virtudes que te levam à realização.

Santosha – contentamento

É o desenvolvimento da capacidade de aceitar o momento presente e sentir-se satisfeito com a sua situação atual. Não significa se acomodar, mas sim saber dar valor ao que você já tem ao invés de ficar pensando no que te falta.

Swadhyaya – auto-estudo

Observar a si mesmo, estudar o seu funcionamento. É constantemente se perguntar: como eu funciono? Como eu me relaciono com as pessoas? Quais são as minhas tendências? É buscar a sabedoria maior, que é conhecer a si próprio, através da observação de si mesmo e da reflexão.

Ishvara pranidhana – entrega

É exercitar a entrega, entregar-se à vida. É ter a capacidade de confiar e acreditar que tudo está em ordem, que tudo o que existe e acontece tem um propósito. É fazer o melhor que você pode e confiar no fluxo da vida, sabendo que nem você nem ninguém tem o controle de tudo o que virá, mas conseguir confiar mesmo assim. É ter fé e saber que tudo está exatamente onde deve estar.



Curta o Desassossegada no Facebook para acompanhar todos os posts e novidades do blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Stephanie Gomes

Comente usando seu Facebook






Comentar

Nome:

Email:

Site/Blog: